Nova Friburgo tem o 1º caso confirmado de febre amarela

Ainda há outros 3 casos suspeitos. Prefeitura intensifica vacinação em áreas rurais do município como ação de bloqueio da doença
sexta-feira, 19 de janeiro de 2018
por Karine Knust
Foto de capa
Huguenin entre as subsecretárias Fabíola (à direita) e Ariadna (Foto: Divulgação PMNF)

A Secretaria estadual de Saúde confirmou, às 18h50 desta quinta-feira, 18, o primeiro caso de febre amarela em Nova Friburgo em 2018. O município aparece entre os 13 casos de febre amarela silvestre em humanos, confirmados no estado pela Subsecretaria de Vigilância em Saúde neste início de ano, ao lado de Teresópolis (3 casos, sendo um óbito); Valença (7 casos, sendo 3 óbitos); Petrópolis (1 caso); e Miguel Pereira (1 caso, sendo um óbito).

Horas antes, durante entrevista coletiva, a Secretaria municipal de Saúde informara que Nova Friburgo trabalhava com a notificação de quatro casos, até então ainda considerados suspeitos da doença. Restam, portanto, ainda três casos sob suspeita e em análise laboratorial na Fiocruz.

Ainda não se sabe qual foi o caso que teve positividade para a doença confirmada. Dos casos suspeitos, dois foram atendidos por hospitais particulares da cidade, um deu entrada na UPA de Conselheiro Paulino e o outro, no Hospital Municipal Raul Sertã. De acordo com o governo municipal, apenas um desses pacientes é morador de Nova Friburgo: os demais são de Sumidouro e Duas Barras.

O paciente friburguense, um jovem de 23 anos, estava internado no Hospital Raul Sertã, mas foi transferido na última terça-feira, 16, para o Instituto Nacional de Infectologia da Fiocruz (INI-Fiocruz), no Rio de Janeiro. Segundo a Secretaria de Saúde, o rapaz é morador do loteamento Maringá, em Riograndina, e não tem histórico de viagens recentes, o que poderia indicar que a doença - caso este caso seja de fato o confirmado - tenha sido adquirida aqui mesmo em Nova Friburgo.

A coletiva, que também abordou as ações planejadas pelo governo municipal, contou com a participação do secretário de Saúde, Christiano Huguenin, e as subsecretarias de Atenção Básica à Saúde e Vigilância em Saúde, Ariadna Heringer e Fabíola Braz Penna.

Para evitar que a doença se instale no município, a pasta está colocando em prática uma série de ações do chamado “Plano de Resposta ao Alerta por Febre Amarela”. A principal delas é a intensificação de bloqueio do vírus em áreas rurais. “Fizemos uma visita domiciliar à família do friburguense com suspeita da doença e uma ação para identificar as pessoas que ainda não haviam tomado a dose da vacina naquela área. Também disponibilizamos a vacinação na Unidade de Saúde de Riograndina já nesta quinta-feira”, afirmou a subsecretária de Atenção Básica em Saúde, Ariadna Heringer, acrescentando que “mais interessante do que montar uma estratégia no Centro da cidade é a gente conseguir montar um plano de imunização nas regiões mais vulneráveis. Por isso neste momento estamos trabalhando mais intensamente com o bloqueio (vacinação) das áreas mais afastadas”, explicou.

Apesar da situação alarmante, de acordo com Ariadna, muitas pessoas ainda têm resistência a tomar a dose da vacina. “Nós precisamos que as pessoas sejam imunizadas, principalmente as que vivem em área de risco. Mas, infelizmente, na região  de mata, que apresenta maior vulnerabilidade, muitas pessoas não querem ser imunizadas”, revela a subsecretária.

Nova Friburgo teve um caso de morte por febre amarela, confirmado pela Secretaria estadual de Saúde, em 2017. Segundo o órgão, entretanto, a vítima - que seria um homem morador de Mury - contraiu a doença durante uma viagem a Casimiro de Abreu, na Baixada Litorânea.

  • Corrida aos postos

Na manhã desta quarta-feira, 17, muita gente foi ao Posto Sylvio Henrique Braune, no Suspiro, em busca de imunização contra a febre amarela. Às 10h40, havia cerca de 400 pessoas aguardando a vez, muitas delas com crianças no colo. Naquele horário, a espera já durava mais de duas horas, e muitos desistiram.

Em respostas a diversas reclamações postadas nas redes sociais sobre a demora no atendimento, o secretário municipal de Saúde, Christiano Huguenin, disse nesta quinta-feira que será montada "uma estratégia para ter profissionais disponíveis nos postos em número suficiente para dar o atendimento que a população merece. A demanda cresceu muito por causa desse alerta de novos casos suspeitos, por isso é quase inevitável termos filas nas unidades. Pedimos a compreensão de todos”, afirmou.

  • Campanhas de vacinação

O Dia D de vacinação contra a febre amarela permanecerá sendo o sábado, 27. A campanha vai acontecer em todas as unidades de saúde do município, incluindo o Posto de Atendimento do Terra Nova, das 9h às 16h. 

“Mas não é preciso esperar o Dia D para buscar a imunização”, alerta Huguenin”. Isso porque a vacinação contra a febre amarela em Nova Friburgo não parou. Os cinco maiores postos de saúde do município permanecem disponibilizando as doses. Às segunda-feiras, das 9h às 16h, a imunização acontece no Posto de Saúde de Conselheiro Paulino. Às quartas-feiras, também das 9h às 16h, é a vez do Posto Sylvio Henrique Braune, no Suspiro. Já nas quinta-feiras, é possível se vacinar no Posto de São Geraldo, das 8h às 11h. Nas sextas-feiras, a imunização é oferecida em duas unidades: das 8h às 11h no Posto do Cordoeira e das 9h às 16h no Posto Tunney Kassuga, em Olaria.

Também dentre as atividades do chamado “Plano de Resposta ao Alerta por Febre Amarela” está a imunização itinerante em bairros mais afastados do centro da cidade. Entre os dias 22 a 25 de janeiro, das 9h às 13h, equipes também estarão vacinando moradores das localidades de Janela das Andorinhas e Alto dos Michéis, Pilões, Três Cachoeiras, Alto dos Vieiras, Fazenda Mendes, Cardinot, Buraco do Sapo, Ponte Preta, Prainha e Coelhão. Além dessas regiões, também haverá vacinação nas unidades de Saúde de Campo do Coelho dia 22,  Centenário na terça, 23, Conquista na quarta, 24, e São Lourenço na quinta, 25.

O QUE VOCÊ MAIS PRECISA SABER:

  • Segunda dose, não

“Seguimos a orientação do Ministério da Saúde que considera uma pessoa imunizada quem já tomou uma dose apenas da vacina na vida. Quem já foi imunizado no ano passado não precisa se vacinar de novo”, alertou a subsecretária de Atenção Básica de Saúde, Ariadna Heringer.  

  • Fracionamento da vacina

Nos últimos dias, o governo federal tem anunciado o fracionamento das vacinas contra a febre amarela. Com a dose fracionada, a pretensão é conseguir imunizar mais pessoas em um curto período. Em Nova Friburgo, porém, essa medida não será implementada. Pelo menos, é o que esclarece a subsecretária de Vigilância em Saúde, Fabíola Braz Penna.

“Nova Friburgo não entra na relação de municípios que vão receber doses fracionadas. Nós vamos continuar com a vacinação de rotina porque no momento que passamos a ser uma área também de risco essa vacina permanece com a dose plena”, afirmou.

  • Estoque de vacinas

Em 2017, segundo a Secretaria municipal de Saúde, cerca de 110 mil pessoas foram vacinadas contra a febre amarela em Nova Friburgo. Já nestes primeiros dias de 2018, 1.200 vacinas foram aplicadas. “Atualmente, temos um estoque de 20 mil doses disponíveis. Mas, se for preciso, o estado está pronto a nos reabastecer”, acrescentou Fabíola.

  • Casos de restrição

Para se vacinar, adultos devem levar um documento de identidade. Crianças de até 12 anos precisam apresentar a carteira de vacinação e pessoas com mais de 60 e alérgicos só recebem a vacina com prescrição médica. É recomendado ainda que pessoas com doenças ou que fazem uso de medicamentos contínuos também passem por avaliação médica antes de tomar a dose.

  • Não culpe os macacos

É importante esclarecer que o macaco não é o transmissor da febre amarela e tampouco culpado pela doença. Por ser uma das vítimas, ele, inclusive, é muito importante para o monitoramento da doença por sinalizar que algo está acontecendo. “Se alguém encontrar um macaco morto seja em reserva ou próximo a domicílios, é preciso comunicar o caso a Vigilância Ambiental, que vai ao local para remover esse animal e levar para análise para saber as causas da morte”, orienta Fabíola. O telefone da Vigilância Ambiental é (22) 2543-6293.

 

LEIA MAIS

Prefeitura fez seleção de 58 médicos e sete farmacêuticos temporários. Veja a lista aqui

Todas as crianças de 1 a 4 anos, mesmo as já imunizadas, têm que ser vacinadas. Dia D será dia 18

Obras já deveriam ter sido iniciadas em junho. Recurso de emenda parlamentar pode ser bloqueado

Publicidade
TAGS: saúde