Debossan: continua o perigo para pedestres em ponte de madeira

Prefeitura espera chegada de material na semana que vem para iniciar obra de reforma
terça-feira, 09 de agosto de 2016
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
Ponte não tem proteção lateral e algumas tábuas estão soltas e/ou apodrecidas (Foto: Arquivo A VOZ DA SERRA)

Na próxima sexta-feira, 12, completa-se um mês que a reportagem de A VOZ DA SERRA esteve na localidade de Debossan, no distrito de Mury, para averiguar o estado de uma ponte de madeira que liga a RJ-116 à Rua Gertrudes Stern (antiga linha férrea). Na ocasião, constatou-se que a estrutura — há tempos alvo de reclamações de moradores — estava em péssimas condições. Agora, quase 30 dias depois, a situação permanece a mesma e os usuários da ponte estão ainda mais preocupados.

Localizada sobre o Rio Santo Antônio, a estrutura, que já estava com parte das ripas de madeira apodrecidas e sem proteção lateral, está ainda pior — e os moradores temem que a ponte possa cair. “Várias tábuas se soltaram e a ponte está balançando ainda mais”, afirma a aposentada Larissa Borisouna Weinzette, de 69 anos. 

Ela conta que a ponte foi construída pela prefeitura há, pelo menos, 15 anos e que a estrutura nunca teria passado por reforma. “Ela é muito perigosa. Por aqui passam muitas crianças e jovens que vão para as escolas (Colégio Estadual Padre Madureira e a Escola Municipal João Vicente Valladares), situadas na RJ-116, adultos e até idosos. Além de estreita, estão faltando ripas e as toras estão podres. A qualquer hora alguém irá cair dentro do rio e sofrer um acidente grave”, teme a moradora.  

A ponte de madeira é ainda um importante acesso da população à antiga linha férrea. “Eu passo aqui por que não tenho outra opção”, disse um estudante, de 12 anos, explicando que se não utilizasse a ponte, teria que fazer uma caminhada maior para acessar a antiga linha férrea com retorno próximo ao restaurante Trilhas do Araçari ou pela Rua Hans Garlip. Ambas as alternativas, segundo ele, são bem mais distantes e arriscadas, devido ao intenso trânsito da RJ-116.  

Para o morador Wanderson Pereira, 42 anos, a situação é inaceitável. “Construir uma ponte melhor não custa tanto dinheiro. Precisamos urgentemente que alguém nos ajude antes que uma pessoa se machuque”, exclamou.

A equipe de reportagem de A VOZ DA SERRA procurou novamente a Prefeitura de Nova Friburgo para saber se há projeto para reforma da ponte de madeira. Em nota a Subsecretaria de Comunicação Social informou que “a Secretaria Municipal de Obras já adquiriu todo o material para reforma (vigas e pranchões de madeira) e devem ser entregues na próxima semana. Assim que o material chegar, a secretaria dará início aos serviços”.

 

LEIA MAIS

Matéria foi aprovada em segunda discussão no dia 25 de abril, e será apreciada pelo prefeito ainda este mês

Com falta de parte de divisória, pedestres se expõem a riscos na travessia

Órgão do estado não tem recursos para manutenção de estradas que atravessam a cidade

Publicidade
Agora Faz
TAGS: Mobilidade