Friburgo pode receber R$ 1 milhão com projeto de gestão de lixo

Iniciativa que concorre a fundo nacional defende separação em 3 frações: orgânicos, recicláveis (juntos e limpos) e inaproveitáveis
terça-feira, 10 de outubro de 2017
por Renata de Rivera
Foto de capa

Reforçando a importância de tudo que temos dito nas últimas semanas, nos alegramos em informar que o Brasil (mesmo que tardiamente) começa a perceber a importância de ações mitigadoras de nosso impacto no planeta.

O Fundo Socioambiental (FSA) da Caixa Econômica Federal e o Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA) lançaram recentemente um edital de apoio a projetos de compostagem em municípios ou consórcios públicos intermunicipais que atuem na gestão de resíduos sólidos. O prazo para o envio dos projetos é até o próximo dia 20 e no total serão R$10 milhões para projetos.

“Pela primeira vez, teremos um edital específico para os municípios tratarem a fração orgânica dos resíduos, alinhados com a Política Nacional de Resíduos Sólidos”, destacou o secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente, Marcelo Cruz. Os municípios contemplados receberão de R$ 500 mil a R$ 1 milhão para projetos com esse objetivo.

Como plataforma de atuação, o projeto concorrente do edital deve contemplar a segregação dos resíduos na fonte. E o que isso quer dizer? O que geramos no nosso dia a dia deve ser separado em três frações: resíduos orgânicos, recicláveis e rejeitos.

Exemplos de resíduos orgânicos são aqueles que geramos ao preparar nossos alimentos: cascas de legumes, restos de frutas, a borra e o filtro de café. Também são resíduos orgânicos as podas de grama, folhas secas etc.

Os recicláveis, antes recomendado que fossem separados em plástico, papel, vidro e metal, agora podem ser separados numa única fração (limpos e secos, para facilitar o processo de reciclagem e não atrair vetores, além de promover um pouco mais de dignidade ao catador, que não irá mexer num resíduo sujo e malcheiroso).

E finalmente o rejeito, que é o lixo que geramos e que não possui ainda outra destinação se não o aterro sanitário, como o lixo do banheiro, fraldas descartáveis e absorventes por exemplo. E por que estamos falando sobre isso? O motivo é simples. Como você já deve ter imaginado, Nova Friburgo irá se submeter a esse edital. Formamos uma capacitada equipe para desenvolver esse projeto, onde existem representantes da Secretaria municipal de Meio Ambiente, Embrapa, Organokits, Compostonautas e também do Meu Bairro Sustentável.

Estamos desenvolvendo um projeto que deverá ser implantado independente do município ser contemplado nesse edital, porém, essa iniciativa só alcançará seus objetivos se o cidadão aderir ao que for proposto, separando, a partir de agora, tudo o que gerar em três porções: resíduos orgânicos, recicláveis e rejeitos.

Pedimos então que todos os leitores de nossa coluna compartilhem ao máximo essa informação para que alcance a todo o município e assim possamos dar mais um passo (juntos) em prol do desenvolvimento sustentável e da qualidade de vida. Fica aqui então o nosso apelo para o cidadão friburguense. Vamos torcer para que nosso município seja contemplado nesse edital, ou independente disto, vamos todos nos comprometer e exercitar essa nossa responsabilidade. Um abraço a todos os leitores e muito obrigada a todos que tem lido, compartilhado e principalmente colocado em prática as informações aqui passadas!

Empresário, seja um parceiro do Meu bairro sustentável!

Contatos: 22 999383408 - e-mail:meubairrosustentavel@outlook.com

facebook.com/meubairrosustentavel - facebook.com/disqueoleousado

 

LEIA MAIS

Ação civil pública ainda não teve mérito julgado, mas escritório pode fechar as portas já em dezembro

Friburguense planeja finalizar sozinho, ainda neste sábado, coleta de todas as garrafas de vidro deixadas no local

Via foi aberta em área de Mata Atlântica entre Nova Friburgo e Bom Jardim para criação de cavalos e produção agrícola

Publicidade
Agora Faz