Mutirão para prevenir câncer de pele atendeu centenas

Foram realizadas gratuitamente 231 consultas, com 36 procedimentos cirúrgicos, sábado no posto do Suspiro
segunda-feira, 04 de dezembro de 2017
por Guilherme Alt
Foto de capa
A fila no posto (foto: Henrique Pinheiro)

No último sábado, 2, mais de 200 pessoas foram atendidas gratuitamente no posto de saúde Sílvio Henrique Braune, no Suspiro, durante o mutirão da campanha nacional de prevenção ao câncer de pele. Por conta da grande procura pelo serviço, a equipe de dermatologistas passou da hora prevista para o encerramento das atividades. A população foi atendida pelos médicos Akira Iwamoto, Andréa Dias de Oliveira, André Vianna da Silva, Penélope Fernandes e Reynaldo Herdy, além de Solange Freitas, uma das organizadora da campanha na cidade.

De acordo com Solange, foram realizados 231 atendimentos. Dez pacientes foram submetidos a microcirurgias para a retirada de 16 lesões. Pelo menos, 20 pacientes precisaram fazer cauterizações com lesões pré malignas. Em três casos foram detectados melanomas malignos (tipo mais grave do câncer de pele), em 21 casos foram detectados carcinoma baso celular (câncer de pele mais comum) e um paciente encaminhado para o Instituto Nacional do Câncer (Inca).

“Improvisamos uma sala para realizar pequenos procedimentos e conseguimos resolver alguns problemas na hora. Em outros encaminhamos para um acompanhamento mais apurado. Nós só conseguimos realizar tantos atendimentos em pouco tempo graças a equipe de apoio que contou com a participação de Ariadna Heringer, subsecretaria de atenção básica da Secretaria Municipal de Saúde; Brunno Luiz Constantino, diretor administrativo do posto de saúde; Juliana Sepúlveda, enfermeira e as técnicas de enfermagem, Cléa Basílio e Odaléa Noel”, finalizou Solange.

 

LEIA MAIS

Além do diagnóstico preciso, equipamento oferece rapidez, conforto e mais segurança aos pacientes

Mutirão de dermatologistas do movimento Dezembro Laranja dará consultas gratuitas no posto do Suspiro

Emenda à Lei Orgânica, de autoria do Executivo e do MPT, pode proibir terceirização de toda atividade-fim no município

Publicidade
Agora Faz
TAGS: saúde