Dia Internacional do Voluntário: o trabalho mais edificante de todos

Quer doar seu tempo? Laje e outras instituições de caridade aceitam mão de obra para tarefas simples que fazem toda a diferença para quem precisa
terça-feira, 05 de dezembro de 2017
por Adriana Oliveira
Foto de capa
Ps voluntários trabalhando na cozinha do Laje (Reprodução Facebook)

Descascar batatas. Aparar ou pintar um cabelo. Mexer uma calda de açúcar com frutas. Tarefas fáceis, cotidianas, podem fazer toda a diferença na vida de dezenas de pessoas, quando executadas em casas filantrópicas como o Lar Abrigo Amor a Jesus (Laje), no bairro Lagoinha. E acabam, por tabela, fazendo muita diferença também na vida de quem as pratica. É o que dizem os voluntários de obras sociais, essa turma de corações de ouro que tem seu dia internacional celebrado nesta terça, 5.

No Laje, todas as segundas-feiras, das 8h ao meio-dia, um exército silencioso e risonho cuida do processamento de alimentos em ótimo estado doados pelos feirantes de Olaria, que marcam ponto aos domingos. A equipe, de 20 a 25 pessoas, é coordenada pelo professor de yoga Francisco Sena, presidente da Associação Espírita Fraternal e do Conselho Espírita de Nova Friburgo. Metade dela, batizada de “Mato Verde”, cuida de lavar, descascar, picar e embalar verduras e legumes (foto) que serão servidos aos idosos,  enquanto a outra metade, chamada de “Sabiá”, faz o mesmo com as frutas. Se algum alimento sobra, vira compota ou é repassado para a Clínica Santa Lúcia, em Mury, em mais um gesto de fraternidade, explica Francisco.

No total, o Laje conta com cerca de 50 voluntários, diz a secretária Roseanna Almeida, a Rose, responsável pelo RH da instituição, que abriga 76 idosos. Neste momento, as ações mais necessárias são de corte e tintura de cabelo e manicure. Não precisa ser profissional: basta ter boa vontade e ir “dar um tapa no visual” dos velhinhos.

Uma das voluntárias da cozinha do Laje, que pediu para não ter seu nome divulgado, é uma senhora viúva que sofria de depressão e reencontrou ali, entre couves, beterrabas e tomates doados fresquinhos, uma nova razão para viver. “Voltei a sorrir aqui”, disse ela.

Para reforçar o time de voluntários da cozinha do Laje, basta comparecer na Rua Souza Cardoso, 403, qualquer segunda-feira de manhã. Como as redes de solidariedade vão dando-se as mãos, quem quiser se voluntariar pode se apresentar também na Associação Espírita Fraternal, na Rua Trajano de Almeida 124, no Paissandu. A entidade presta auxílio, tanto material quanto espiritual, a dezenas de famílias carentes da região do Colonial 61.

Outra campanha que mobiliza voluntários em Nova Friburgo é a do Quilo, que nos três primeiros domingos de cada mês visita bairros da cidade, desde 1948, arrecadando alimentos de porta em porta para instituições de caridade.

Tem ainda a Farmácia Comunitária, mantida pela Associação Comunitária de Apoio à Saúde (Acas). Esse trabalho surgiu no Rotary Clube Imperador (2523-4495) e até hoje tem apoio da Loja Maçônica Indústria e Caridade (2522-, que cede o espaço. A Casa da Amizade das Senhoras dos Rotarianos faz duas doações anuais. São muito necessários remédios de uso contínuo, como para controle da pressão arterial, diabetes e colesterol ou Parkinson, além de vitaminas e vermífugos para crianças.

Outras entidades para doações e voluntariado:

Ação Social Anchieta: 2527-1105

Afape: 2522-8608

Apae: 2522-8670

Pestallozi: 2528-4318

Creche Colmeia do Senhor: 2529-0243

 

Quando o tempo é o bem maior a ser doado

Segundo definição das Nações Unidas, voluntário é o jovem ou o adulto que, devido ao seu interesse pessoal e espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem-estar social ou outros campos”.

Quando nos referimos ao voluntário, estamos falando de alguém engajado, participante e consciente, e é possível analisar o grau de comprometimento: ações mais permanentes, que realmente necessitam de uma presença constante, e portanto maior compromisso, ou ações esporádicas e pontuais como Páscoa, Dias das Mães, Dia dos Pais, Natal, quando surgem  um tipo de voluntário, que, comovido por essas datas, busca uma maneira de ajudar ao próximo.

Analisando os motivos que mobilizam alguém ao trabalho voluntário, encontram-se duas motivações distintas: de cunho pessoal (a doação de tempo como resposta a uma inquietação interior que é levada à prática) e o social (a tomada de consciência dos problemas e da realidade de outras pessoas, levando a um comprometimento com uma determinada causa).

O importante é agir.

Descobrir o que gosta de fazer, quanto tempo disponível tem e se apresentar a instituições sérias que estão de braços abertos a esperar.

 

LEIA MAIS

Idosos do Laje sonham se conectar com as famílias: celulares, mesmo usados, estão entre os itens pedidos. Saiba a quem ajudar

Desde domingo, veículo pilotado por Papai Noel arrecada donativos e encanta crianças pela cidade

Evento que inaugurou decoração natalina reuniu dezenas de pessoas na Praça Getúlio Vargas na noite de sábado

Publicidade
Agora Faz
TAGS: Natal