Operações de carga e descarga voltam ao horário antigo

Empresários do transporte discutem com a Secretaria de Mobilidade Urbana medidas para ampliar duração do serviço sem afetar o trânsito
sexta-feira, 13 de julho de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Foto de capa

As operações de carga e descarga de mercadorias nas ruas de Nova Friburgo voltaram a ser feita no horário antigo, das 6h às 11h e das 20h às 22h, na última semana. Em junho, a Secretaria Municipal de Ordem e Mobilidade Urbana (Smomu) havia ampliado o horário até as 15h, experimentalmente, para atender aos estabelecimentos comerciais que tiveram os estoques afetados pela greve dos caminhoneiros.

“A Prefeitura de Nova Friburgo entende que o período experimental foi suficiente para atender à necessidade reprimida”, justificou a Smomu em nota nesta quinta-feira, 12. O governo municipal autorizou a ampliação do horário de entrega de mercadorias em quatro horas e até o último dia 4 para atender a um pedido do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Nova Friburgo (Setcanf), que justificou os impactos provocados pela recente mobilização dos caminhoneiros, que afetou o abastecimento de alimentos e outros produtos em todo o país.

“Com a ampliação do horário, o trânsito terá maior fluidez, também. Por conta do curto período de apenas quatro horas, às vezes tinha empresa que enviava três caminhões de uma só vez, agora com o horário ampliado, menos veículos se acumularão nas baias para carga e descarga no centro da cidade”, declarou Evaristo Monteiro, presidente do Setcanf, naquela ocasião.

Em entrevista para A VOZ DA SERRA em junho, Monteiro disse que empresários tinham a expectativa de que, caso a experiência desse certo, o horário de carga e descarga permaneceria até às 15h definitivamente. Procurado nesta quinta-feira, 12, ele afirmou que continua discutindo com o secretário da Smomu, Marques Herinques, estratégias para que a entrega de mercadorias não impacte o trânsito, sobretudo nas vias mais movimentadas da cidade.

Publicidade
TAGS: