Febre preocupante

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018
por Jornal A Voz da Serra

A POPULAÇÃO friburguense compartilhou a mesma preocupação da região Sudeste – São Paulo, Rio e Minas – correndo em busca da vacina contra a febre amarela. Nada mais natural que seja assim. O avanço da febre amarela no Brasil está assustando a população e colocando em alerta as autoridades de saúde.

O BRASIL viveu o seu maior surto já notificado da febre amarela no ano passado. Entre dezembro de 2016 e agosto de 2017 foram registrados 777 casos em nove Estados e 260 pessoas morreram em decorrência da doença.

E O ANO DE 2018 começou com um alerta, pois, à medida que a doença avança pelo Sudeste, o assunto volta a ganhar espaço no noticiário nacional e internacional. No último fim de semana, informe divulgado pela Organização Pan-Americana de Saúde, a Opas, que é um braço da Organização Mundial de Saúde (OMS), alertou para o risco de um novo surto, pois no ano passado sete países das Américas foram afetados: Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Peru e Suriname.

NO BRASIL, o Ministério da Saúde acabou de lançar campanha para imunizar mais de 19 milhões de pessoas em São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia. A vacina é importante porque evita a circulação e expansão do vírus. Desse total, 15 milhões receberão a dose fracionada. É uma estratégia do Ministério da Saúde para garantir que uma quantidade maior de pessoas seja imunizada. Na prática, isso significa que nem todas as pessoas vacinadas poderão ficar tranquilas o resto da vida, pois o produto fracionado protege por um tempo determinado.

A FEBRE AMARELA é mais uma doença considerada erradicada que volta a atormentar o Brasil. Ela havia desaparecido dos grandes centros urbanos em 1942 e a corrida agora é contra o tempo. Mesmo estados que não foram afetados estão se mobilizando. As autoridades de saúde estão orientando as pessoas que vão viajar para áreas de risco a procurarem uma unidade de saúde para se vacinar.

O MAIS inquietante é que além da forma silvestre (transmitida por mosquitos encontrados nas áreas florestais, que contamina predominantemente macacos), já há ocorrências da transmissão urbana, que se faz através de um velho conhecido, o mosquito Aedes aegypti.

A IMUNIZAÇÃO não é apenas uma prevenção individual, mas é uma importante proteção para a população em geral. Quanto maior a cobertura, menor a chance de a doença avançar ainda mais pelo país.

O Dia D da vacinação em Nova Friburgo será no próximo sábado, dia 27, em todas as unidades de saúde.

 

Publicidade
Agora Faz
TAGS: