Luta Antimanicomial com show e atividades em Friburgo

Evento conta com oficinas, intervenções, dança, música e poesia
terça-feira, 16 de maio de 2017
por Guilherme Alt
Foto de capa
Atividade pelo Dia Nacional da Luta Antimanicomial em 2016 (Foto: Arquivo AVS)

Instituído no calendário oficial de Nova Friburgo, a “Lei Silvio Poeta”, o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, lembrado sempre em 18 de maio, passou a ser celebrado na cidade. Neste ano as atividades relativas à data começarão dois dias antes, em 16 de maio, no aniversário de Nova Friburgo, com apresentação da banda Harmonia Enlouquece, na Via Expressa. No dia seguinte, em 17 de maio, o evento terá continuidade com uma série de ações na Estação Livre, no Centro, fechando com mais uma apresentação musical, desta vez com a banda Engajados. As ações são promovidas pela Secretaria Municipal de Saúde, através da coordenação de Saúde Mental.

O Dia Nacional da Luta Antimanicomial também fará parte da programação dos 199 anos de Nova Friburgo. Na próxima terça-feira, 16, a banda Harmonia Enlouquece se apresentará no palco da Via Expressa, em Olaria, a partir das 13h30. Formada no final do ano 2000, a banda é composta por pacientes do Centro Psiquiátrico Rio de Janeiro (CPRJ). Mais de 42 pacientes e ex-pacientes já passaram pelo conjunto, que coleciona prêmios e já teve até música na novela Caminho das Índias, da Globo, em 2009.

Na quarta-feira, 17, as ações relativas ao Dia Nacional da Luta Antimanicomial continuam. Durante todo o dia diversas atividades, serão promovidas na Estação Livre, no Centro. Serão propostas oficinas, intervenções urbanas, dança, música e poesia. Por fim, encerrando as atividades, terá apresentação musical com a banda Engajados.

Apesar de reconhecer que ainda há muito a ser feito pela Luta Antimanicomial, a coordenadora de Saúde Mental do município, Roberta de Almeida Garcia, acredita que Nova Friburgo está evoluindo nesse sentido: “Estamos caminhando para a implementação da rede de atenção psicossocial já existente, para a implantação dos Caps AD e CAPSi , que são os dispositivos para o tratamento de pessoas em uso prejudicial ou abusivo de álccol e outras drogas e para o tratamento de casos mais complexos de crianças e adolescentes, assim como para a implantação de três residências terapêuticas”, afirma.

Publicidade
Agora Faz