Marlon Moraes bate Dodson no 1º confronto no UFC e quer mais

Peso-galo friburguense já propõe outra luta, agora com Jimmie Rivera, no fim de dezembro
terça-feira, 14 de novembro de 2017
por Vinicius Gastin
Foto de capa
Marlon teve o controle do combate na maioria do tempo, e saiu vitorioso do octógono

Marlon Moraes sentiu o gosto de ter o braço erguido pela primeira vez ao final de um combate pelo UFC. E ele, obviamente, gostou. Tanto é que já propôs uma nova luta para o próximo, como quem parece afirmar que está pronto para voar na organização. E rápido. Na mesma velocidade dos socos, chutes e movimentos que o fizeram vencer John Dodson em luta equilibrada, por decisão dividida dos juízes (30-27, 27-30, 30-27). O lutador peso-galo (até 61 quilos) de Nova Friburgo venceu pela primeira vez na organização no último sábado, 11, em Norfolk, nos Estados Unidos, e agora soma 19 vitórias no cartel.

Ainda em cima do octógono, Moraes fez uma rápida avaliação sobre a luta, e discordou de um dos árbitros que considerou melhor a performance de Dodson. Sem papas na língua, o friburguense ainda mandou um recado a Jimmie Rivera e pediu o lugar do lesionado Dominick Cruz, em luta marcada para o dia 30 de dezembro, pelo UFC 219, em Las Vegas.

“Eu acho que venci os três rounds, e penso que um dos juízes não viu a luta. Ganhei do John Dodson, e ele venceu o campeão, TJ Dillashaw. Tenho muito respeito por este cara, ele bateu o campeão, e tenho algo a dizer: 30 de dezembro, me deem Jimmie Rivera. Ele não tem adversário, e eu quero enfrentá-lo. Sean Shelby, me mande o contrato”, disparou Marlinho, atual número nove no ranking da categoria.

O duelo

Equilibrado como previsto, o embate entre os dois lutadores foi também bastante movimentado. No início da luta, enquanto Marlon Moraes ainda tentava se soltar, Dodson conectou um bom direto e, com uma direita, fez os joelhos do atleta de Nova Friburgo se dobrarem num knockdown. Mostrando uma mão pesada, o americano conectou alguns bons golpes no primeiro round. A luta chegou a ficar parada depois que uma canelada de Marlon atingiu a genitália do adversário.

De volta ao combate, Dodson ainda acusou um dedo no rosto depois, e Marlon foi chamado a atenção pelo árbitro. A ansiedade estampada no rosto do friburguense não atrapalhava o rendimento, mas exigia uma postura diferente no round seguinte.

Marlon voltou ao segundo round com mais repertório e postura mais agressiva. Desta forma, logo no início, encaixou um cruzado de direita no rosto do americano. Os chutes nas costelas de Dodson castigaram o adversário, que já mostrava uma vermelhidão no local. Um cruzado de direita de Marlon ainda machucou Dodson. O lutador de Nova Friburgo ainda tentou dois ataques nas pernas do americano, que conseguiu defender com eficiência. O Marlon imbatível do WSOF havia despertado no octógono.

No último round, Dodson tentou uma combinação de jabs e cruzados no rosto de Moraes. Ao seu estilo, Marlinho respondeu com um chute baixo, e na sequência, conectou um cruzado de encontro. Chutou por dentro com a direita, mas escorregou. Dodson aproveitou o momento para aplicar golpes curtos e rápidos. Mas ao partir para cima, teve como respostas alguns cruzados de esquerda na cabeça.

Marlon também tocou o rosto do rival com um jab, reassumindo assim as rédeas do combate. Tanto é que por muito pouco não conseguiu finalizar o oponente no fim da luta. Moraes foi rápido, conseguiu pegar as pernas de Dodson, que reclamou de falta, ignorada pelo juiz. Marlon ainda puxou para a guilhotina no final do duelo, mas já não dava tempo de mais nada. Restou aguardar a decisão dos juízes, desta vez favorável ao atleta de Nova Friburgo.

 “Eu realmente tentei deixar o meu coração dentro dessa luta. O Dodson é um atleta difícil de enfrentar, mas acho que fiz uma boa estratégia. Poderia ter soltado um pouquinho mais, ter misturado mais, mas ele é um adversário difícil de ganhar. Estou muito feliz com a vitória. Agora é voltar para a academia e trabalhar ainda mais. Mostrei que eu posso vencer qualquer um nesse top 10. Será uma luta dura”, disse Marlinho através da rede social oficial do UFC, logo após a vitória.

Marlon Moraes, de 29 anos, estreou no Ultimate em junho deste ano, quando perdeu por decisão dividida para o compatriota Raphael Assunção no UFC 212, no Rio de Janeiro. Após esse duelo, o atleta de Nova Friburgo teve interrompida a sequência de 13 resultados positivos consecutivos, e voltou a perder depois de seis anos. Desta forma, o campeão peso galo do WSOF, título que ostentou entre março de 2014 até janeiro de 2017, volta a comemorar e ampliar o cartel, que agora conta com 19 vitórias, cinco derrotas e um empate.

Resultados - UFC Norfolk:

- Card principal

Dustin Poirier venceu Anthony Pettis por nocaute técnico

Matt Brown venceu Diego Sanchez por nocaute

Andrei Arlovski venceu Júnior Albini por decisão unânime

Cezar Mutante venceu Nate Marquardt por decisão dividida

Raphael Assunção venceu Matthew Lopez por nocaute

Clay Guida venceu Joe Lauzon por nocaute técnico

 

- Card preliminar

Marlon Moraes venceu John Dodson por decisão dividida (30-27, 27-30, 30-27)

Tatiana Suarez venceu Viviane Sucuri por decisão unânime

Sage Northcutt venceu Michel Quiñones por decisão unânime

Nina Ansaroff venceu Ângela Hill por decisão unânime

Sean Strickland venceu Court McGee por decisão unânime

Jake Collier venceu Marcel Fortuna por decisão unânime

Karl Roberson venceu Darren Stewart por finalização

 

LEIA MAIS

Edson Barboza treina forte para desafio decisivo contra top 2 do ranking do UFC. Luta pode ser passaporte para disputa do cinturão

Nadadora Jhennifer Alves e lutadores Edson Barboza e Marlon Moraes recebem Medalha do Mérito Esportivo

Jhennifer Alves, Edson Barboza e Marlon Moraes vão receber na segunda a Medalha de Mérito Esportivo Swian Zanoni, a maior honraria relacionada ao esporte concedida pelo Legislativo municipal

Publicidade
Agora Faz
TAGS: UFC