Luta contra a Aids tem testes gratuitos de HIV e sífilis em Friburgo

Ação acontecerá no posto do Suspiro e na Pastoral pela Vida, desta terça até sexta-feira
segunda-feira, 27 de novembro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa

Desta terça-feira, 28, até sexta-feira, 1º de dezembro - Dia Mundial de Luta Contra a Aids -, os friburguenses poderão fazer testes de HIV e sífilis gratuitamente. Desenvolvida pela Secretaria municipal de Saúde e a Pastoral pela Vida, a ação acontece na Policlínica Sylvio Henrique Braune, no Suspiro, e na sede da pastoral, Rua Major Major Marques Braga, no Centro. De acordo com a Secretaria de Saúde, o resultado é rápido. Com apenas 20 minutos e uma gota de sangue da ponta do dedo é possível fazer o diagnóstico da doença.

A programação da campanha especial de conscientização e prevenção contra HIV e Sífilis será dividida em duas etapas. Na Policlínica Sylvio Henrique Braune, o teste rápido de diagnóstico do HIV e o teste triagem da sífilis por punção digital acontecem nesta terça e quarta-feira, 28 e 29, das 8h às 12h; na quinta-feira, 30, das 13h às 16h; e na sexta-feira, 1º de dezembro, das 8h às 12h e das 13h às 16h. Também nesta sexta-feira, 1º, às 8h, a Catedral São João Batista ainda sedia uma missa em ação de graças pela vida e um café da manhã para os portadores, em parceria com a Pastoral pela Vida. Na pastoral, inclusive, o testes do HIV por fluído oral também estarão disponíveis nesse dia, das 9h às 16h.

Ainda segundo a Secretaria de Saúde, o teste de Aids não deve ser feito de forma indiscriminada e a todo momento, o aconselhável é que o exame seja feito por quem tenha passado por uma situação de risco. Vale lembrar que para participar da ação, é necessário apresentar documento original com foto.

O HIV pode ser transmitido por relações sexuais desprotegidas (sem o uso do preservativo); pelo compartilhamento de agulhas e seringas contaminadas; de mãe para filho durante a gestação, o parto e a amamentação; e por transfusão de sangue. Após a infecção pelo HIV, o sistema imunológico demora cerca de um mês para produzir anticorpos em quantidade suficiente para serem detectados pelo teste. Por conta disso, o mais aconselhável é que se faça o exame após esse período.

Conscientização e prevenção

A campanha que acontece esta semana na cidade, faz parte do movimento “Dezembro Vermelho”. Publicado em outubro passado, no Diário Oficial da União o marco tem foco na prevenção, assistência, proteção e promoção dos direitos humanos das pessoas que vivem com HIV/Aids. Além disso, o Dia Mundial de Luta Contra a Aids é um convite à solidariedade com quem vive com HIV e está em situação de vulnerabilidade ou exclusão. Também é uma oportunidade para combater a discriminação e preconceito, denunciar a falta de acesso aos serviços e aos direitos e incentivar as pessoas a fazer o teste do HIV e fortalecer a política de acesso universal à prevenção, tratamento e cuidado.

De acordo com o governo federal, o Brasil assumiu o compromisso dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, proposto junto à Organização das Nações Unidas (ONU), sendo uma de suas metas combater e reverter a tendência atual de propagação do HIV/Aids. Com isso, o país busca como parte das ações de enfrentamento à epidemia de HIV, atingir a meta 90-90-90, a qual estabelece que, até 2020, 90% das pessoas com HIV sejam diagnosticadas (ampliando o acesso ao diagnóstico do HIV); destas, 90% estejam em tratamento antirretroviral (ampliando o acesso à TARV); e que, dentre estas, 90% tenham carga viral indetectável (indicando boa adesão ao tratamento e qualidade da assistência à PVHIV).

Vale lembrar que o HIV não é transmitido pelo beijo, toque, abraço, aperto de mão, compartilhamento de toalhas, talheres, pratos, suor ou lágrimas. Portanto, toda pessoa soropositiva pode e deve receber muito carinho e atenção.

 

LEIA MAIS

Só na unidade de Olaria, fila da vacinação chegou a ter mais de 4 horas de espera; morador do Cônego é novo caso suspeito

Ainda há outros 3 casos suspeitos. Prefeitura intensifica vacinação em áreas rurais do município como ação de bloqueio da doença

Unidade do Suspiro tem fila de 400 pessoas e mais de duas horas de espera na manhã desta quarta

Publicidade
Agora Faz
TAGS: saúde