Fricine começa na semana que vem no Teatro Sania Cosmelli

Entre as 62 produções levadas ao Colégio Nossa Senhora das Dores está o espanhol “Suicídio”, seguido de debate
terça-feira, 07 de novembro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
Cena do filme "Suicídio"

De 14 a 19 de novembro (de terça-feira a domingo da próxima semana), Nova Friburgo vai sediar o 6º Festival Internacional de Cinema Socioambiental (Fricine), com exibição de filmes do Brasil e do mundo sobre a diversidade socioambiental do planeta. O evento tem como objetivo estimular a sociedade civil a debater os desafios que a indiferença, o consumo desenfreado, o crescimento desordenado das cidades e a desigualdade econômica e social impõem a toda a sociedade.     

O festival - cujo tema este ano é a frase shakespeariana “há mais coisas entre o Céu e a Terra...” -, será aberto, no dia 14, às 19h, com exibição do documentário “Dedo na Ferida”, do diretor Sílvio Tendler, que estará presente, no Teatro Sania Cosmelli. Outra questão a ser abordada é a do suicídio, essa dolorosa epidemia que cresce exponencialmente, em escala planetária, mas é pouco debatida. Esta síndrome de desalento e desespero que atinge a pobres e ricos, jovens e idosos, já é considerada a segunda causa de morte não natural no mundo inteiro e, em alguns países, como a Espanha, chega a ser a primeira.

Para oferecer ao público a oportunidade de debater as causas e possíveis prevenções do suicídio, que em Nova Friburgo também exibe uma triste estatística, o Fricine terá entre seus 62 filmes longas, curtas e médias metragens, o filme “Suicídio“, dirigido pelo espanhol Juan Mateos Diaz, ficção/documentário com 60 minutos, realizado em 2017, seguido de uma palestra apresentada por Norma Liliani de Souza Pinto, da coordenação do CVV – Centro de Valorização da Vida/RJ.

A todos que, de uma forma ou outra, se interessam em saber mais sobre este grave problema psicológico e socioambiental, a organização do Fricine convida para assistirem a palestra do CVV logo após a exibição do filme, no Teatro Sania Cosmelli, dia 16, às 18h30. O público contará ainda com uma extensa programação no Fricine, com mostra de filmes em realidade virtual, debates, palestras, entre elas uma com o multipremiado diretor Marcos Ferreira sobre produção audiovisual e inovação tecnológica.

Outro grande destaque desta edição ocorrerá no encerramento do festival com a apresentação do monólogo “Marx baixou em mim – Uma comédia indignada”, de Howard Zinn, com tradução de Tereza Briggs-Novaes, dirigida e interpretada por Jitman Vibranovski. A programação é totalmente franqueada ao público e divulgada na internet nos endereços do festival na internet www.fricine.com.br e www.facebook.com/fricine.

 

LEIA MAIS

"É fundamental que a gente continue atento, se posicionando, falando, sacolejando, evitando que as pessoas se entendiem com a mesmice”, diz cineasta

Entre as atrações do fim de semana, mostra competitiva de curtas, médias e longas e filmes em realidade virtual

Confira as críticas de Leo Arturius e os locais e horários de exibição

Publicidade
Agora Faz
TAGS: Cinema