Em 1977, festa trouxe o dobro de suíços para a Alberto Braune

Comitiva desfilou, em novembro daquele ano, com fogos, balões, flores, bandas de música e grande público
quarta-feira, 16 de maio de 2018
por Dayane Emrich (dayane@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
O desfile fotografado pelo extinto jornal Correio Friburguense (Arquivo Fundação D. João VI)

Em comemoração aos 200 anos de Nova Friburgo, além de militares,  entidades civis e escolas públicas e privadas, uma comitiva com mais de 160 suíços participará das festividades deste 16 de maio, que promete ficar na história Mas, engana-se quem pensa que este será um encontro inusitado. Os laços de amizade entre europeus e friburguenses iniciados entre 1819 e 1820, ocasião da imigração dos primeiros colonos suíços, já tiveram episódios igualmente marcados pelo espírito de alegria e confraternização.

Era novembro de 1977 quando A VOZ DA SERRA anunciava a chegada de um grupo de 300 suíços. A viagem, tinha como objetivo relembrar os feitos dos primeiros colonos que aqui chegaram e fundaram a chamada “Suíça Brasileira”. “Nunca todo o povo se uniu numa festa cheia de emoção e fraternidade. A chegada dos suíços foi marcada de emotividade, quando o centro da cidade praticamente parou para ver eles desfilarem pela principal artéria de Friburgo”, dizia a edição de 19 de novembro daquele ano.

 A festa de recepção da comitiva, que desfilou pela Avenida Alberto Braune, teve fogos, muitos balões, flores, bandas de música e um grande público. Conta-se que a satisfação estava estampada nos rostos, que os prédios estavam embandeirados e que deles ecoavam aplausos e voavam papel picado e pétalas de rosa. As centenárias bandas Euterpe e Campesina, também estavam lá.

Já na Praça Dermeval Barbosa Moreira, a solenidade oficial de hasteamento das bandeiras de Friburgo, Nova Friburgo, Suíça e Brasil, ao som dos respectivos hinos, durou cerca de uma hora e fez todos se sentirem realmente irmãos. Em seu discurso, o então prefeito Alencar Barroso saudou os visitantes e disse que aquele momento era histórico e representava um ato de união entre os povos, que estariam para sempre unidos pela amizade.

Depois dos festejos, os suíços se dirigiram para a Prefeitura, onde receberam medalhas oferecidas pela municipalidade.. A noite, a comitiva foi recepcionada em uma festa de gala no Country Clube. Participaram da celebração autoridades, figuras da sociedade friburguense e também a imprensa. Na programação, a banda La Concórdia, do coral Le Quatuor Boschung, da Suíça; folias de reis, quadrilhas juninas, rodas de samba e seresta.

A maioria dos suíços ficaram hospedados nos hotéis Sans Souci e Buscsky e alguns, em casas particulares. A comitiva, dividida em vários ônibus da Faol visitou os municípios vizinhos: Bom Jardim, Duas Barras e Cantagalo. Poucos dias após a sua chegada, os cerca de 300 suíços partiram, deixando para trás o sentimento de união pela música, pelo amor, sem qualquer outro interesse. Que nesse 16 de maio a alegria se repita. Sejam mais uma vez, bem-vindos!

 

LEIA MAIS

Exposição da Sociedade Fotográfica em espaços sensoriais na Fundação Dom João VI vai até 29 de agosto

Irmãs Celma e Francisca, Marly Pinel, Frizão e professor João Raimundo são os homenageados, além de entregues várias moções de louvor

Historiadora, pesquisadora e professora Vanessa Melnixenco fala de seu livro, “Nova Friburgo - 200 Anos”

Publicidade
TAGS: 200 anos