Fricine começa na semana que vem no Teatro Sania Cosmelli

Entre as 62 produções levadas ao Colégio Nossa Senhora das Dores está o espanhol “Suicídio”, seguido de debate
terça-feira, 07 de novembro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
Cena do filme "Suicídio"

De 14 a 19 de novembro (de terça-feira a domingo da próxima semana), Nova Friburgo vai sediar o 6º Festival Internacional de Cinema Socioambiental (Fricine), com exibição de filmes do Brasil e do mundo sobre a diversidade socioambiental do planeta. O evento tem como objetivo estimular a sociedade civil a debater os desafios que a indiferença, o consumo desenfreado, o crescimento desordenado das cidades e a desigualdade econômica e social impõem a toda a sociedade.     

O festival - cujo tema este ano é a frase shakespeariana “há mais coisas entre o Céu e a Terra...” -, será aberto, no dia 14, às 19h, com exibição do documentário “Dedo na Ferida”, do diretor Sílvio Tendler, que estará presente, no Teatro Sania Cosmelli. Outra questão a ser abordada é a do suicídio, essa dolorosa epidemia que cresce exponencialmente, em escala planetária, mas é pouco debatida. Esta síndrome de desalento e desespero que atinge a pobres e ricos, jovens e idosos, já é considerada a segunda causa de morte não natural no mundo inteiro e, em alguns países, como a Espanha, chega a ser a primeira.

Para oferecer ao público a oportunidade de debater as causas e possíveis prevenções do suicídio, que em Nova Friburgo também exibe uma triste estatística, o Fricine terá entre seus 62 filmes longas, curtas e médias metragens, o filme “Suicídio“, dirigido pelo espanhol Juan Mateos Diaz, ficção/documentário com 60 minutos, realizado em 2017, seguido de uma palestra apresentada por Norma Liliani de Souza Pinto, da coordenação do CVV – Centro de Valorização da Vida/RJ.

A todos que, de uma forma ou outra, se interessam em saber mais sobre este grave problema psicológico e socioambiental, a organização do Fricine convida para assistirem a palestra do CVV logo após a exibição do filme, no Teatro Sania Cosmelli, dia 16, às 18h30. O público contará ainda com uma extensa programação no Fricine, com mostra de filmes em realidade virtual, debates, palestras, entre elas uma com o multipremiado diretor Marcos Ferreira sobre produção audiovisual e inovação tecnológica.

Outro grande destaque desta edição ocorrerá no encerramento do festival com a apresentação do monólogo “Marx baixou em mim – Uma comédia indignada”, de Howard Zinn, com tradução de Tereza Briggs-Novaes, dirigida e interpretada por Jitman Vibranovski. A programação é totalmente franqueada ao público e divulgada na internet nos endereços do festival na internet www.fricine.com.br e www.facebook.com/fricine.

 

LEIA MAIS

Cidade vai na contramão do país, que bateu em abril recorde de 1975, atingindo pico histórico de 3.279 pontos em funcionamento

Filme “Antes que eu me esqueça” conta com dois talentos de uma família da cidade

Cineasta Jean-Théo Aeby vai participar de uma das sessões e oferecer um workshop

Publicidade
TAGS: Cinema