Fábio Porchat e Miá Mello já estão preparados para o frio

“Meu passado me condena” sobe no palco do Teatro Municipal Laercio Ventura sexta e sábado
sexta-feira, 14 de julho de 2017
por Guilherme Alt
Foto de capa
Fabio Porchat e Miá Mello em cena (Foto: Divulgação)

Desde 2014 nos palcos de teatros espalhados pelo país, "Meu passado me condena" chega a Nova Friburgo nesta sexta, 14, e sábado, 15. A peça será encenada no Teatro Municipal Laercio Rangel Ventura. A montagem tem direção de Inez Viana, e o texto leva assinatura de Tati Bernardi, responsável pelos roteiros do filme e do seriado exibido pelo Multishow.

A montagem começa às 21h, no Teatro Municipal Laércio Rangel Ventura. Os ingressos custam R$100 a inteira e R$ 50 a meia entrada.  Outras informações através dos telefones: (22) 2522-6942 / (22) 98829-3467 ou pelo e-mail: comercial@teiadeeventos.com.br

Em conversa descontraída, os protagonistas da peça, Fábio Porchat e Miá Mello, falam da ansiedade de visitar a cidade e já tem até dicas de restaurantes e de como aproveitar o frio friburguense.

Em que nível um relacionamento tem que estar para dar o próximo passo (casamento)? É preciso conhecer bem o parceiro?

Miá: Não existe uma receita ou um tempo certo. O tempo é o coração quem diz. Tem gente que faz essa loucura de casar em um mês, mas o importante é conhecer bem a pessoa. Namorar é mais fácil que casar. Casar é legal, descasar não. Então tem que fazer de tudo para dar certo e ser uma vez só (risos).

O sucesso da série no MultiShow levou à criação dos filmes e à continuidade através da peça ou a peça já era um projeto pensado?

Miá: Enquanto estávamos gravando a primeira temporada da série, antes mesmo de ir ao ar, a Marisa Leão, produtora, chamou a gente para fazer o filme. Eu não acreditei. Era a primeira vez que eu iria fazer cinema. Não queria ficar muito animada, porque vai que da errado, né? Mas deu tudo certo e fizemos dois filmes. O Fábio até brincou dizendo que se nós dois conseguimos ficar 30 dias em um navio e um não esganou o outro, então a gente conseguiria tranquilamente dividir uma coxia.

Fábio: A nossa parceria deu muito certo, mesmo. Desde o MultiShow até as apresentações de teatro. Estamos aí mantendo essa parceria também nos palcos.

Que situações o casal enfrenta na peça?

Miá: Eles estão na noite de núpcias e vão se descobrindo. O Fábio inventa de falar do passado dele, a Miá deixa escapar algumas coisas. Os dois vão ficando apavorados um com o outro. Pra mim, menos é mais. Quanto menos souber, melhor. Passado é o que já passou, então bola pra frente (risos).

A resposta do público tem sido positiva? O público entra em contato com vocês pra dizer que já passaram por situações vividas pelos personagens?

Fábio: As pessoas se identificam muito. É um casal falando de coisas típicas de um relacionamento. No final da peça as pessoas vêm falar com a gente, “Meu namorado é igualzinho, minha namorada também faz isso”. Isso é muito legal.

Miá: Não tem uma vez que o público não se sinta representado, tem gente que fala que “A minha sogra é igual” e eu tenho que prestar meus pêsames, porque a sogra da Miá na peça é um terror.

Na peça, há chance para improviso?

Fábio: A peça tem começo meio e fim, mas por ser teatro a gente sempre reage ao que o público está sentindo na hora e volta e meia tem um improviso.

Miá: Tem improviso que até virou texto e nós incluímos na peça. Às vezes nós temos crise de riso. O Fábio já escreveu algumas gracinhas pra eu ler na hora da peça e eu caí na gargalhada.

Fábio, você já visitou Friburgo para se apresentar com seu stand up. Gostou da cidade?

Fábio: Já visitei Friburgo e adorei a cidade. Já tenho dicas de restaurantes. Vou aproveitar muito.

Miá, é a sua primeira vez aqui ou já teve oportunidade vir antes?

Miá: Vai ser a minha primeira vez em Friburgo e estou animadíssima. Inclusive, como o Fábio falou, já estou sabendo de ótimos restaurantes e estou louca pra comer fondue.

Friburgo é uma das cidades mais frias do estado e até do Brasil. Estão preparados para o que vão enfrentar?

Fábio: Eu adoro frio, estou preparado. Prefiro frio ao calor. Se bobear ainda fico em Friburgo para morar (risos).

Miá: Tomara que tenha uma lareira esperta me esperando. Já estou preparada pro frio.

 

LEIA MAIS

Segundo prognóstico de meteorologista, frio mais intenso vai de agora até meados de julho, apenas

Agasalhos beneficiam assistidos pela Casa dos Pobres, pelo Lar Abrigo de Amor a Jesus, Lar para Idosos Frederico Meyer e pela Casa de Passagem

Diferença entre mínimas e máximas deve aumentar ao longo da semana, com manhãs cada vez mais geladas

Publicidade
TAGS: Teatro | inverno