Especial fitness: A relação entre exercícios, alimentação e doenças

Especialista em obesidade derruba o mito do "gordinho saudável" e convoca: "Saia da inércia!"
sábado, 02 de setembro de 2017
por Felipe Monnerat*
Foto de capa

Ainda estamos no inverno - em se tratando de Região Serrana, bastante vigoroso - e a busca por atividade física reduz drasticamente nesta época, assim como aumentam o consumo de álcool e comidas pesadas. Glamurosa estação, onde ninguém se preocupa muito com as silhuetas, e momento em que a imunidade cai drasticamente.

Sabe-se que o exercício físico frequente e bem orientado ajuda a aumentar a imunidade, controlar o peso, açúcar, colesterol, pressão arterial e auxilia força muscular e saúde do seu coração. Porém, poucos se dão conta de que o exercício sem orientação ou check up prévio, feito de forma esporádica, pode elevar os riscos para a saúde. Existe um consenso entre especialistas: praticar 30 minutos, 5 vezes por semana ou 150 minutos semanais e exercício de baixa a moderada intensidade (caminhada por exemplo) e mais dois dias de exercícios de resistência (musculação, ginástica, entre outros). Mas, é possível se manter saudável somente seguindo essas recomendações?

Estudos mostram que não. É muito importante, também, fazer o controle alimentar, inclusive há uma vasta gama de profissionais que derrubaram recentemente o mito do "gordinho saudável". A alimentação contribui com a nutrição muscular, formação de energia durante o esforço, combate radicais livres produzidos durante o exercício, trata e previne diversas doenças metabólicas como diabetes, hipertensão, dislipidemias, obesidade, entre outras. De maneira geral, é recomendada para a população uma ingestão​ calórica de 1800-2000kcal diárias para manutenção do peso, sendo 50% desse valor de carboidratos, 30% de gorduras e 20% de proteínas. Não podemos esquecer também das fibras, em torno de  20g por dia.

Nada melhor que a semana em que se comemora o dia do nutricionista (31/08) e dia do profissional de educação física (01/09) para falar sobre esse assunto. Portanto, saia da inércia! Quebre paradigmas, mude seus hábitos. Não é fácil, a gente sabe, mas dê o primeiro passo. Comece procurando seu médico para uma avaliação física, comece caminhando 30 minutos 3x por semana, fracionando  sua alimentação de 3 em 3 horas, evite  açúcar, frituras, alimentos industrializados, excesso de sal e doces.

E, se puder, separe 20 minutos do seu dia para fazer meditação.

* Felipe Monnerat é nutricionista, mestre em Ed. Física, especialista em Obesidade, treinamento de força e fitoterapia e trabalha no Serviço de Nutrologia HUCFF/UFRJ

 

LEIA MAIS

Imunização gratuita para cães e gatos com mais de 4 meses acontecerá em 10 locais de Nova Friburgo. Confira a lista

Encontro com Renato Bravo teve como objetivo angariar apoio junto ao Ministério da Saúde

Convênio entre Estado e União vence em dezembro. Pezão quer entregar unidade até o fim do mandato em 2018

Publicidade
Agora Faz
TAGS: fitness | saúde