Damazio deixa secretaria para cuidar de filho

Jovem sofreu acidente doméstico este mês. Vereador vai reassumir posto na Câmara
segunda-feira, 22 de janeiro de 2018
por Alerrandre Barros
Foto de capa
Damázio explica as razões para deixar o cargo (Foto: João Luccas Oliveira)

O vereador Marcio Damazio (Dem) anunciou nesta segunda-feira, 22, que vai deixar o cargo de secretário municipal de Serviços Públicos de Nova Friburgo para cuidar do filho Lucas, que sofreu um  acidente doméstico e teve um dos pés amputados este mês. Damazio assumiu o posto no dia 5 de janeiro. O prefeito Renato Bravo ainda não divulgou quem vai dirigir a secretaria.  

“Há pouco mais de duas semanas tomei posse na secretaria. Dois dias depois, sofri uma abalo muito grande na minha vida pessoal. Meu filho sofreu um acidente. A Secretaria de Serviços Públicos exige do secretário total dedicação e tempo disponível para desenvolver um trabalho a altura. Eu estava disposto a fazer isso. Mas nesse momento estou optando por dar uma atenção redobrada ao meu filho. O prefeito Renato Bravo compreendeu a minha situação e aceitou minha exoneração”, disse o vereador.

Damazio assumiu a Secretaria de Serviços Públicos no lugar de Gilberto Salarini, que foi remanejado para a Casa Civil. O vereador disse que vai retomar o mandato na Câmara Municipal. Com o retorno, o suplente Francisco Barros deixará o Legislativo, sem ter participado de nenhuma sessão. Os vereadores voltam do recesso parlamentar no dia 1º de fevereiro.

“Eu estou no meu terceiro mandato e consigo conciliar o trabalho na Câmara e dar atenção ao meu filho. Não há nenhum motivação política. Meu afastamento se dá por uma necessidade pessoal. Agradeço ao prefeito Renato Bravo a confiança e vou continuar contribuindo no Legislativo. A Secretaria de Serviços Públicos tem uma equipe ótima. Qualquer um deles poderá me substituir”, disse Marcio.

Damazio acrescentou que o filho está bem de saúde, mas precisa de atenção e acompanhamento psicológico. Lucas vai passar por sessões de fisioterapia para se recuperar e se adaptar a nova condição. Ele deve começar a usar uma prótese.

A sétima baixa no primeiro escalão do governo

A saída de Damazio é a décima mudança de secretários e a sétima baixa no primeiro escalão do governo de Renato Bravo, em pouco mais de um ano de gestão.

Às vésperas do Natal, ocorreu o afastamento forçado, por ordem judicial, de Suzane Menezes da Secretaria de Saúde, substituída por Christiano Huguenin (já o terceiro titular da pasta). Suzane havia assumido o posto em fevereiro, no lugar de Rodrigo Romito, que deixara o comando da pasta por determinação do Comitê Gestor da Saúde.

Também em fevereiro, Rosane Pinto pediu exoneração da Ordem e Mobilidade Urbana (Smomu), alegando motivos pessoais. Nesta pasta também já houve duas mudanças, já que Luiz Filipe Laginestra, que assumira no lugar de Rosane, foi substituído pelo prefeito em outubro.

Em abril, a professora Josanne Marchon de Oliveira pediu exoneração da Secretaria de Educação alegando “questões familiares”. O posto foi ocupado interinamente pelo subsecretário Igor Pinto, até Renato Satyro assumir o comando, em meados de junho.

Em julho, o advogado e engenheiro mecânico Amaro Gervásio Filho deixou a Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissionalizante e Superior, também alegando razões pessoais. Ele tinha assumido o posto em março, depois de sair da Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e Trabalho, que passou a ser comandada pelo vereador Christiano Huguenin (PMDB). A pasta de Ciência está sendo gerida interinamente, até hoje, pelo subsecretário Bruno Lannes.

Em outubro, o secretário de Agricultura, Alexandre Jacintho Teixeira, também pediu exoneração. A pasta permanece até hoje sem titular.

Fora do primeiro escalão, em agosto, a Subsecretaria de Comunicação também passou por mudanças internas.

No mesmo mês, o  prefeito fez um troca-troca mudando vários nomes de uma só vez: na Smomu, no Meio Ambiente, na subprefeitura de Conselheiro e na Controladoria Geral. Na Smomu, assumiu Marques Henrique de Jesus, então subsecretário de Posturas.

No Meio Ambiente, o secretário Alexandre Sanglard deixou a pasta para assumir a subsecretaria de Planejamento Urbano e atuar no Projeto de Fortalecimento da Estratégia Nacional de Gestão Integrada de Riscos em Desastres Naturais (Gides). No seu lugar ficou Roberto Cocarelli. Na Controladoria Geral,  Léo Fernandes de Andrade Nunes deu lugar a Elizabeth Riguetti. A subprefeitura de Conselheiro Paulino foi confiada a Lucimar Corrêa, que assumiu no lugar de José Luiz Paixão.

 

Publicidade
Agora Faz
TAGS: