Mudanças em linhas de ônibus geram reclamações de usuários

Ao todo, 7 itinerários foram alterados desde segunda-feira. Segundo a Faol, mudanças visam a dar mais velocidade às viagens
quarta-feira, 11 de outubro de 2017
por Dayane Emrich
Foto de capa

Desde a última segunda-feira, 9, quando começaram a valer as mudanças em algumas linhas de ônibus que atendem ao distrito de Conselheiro Paulino, a redação da VOZ DA SERRA vem recebendo reclamações de diversos usuários do transporte público. Além da falta de informação nos pontos, o aumento no tempo de espera e a mudança de itinerário que fez algumas linhas deixarem de passar pela Avenida Alberto Braune lideram as queixas.

As alterações mais importantes aconteceram nas linhas que atendem ao eixo Olaria-Conselheiro Paulino, especialmente a 205 (Centro-São Jorge) e 205-1 (Centro-São Jorge via Três Irmãos e a linha Centro-Terra Nova. Com a mudança, essas linhas tiveram seu percurso estendido até o bairro Olaria, passando a ter o mesmo itinerário e novos códigos de numeração: 001 (Olaria-Conselheiro) e 007 (Olaria-São Jorge e Olaria-São Jorge via Três Irmãos). Em contrapartida, a linha 401 (Olaria-Centro) teve o itenerário prolongado até o centro do distrito de Conselheiro Paulino. A linha 206 passou agora a ligar o Centro ao Alto do Floresta, via Loteamento Floresta.  

Como consequência, no sentido Conselheiro Paulino-Olaria, todas as linhas continuaram a passar pela Estação  Livre e a Avenida Alberto Braune. Já no sentido Olaria-Conselheiro, todas as linhas agora seguem pelas avenidas Comte Bittencourt e José Ruiz Boléia não passando mais pela Estação Livre e a Avenida Alberto Braune, o que para muitos usuários não foi positivo. “Agora somos obrigados a pegar os ônibus na avenida. Além deles estarem ainda mais lotados, já que vêm lotados de Olaria, os ônibus demoram mais a passar, pois o trajeto é maior”, relata a vendedora Maria Cláudia Motta.

Ainda segundo essa usuária, a falta de informação também prejudicou. “Fiquei mais de 30 minutos esperando por um ônibus na Alberto Braune até ser informada que eles agora seguem direto  pela Comte Bittencourt”.

Outra linha que teve o percurso estendido até o bairro Olaria foi a que atende ao condomínio Terra Nova. Ela deixou de ter a numeração 208-1 (Terra Nova-Centro), e passou a ser a linha 005 (Olaria-Terra Nova). “Falaram que isso beneficiaria os moradores do bairro, mas está pior. Parece que reduziram o número de ônibus nessa linha. Desde o início da semana tenho ficado mais de uma hora e meia no ponto esperando e quando o ônibus chega, está lotado”, conta a manicure Stefanie Martins. Continuam passando pela Estação Livre e a Avenida Alberto Braune, em direção a Conselheiro Paulino, as linhas que ligam o Centro ao Alto do Floresta, Fazenda da Laje, Furnas, Santo André, Jardinlândia, Jardim Califórnia e Riograndina.   

Procurada pela VOZ DA SERRA, a  nova direção da empresa  Friburgo Auto Ônibus (Faol), por nota, esclareceu que “aa mudanças efetuadas visam a dar mais velocidade na realização das viagens, melhorando sua frequência e reduzindo os intervalos de espera. O fato de no sentido Olaria-Conselheiro Paulino os coletivos de algumas linhas não passarem mais pela Avenida Alberto Braune ajuda a reduzir o tempo de viagem e a desafogar em parte o trânsito em torno da Estação Livre”.

Sobre as queixas da falta de informação nos pontos, a empresa explicou que avisos foram afixados nos pontos, na Estação Livre e no interior dos ônibus.  Segundo a Faol, as associações de moradores também foram avisadas, e fiscais foram deslocados para os pontos para auxiliar a população.

Conforme reportagem divulgada na última segunda-feira, 9, a empresa explicou que o objetivo da mudança nas linhas entre Conselheiro Paulino e Olaria é fortalecer o principal eixo de transporte de passageiros da cidade. Na ocasião, a Faol informou que com as alterações, o tempo máximo de espera por um coletivo interligando as duas localidades será de aproximadamente dez minutos nos períodos de pico.

 

LEIA MAIS

Na maioria dos casos flagrados pela empresa, o cartão pertence a estudantes, mas é utilizado por outras pessoas

Arlete da Silva Cabral era avó de menino que sobreviveu. Bombeiro, que também morreu, tinha epilepsia

Militar estava afastado da corporação por sofrer de epilepsia. Colisão envolveu a moto dele e mais 2 carros

Publicidade
Agora Faz
TAGS: Trânsito