Escolas de samba estão afiadas para fevereiro

Empatadas em 2017, Imperatriz e Saudade prometem briga acirrada pelo bicampeonato, no carnaval dos 200 anos
segunda-feira, 04 de dezembro de 2017
por Guilherme Alt, Karine Knust e Dayane Emrich
Foto de capa
Ritmistas da Imperatriz no desfile do carnaval passado (Arquivo AVS)

Em Nova Friburgo, o carnaval dos 200 anos começa na sexta-feira, 9 de fevereiro, com o tradicional Bloco das Piranhas. O desfile das quatro escolas de samba ocorre sempre aos domingos e tem tudo para fazer o carnaval dos 200 anos inesquecível.

As atuais campeãs, Unidos da Saudade e Imperatriz de Olaria, já estão com seus sambas-enredo definidos e ajustados. Serão a terceira e a quarta escola, respectivamente, a entrar na Avenida Alberto Braune. A Saudade guarda 24 títulos do carnaval friburguense e, em 2017, faturou os troféus dos quesitos Alegorias e Adereços, Samba-Enredo, Mestre-Sala e Porta-Bandeira e Enredo. A Imperatriz de Olaria tem dez títulos do carnaval de Nova Friburgo.

A Imperatriz de Olaria teve seu samba-enredo campeão definido no último dia 18. A agremiação vai contar a história da cura, do poder e das crenças. O samba é dos compositores Marquinho Mello, João Paulo, Ivanildo das Neves, Fabrício Corujão e Evandro das Neves. O enredo - “O Poder da cura na ciência da vida. O clamor de um povo pela proteção divina” - descreve as crenças e os rituais de curas que até hoje, em alguns casos, a medicina não sabe explicar. “É o poder de cura desde os nossos antepassados até os dias de hoje”, diz o carnavalesco Gilson Pereira da Silva.

Os mistérios e milagres serão contados no domingo de carnaval, 11 de fevereiro. A Imperatriz é a última a desfilar e promete levantar o público. “Ela vem luxuosa, harmônica, em busca do bicampeonato”, afirma Gilson.

Já a Saudade vai cantar seus 70 anos e tem tudo para emocionar os friburguenses. Seis pessoas participaram da composição do samba vencedor. A Saudade já ganhou 23 títulos e é a atual campeã do carnaval friburguense, junto com a Imperatriz de Olaria.

Marlon Caetano, um dos compositores do samba campeão, explica como foi o trabalho até chegar ao resultado final. “Além de mim, Breno Rage, Gilvan Gomes, João Carpi, Gabriel Capoeira e Diogo Fernandes, nós analisamos com cuidado e atenção toda a sinopse do que seria o samba-enredo para apresentar o produto pronto. Foram duas semanas de trabalho intenso até chegar ao que queríamos. Assim que ficou pronto, sem desmerecer os outros sambas, que foram ótimos, nós já imaginávamos que seríamos os vencedores”.

O carnaval 2018 promete ser especial para Nova Friburgo, pois fará parte das comemorações dos 200 anos da cidade. “O enredo conta toda a história da escola, de alguns carnavais históricos para a Saudade, e fala de folias antigas da cidade. Confesso que, depois que eu vi o produto final, falei: vai ser difícil tirar o campeonato da Saudade, outra vez”.

“Esse samba vai mexer com a família roxa-e-branca e com o coração de quem é apaixonado pela Saudade. Com certeza vai empolgar e vai fazer a diferença na avenida”, diz o diretor, Peter da Silva Cunha.

Vilage promete um desfile "santo", destacando a fé e a devoção ao padroeiro de Friburgo

Férias do samba? Nem pensar. Descanso? Só por um mês. Pelo menos é o que acontece na quadra da Escola Vilage no Samba, segundo lugar no carnaval 2017. A agremiação mal guardou os tambores da última folia e já preparou o enredo que vai desfilar na avenida em 2018. De acordo com o presidente da agremiação, Bruno Lannes, foram apenas 30 dias de descanso até a retomada dos trabalhos no barracão. A decisão do enredo aconteceu em junho e já em agosto o samba foi apresentado à comunidade.

E com tanta preparação, o que esperar da Vilage no próximo carnaval? Comemoração em dose dupla. É que, além de homenagear o bicentenário de Nova Friburgo, a escola também vai comemorar na avenida os seus 70 anos de fundação. Com o enredo “São João, acende a fogueira do meu coração”, a agremiação vai destacar a fé e a devoção ao padroeiro da cidade.

“Nosso carnaval será uma celebração dedicada ao profeta precursor, mensageiro de fé e esperança, realizada por todos os Santos e todos os seus devotos. Lembraremos fatos importantes, como o batismo de Jesus e o martírio de João. Abordaremos a origem das festas Joaninas, na Europa, e sua disseminação no Brasil, quando se transformaram em festas juninas, por começarem no mês de junho, em homenagem aos santos festeiros. Por fim, exaltaremos nossa formosa matriz de São João Batista, palco das mais marcantes manifestações religiosas da cidade”, adianta Bruno.

Para o presidente da agremiação, essa será uma verdadeira procissão do samba. “Tivemos a preocupação de escolher um enredo que nos trouxesse a emoção necessária para desfilar nossa alegria de ser friburguense e de ser Vilage. Em Nova Friburgo, tem a particularidade de se desenvolver em desfile, cuja concentração se dá ao lado do cemitério São João Batista, percorrendo a principal avenida da cidade e terminando, em dispersão, exatamente em frente à Catedral que leva o nome do mesmo Santo, padroeiro do município. Consideramos o carnaval uma verdadeira procissão do samba e essa será ainda mais especial”, vibra Bruno.

O samba enredo 2018 da Vilage no Samba tem como compositores os sambistas Jefferson Lima, Coréia, Wilson Bizzar, Adonai e Tuninho Professor. Esperando colocar mil integrantes na avenida, em 2018 a escola vai buscar o 25º título, o último foi em 2014.

Alunos do Samba escolhe neste sábado samba para o carnaval de 2018, na quadra da escola

A primeira escola a entrar na Avenida Alberto Braune em 2018 será a última a divulgar o samba para o carnaval do próximo ano. Isso porque a Alunos do Samba, a mais antiga agremiação da cidade, escolhe neste sábado, 2, a canção que vai apresentar durante a folia. Ao todo, quatro composições fazem parte da disputa, que acontece às 22h, na quadra da escola, no distrito de Conselheiro Paulino.

De acordo com o diretor de carnaval da agremiação, Felipe Borges, na ocasião os sambas serão apresentados e o melhor escolhido pelo júri. A banca avaliadora será composta pelo carnavalesco Juan Diniz; o mestre de bateria, Arilson; o presidente Alessandro; e o próprio Felipe. “Será levado em conta a letra, melodia e a harmonia da composição”, explica.

A “Alunão”, como é conhecida, vai apresentar o enredo “Raízes: A Celebração das nossas origens”. “Será uma festa e tanto. Vamos falar sobre etnia, datas comemorativas e finalizar com a grande celebração dos 200 anos de Nova Friburgo. A escola está se preparando para vir com quatro carros; 16 alas; um total de 900 componentes; sendo 110 só na bateria, e 20 baianas”, revela ele, acrescentando: “Serão muitas as surpresas e o público pode esperar um grande espetáculo”.

Em 2017, a escola encantou os friburguense e visitantes ao falar da cultura nordestina. Foi a terceira colocada.

A história da "Alunão” teve início em 2 de fevereiro de 1946, quando a agremiação foi fundada com o nome de "O Fluminense”. Nessa época, os ensaios eram realizados próximo ao local onde hoje está localizado o Instituto de Educação de Nova Friburgo (Ienf), no Centro. Somente em 1976, a escola foi transferida para o distrito de Conselheiro Paulino.  No início, os ensaios eram realizados na Praça Lafayette Bravo; depois, a escola conseguiu o terreno no qual hoje está localizada e onde funcionava um dos pontos da antiga estação Leopoldina. Ao todo, a Alunão traz 12 títulos no currículo.

 

LEIA MAIS

Filhas de Bamba herdaram paixão e talento do pai e promovem rodas cheias de inspiração

Grupo formado na Faculdade de Filosofia, Desafetos do Colírio nasceu de brincadeira há 26 anos e nunca mais parou

Nos encontros dos Amigos da Música, a cada 15 dias no Bar Abdalla, tem músico de 80 anos e bebê de 8 meses

Publicidade
Agora Faz
TAGS: Samba