Mortandade de pássaros no Centro pode virar caso de polícia

Aves encontradas sem vida na Avenida Campesina podem ter sido envenenadas. Ibama e Subsecretaria municipal do Bem-Estar Animal já investigam
quarta-feira, 12 de julho de 2017
por Alerrandre Barros
Foto de capa
Os pássaros mortos na Avenida Campesina Friburguense: suspeita de envenenamento (Foto enviada por leitor)

A Subsecretaria municipal do Bem-Estar Animal (Subea) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) vão averiguar por que mais de 20 pássaros, entre pombos, rolinhas, canários e sabiás, foram encontrados mortos na manhã desta terça-feira, 11, na Avenida Campesina Friburguense, no centro de Nova Friburgo. Os animais podem ter sido envenenados.

“Vamos registrar um boletim de ocorrência na delegacia para que a polícia investigue a suspeita de crime ambiental. É importante alertar a população que jogar comida envenenada nas ruas ou às margens de rios é perigoso, porque coloca animais e até nós, seres humanos, em risco”, disse a subsecretária da Subea, Monique Malhard.

Os pássaros foram vistos caindo das árvores, próximo à ponte da Rua Comandante Ribeiro de Barros na esquina com a Campesina. Vários teriam sido levados pelas águas do Rio Santo Antônio. Outros estavam mortos nos telhados de casas e comércios. Segundo um leitor, que não quis se identificar, é comum moradores alimentarem os animais na região.

“Eu estava indo para o trabalho e encontrei essa cena deplorável. Alguma pessoa sem coração deve ter envenenado os pássaros. Não é assim que se resolve o problema do excesso de pombos”, disse o homem, que enviou fotos dos animais mortos e enfileirados em uma calçada para o WhatsApp de A VOZ DA SERRA (22) 99213-9995.  

Ainda pela manhã, por volta das 11h, havia pombos mortos às margens e dentro do rio. Uma rolinha estava agonizando perto de uma árvore, onde havia milho triturado. De acordo com um comerciante, os pássaros que estavam na calçada foram colocados numa caixa por um rapaz e jogados no lixo, porque estavam atraindo cachorros e curiosos.

 

O suposto envenenamento dos pássaros pode ter sido motivado pela proliferação dos pombos na região. Quem passa pela Avenida Campesina vê várias aves no trecho ou numa casa abandonada do outro lado do rio. O imóvel teria se tornado, segundo moradores, um local de reprodução da espécie.

Aparentemente inofensivos, os pombos podem transmitir doenças pelas fezes ou pela plumagem, segundo o coordenador da Vigilância em Saúde Ambiental, Felipe Oliveira. “Quando secam, as fezes, contaminadas por fungos e bactérias, podem se misturar ao ar e ser inaladas, causando doenças nos aparelhos respiratório e digestivo. A plumagem do pombo pode causar alergias e dermatites”.

Para evitar isso, a pessoa não deve varrer as fezes secas dos pombos, mas umedecê-las com água e sempre usar máscara ou pano úmido na boca e nariz no momento da limpeza. O uso de água sanitária ou cloro também é recomendado. A população não deve alimentar as aves para evitar proliferação da espécie. Em Friburgo, a Vigilância Ambiental pode ser acionada para controlar o excesso de aves em uma região.  

 

LEIA MAIS

Já pensou em tratar enfermidades utilizando energia das plantas?

A coluna "Meu Bairro Sustentável" de Renata de Rivera

Doação do Rotary de Teresópolis, com apoio dos cinco Rotary clubes de Friburgo, as futuras árvores são um presente para o bicentenário de Friburgo

Publicidade
Agora Faz