Esporte friburguense pede a Papai Noel mais um ano de conquistas

Atletas de nossa cidade brilham em octógonos, piscinas e quadras, revelando talentos para o país
sábado, 23 de dezembro de 2017
por Vinicius Gastin
Foto de capa
Em outros esportes, Nova Friburgo também se destaca e busca se consolidar a cada ano

O ano de 2017 vai chegando ao fim. Nas páginas de A VOZ DA SERRA, os principais acontecimentos do esporte de Nova Friburgo foram registrados e eternizados. Momentos de glória, de decepção, de alegria ou dor. Se fosse possível escrever uma carta para o Papai Noel refletindo sobre o ano e fazendo pedidos para 2018, como seria? Não custa tentar.

“Papai Noel... Vivemos um ano intenso no esporte de Nova Friburgo. Mais do que apenas dois, Marlon Moraes e Edson Barboza, outros nomes se consolidam no cenário das artes marciais, pelo estado, pelo Brasil, pelo mundo. Victor Diaz, invicto no MMA, Aline Féu, mostrando a força da mulher de Nova Friburgo.

No meio dessa matemática não há espaço para zero. Apenas do cronômetro, quando termina um quarto ou o jogo de basquete. Para o União, este ano acabou mais cedo, por falta de apoio. Mas o primeiro passo foi dado. E ano que vem, quem era favorito em 2017, vai voltar ainda mais forte.

O número um representa o pódio de tantos atletas da nossa cidade. Seja nas competições promovidas pela Ascof, seja no suor de cada competidor, seja qual for a modalidade. Um mundo de dificuldades para quem, com muita luta, vence a falta de apoio e toca projetos sociais. No boxe, no atletismo, no futebol, dentre outros. Seja qual for o esporte, a vontade de fazer a diferença encanta. A vontade de superar inspira, como faz Rodrigo Garcia, primeiro deficiente a completar a prova Rio Negro Challenge, em Manaus (AM).

Quase sete anos depois da tragédia climática, finalmente, o Nova Friburgo F.C. inaugurou o Centro de Treinamento. Apenas o primeiro campo, deve vir mais por aí. Outras sete modalidades onde Nova Friburgo brilha? Fácil: bolão, com o Nova Friburgo Country Clube e a SEF, jiu-jitsu, tekwondo, judô, enduro, crossfit e muay thai, com suas inúmeras revelações. Faltaram muitas.

Há muito mais do que apenas 200 motivos para acreditar num 2018 ainda melhor para o nosso esporte. Duzentos anos com festa por Nova Friburgo, e pelas nossas vitórias. Sem esquecer que Edson Barboza ainda luta este ano, no próximo dia 30, mas o ano que vem pode ser o do cinturão. E como o próprio Marlon disse, chegou mais um friburguense para dar trabalho no UFC.

Nas piscinas, Jhennifer Alves brilha. Recordista sul-americana deste ano nos 50 metros peito, cada vez mais firme e consolidada. Campeã Mundial Militar. Seguiremos torcendo, acompanhando, vibrando e subindo cada degrau com a nadadora, em busca de voos ainda maiores.

O voleibol, seja no master ou com as meninas, ressurge com força. Enquanto as mais jovens participam de ligas e devem apresentar uma grande novidade para o ano que vem, os mais experientes planejam participar de sete competições. Haja fôlego! Para eles e para nós. Afinal de contas o nosso futebol amador, com direito a uma edição especial da Supercopa SAF, o fut-7 municipal, o futebol de mesa, o Friburgo Rugby, o Nova Friburgo Yetis, o grupo Silvana Gym, Bruno Baeta e os Abelhas, a equipe Friburgo OFF Road e tantos outros estarão novamente em ação.

O Montanha Cup ganha reforço, e pelos menos duas novas competições de ciclismo acontecem no município no próximo ano. Uma delas, a Route MTB, resgatando inclusive a nossa história. A nossa Friburgo. A cidade do Friburguense Atlético Clube, que mais do que nunca, vai precisar do apoio da torcida, dos empresários, do poder público.

Se 2018 é ano de Copa do Mundo, o nosso mundial é a Série B do Campeonato Carioca. Não será fácil, pois as dificuldades financeiras são cada vez maiores, enquanto adversários recebem o reforço de investidores. Haja criatividade e poder de superação para minimizar as limitações. Quem sabe, juntos, não poderemos reconduzir o Tricolor da Serra à elite do futebol estadual? É o lugar dele, de direito e de fato. É o nosso lugar.

É a nossa terra, o nosso esporte, são os nossos talentos. A nossa Nova Friburgo, prestes a completar 200 anos, marcando gols, pontos, cestas, lutando, correndo, arremessando, vibrando. Revelando. Construindo a sua própria história. Vitoriosa sem importar o resultado.

Prometemos continuar contando, nas páginas de A VOZ DA SERRA, cada detalhe de cada esforço. De cada conquista. Sem esquecer a riqueza do passado, e buscando inspiração exatamente nas glórias alcançadas. Sempre com a esperança da volta por cima, acreditando na Nova Friburgo que dá certo. A Nova Friburgo do nosso Esporte.

Publicidade
Agora Faz
TAGS: