Falta de vagas para estacionar desafia friburguenses todos os dias

Com mais de 120 mil veículos nas ruas, cidade perde casarões antigos, demolidos para virar estacionamento, e ruas estreitas viram o caos
quinta-feira, 19 de abril de 2018
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
Com muitos carros estacionados, o tráfego de veículos na Rua Marechal Deodoro fica difícil, já que a via é estreita (Foto de leitor via WhatsApp)

Não é por acaso que proliferam estacionamentos rotativos em todo o centro de Nova Friburgo. Diversos imóveis antigos têm sido demolidos dando lugar a estacionamentos privados. Muitos deles, nem mais sequer preservam as fachadas das casas que serviram de residência em décadas passadas. As ruas são as mesmas desde que foram criadas e o número de veículos só aumenta. Já são mais de 120 mil emplacados no município, fora os de outros municípios vizinhos que passam por aqui e, não raro, circulam pelo centro também. Na hora de estacionar, eis o problema. Para não pagar, é preciso circular muito até encontrar uma vaga. Às vezes, isso é quase um milagre.

Com isso vias adjacentes a outras de maior movimento também têm sido muito procuradas por motoristas ávidos por estacionar. Algumas delas são estreitas como a Rua Marechal Deodoro no loteamento Santa Terezinha, no Centro, e os moradores são constantemente prejudicados, pois com muitos veículos estacionados durante todo o dia, inclusive em curvas com ladeiras, o risco de acidentes aumenta. A via, segundo moradores, está sempre cheia de veículos estacionados, pois por situar-se bem próximo à Rua General Osório, onde estão o Hospital Raul Sertã e diversas clínicas, laboratórios e escolas que demandam um grande fluxo de veículos durante todo o dia.

“Sabemos que as pessoas têm horário para ir a médicos, fazer exames, às vezes, até mesmo uma emergência no hospital, mas acabamos correndo risco com o estacionamento de veículos aqui (na Rua Marechal Deodoro). É uma rua muito estreita e os motoristas precisam acelerar para subir e desenvolver velocidade. Ao se deparar com carros estacionados próximo a curvas, o risco de uma batida é grande. Caminhões também têm dificuldade para passar. Alguns trechos de meio-fios estão pintados de amarelo, mas, mesmo assim, alguns insistem em estacionar ali”, queixou-se um morador da via que entrou em contato esta semana com a redação de A VOZ DA SERRA.

Ainda segundo os moradores, a fiscalização de trânsito da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana dificilmente atua naquela rua, pois as operações são concentradas  na Rua General Osório, onde as paradas em fila dupla, até mesmo em frente a garagens, são recorrentes.

 

LEIA MAIS

Espaços, num total de 50 em Friburgo, poderão ser ocupados por qualquer motorista, até 20 minutos e com pisca-alerta ligado

Objetivo de programa baseado na Federação Internacional de Automobilismo é reduzir em 50% mortalidade no trânsito em 10 anos

Coletivos não param mais no Km 5,5 da RJ-142

Publicidade
TAGS: Trânsito