Friburgo ficou quase 11 horas sem luz no ano passado

Levantamento da Firjan aponta que média no estado foi de 25 horas sem fornecimento de energia em 2016, enquanto média nacional é de 16 horas
sábado, 15 de julho de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
Nova Friburgo iluminada à noite (Foto: Cris Martins/ Pinterest)

O fornecimento de energia elétrica no Estado do Rio piorou nos últimos cinco anos. De acordo com o estudo “Retrato da qualidade da energia no Estado do Rio de Janeiro”, divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), em média, os municípios fluminenses ficaram 25 horas sem luz em 2016. Na comparação com 2011, o tempo de interrupção aumentou 10,2%. A média nacional é de 16 horas sem fornecimento. No Centro-Norte Fluminense, os casos mais preocupantes são os dos municípios de Sumidouro e Trajano de Moraes. Sumidouro registrou a mais baixa qualidade de fornecimento na região, com 18,30 ocorrências e 43,81 horas de interrupções em 2016. Trajano de Moraes registrou 11,90 interrupções de energia em 2016, com 30,45 horas de duração.

Nova Friburgo, principal economia da região e município com maior peso industrial, registrou 10,74 horas e 7,75 ocorrências de interrupções de energia em 2016. Apesar de estar abaixo da média nacional, esse fator ainda pode gerar prejuízos ao município, considerado a capital da moda íntima do estado devido ao grande número de confecções, além de contar com muitos estabelecimentos metalmecânicos e gráficos, todos altamente demandantes de energia. Cantagalo, maior polo cimenteiro do estado, registrou a menor frequência de interrupções, com 9,06 ocorrências e 14,85 horas no ano passado.

O presidente da representação regional da Firjan no Centro Norte, Carlos Eduardo de Lima, lembra que o assunto foi discutido no Mapa do Desenvolvimento do estado e que melhorar a qualidade da energia está entre as ações prioritárias para os empresários da região. “Estamos buscando cada vez mais nos aproximar das concessionárias da região para dialogar e cobrar medidas que possam garantir o fornecimento adequado”, observou.  

De acordo com a Firjan, o acesso à energia elétrica com qualidade, segurança e a preços baixos é fundamental para o desenvolvimento socioeconômico e industrial. Para melhorar o serviço oferecido no estado, a Firjan tem defendido investimentos por parte das distribuidoras, além de uma modernização da regulação a partir de uma visão integrada de todo o setor.

Segundo o superintendente de Concessões, Permissões e Autorizações de Transmissão e Distribuição da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), Ivo Sechi Nazareno, a agência tem trabalhado para encontrar, cada vez mais, a relação de equilíbrio entre qualidade, investimento e tarifa. O estudo “Retrato da Qualidade da Energia no Estado do Rio de Janeiro”, com análises de todas as regiões do estado, pode ser acessado através deste link:www.firjan.com.br/energiaeletrica.

 

Publicidade
Agora Faz
TAGS: