Encontro entre comércio e prefeitura discute problemas enfrentados por lojistas

Coleta de lixo, comércio ambulante, estacionamento rotativo, carga e descarga e Código Tributário são os principais assuntos tratados
sábado, 28 de outubro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
O encontro na CDL (Foto: João Luccas Oliveira - PMNF)

A proliferação de ambulantes, a necessidade de melhoria na coleta de lixo, a implantação de estacionamento rotativo, a alteração no horário de carga e descarga e mudanças no Código Tributário Municipal foram alguns dos problemas que afetam o comércio em Nova Friburgo debatidos nesta sexta-feira, 27, em um encontro entre diretores da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e do Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio) com o prefeito Renato Bravo e secretários municipais.

Ficou acertado que a prefeitura criará comissões, com a participação de representantes da CDL e do Sincomércio, para o aprofundamento do debate sobre esses assuntos e a busca de soluções. 

Presidente da CDL e do Sincomércio, Braulio Rezende disse que as entidades procuram sempre proximidade com os poderes públicos com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de Friburgo. Ele disse reconhecer as dificuldades enfrentadas pela prefeitura para fazer investimentos com um orçamento baixo, mas que é momento de o governo municipal ouvir o clamor da sociedade por uma administração enxuta. “Os governos, em todas as esferas, não podem perder a oportunidade de gerir o orçamento como nós, empresários, gerimos nossos negócios: cortando gastos e cobrando bons serviços”, destacou.

Na opinião de Braulio Rezende, a Prefeitura precisa aumentar a fiscalização sobre o comércio ambulante antes que a situação fuja do controle, como aconteceu em grandes centros urbanos. Ele chamou atenção para o fato de que os camelôs são pessoas de fora, não friburguenses desempregados.

O presidente da CDL e do Sincomércio se prontificou a ajudar numa campanha de conscientização que leve lojistas e administradores de condomínios a respeitarem os horários de coleta de lixo. Em relação às operações de carga e descarga, Braulio propôs que o governo delimite espaços em ruas transversais à Avenida Alberto Braune para a entrega de mercadorias menores no período da tarde. “A parte da manhã é insuficiente para dar vazão às demandas de lojas, bares, restaurantes e até dos moradores do Centro. Podemos estudar uma forma de atender ao comércio e à população sem deixar a Alberto Braune feia e desorganizada”, acrescentou.

Embora tenha manifestado apoio à iniciativa de inaugurar estacionamento rotativo no Centro, Braulio acha que a prefeitura deveria requerer da empresa vencedora da licitação a criação de vagas extras na cidade. Ele sugeriu que seja construído estacionamento subterrâneo, por exemplo, na Praça Dermeval Barbosa Moreira.

O presidente da CDL e do Sincomércio comentou que as modificações aventadas pela Prefeitura para o Código Tributário, que já foram encaminhadas à Câmara Municipal, irão onerar demais as empresas. Braulio adiantou que os diretores das entidades do comércio vão se reunir também com vereadores para tentar chegar a um meio termo que não prejudique os setores produtivos. “Temos que encontrar uma saída que consiga elevar a arrecadação do município sem sobrecarregar o comércio e outros ramos que estão fazendo de tudo para resistir”.

O prefeito enumerou medidas do governo para redução de custos na administração municipal e recuperação de emendas parlamentares que trarão recursos para a cidade. Ele revelou que apenas dois fiscais compõem o departamento de Posturas da Prefeitura, mas que convocou outros dois, aprovados em concurso, com vistas justamente ao combate da desordem e de ambulantes. E anunciou ter fechado acordo com a EBMA,  concessionária dos serviços de coleta e tratamento do lixo, para a instalação de contêineres em vários pontos da cidade. Na primeira etapa, o governo vai adquirir 30 contêineres e a empresa, 50.

O prefeito considerou interessante a ideia de Braulio Rezende de usar ruas transversais nas operações de carga e descarga no turno da tarde. Ainda se mostrou aberto à discussão sobre as mudanças no Código Tributário Municipal. Sobre a licitação para implantação do estacionamento rotativo, ele informou a decisão de destinar 70% do faturamento à prefeitura.

Renato Bravo ressaltou que hoje, no centro das conversas do governo, está o modelo de gestão. “Nós não discutimos aqui o estacionamento rotativo ou outro assunto qualquer. O que está em debate é a parceria público-privada, o único modelo que funciona, o único caminho para o Brasil. O setor público tem que agir sem atrapalhar os empreendedores, sem desvalorizar quem gera emprego e renda. Por isso estou à disposição desta casa, que para mim significa trabalho e dedicação pelo desenvolvimento da cidade”.

Acompanharam o prefeito na reunião o vice-prefeito Marcelo Braune; o procurador-geral da Prefeitura, Savio Rodrigues; o secretário de Governo e da Casa Civil, Bruno Villas Bôas; o secretário de Finanças, Sérvio Túlio; o secretário de Comunicação, Luciano Espíndola; a chefe de Cerimonial, Janayna Saade; o gerente de contrato da EBMA, Rafael Cordeiro Ranuci; e os empresários José Américo Machado e Paulo Roberto Neves, da empresa Acesstran, responsável pela nova sinalização de trânsito do Centro.

 

Publicidade
Agora Faz
TAGS: