Cristina Bravo promete um 16 de maio cheio de surpresas

Mais importante de todas as ações do bicentenário é deixar legado, diz coordenadora geral do Comitê 200 Anos
sábado, 27 de janeiro de 2018
por Ana Borges

“As ações elaboradas pelo Programa Nova Friburgo 200 anos visam a um legado. Portanto, como o próprio nome diz, é algo para ficar, ir muito além dos festejos do bicentenário. Venho repetindo, e aqui, reitero: nós temos que insistir na mudança de cultura e de mentalidade, dissociadas dos novos tempos. Estou certa de que é por aí que devemos começar o nosso trabalho. Se moro aqui, se escolhi viver e ter meus filhos aqui, ver meus netos crescerem aqui, como cidadã não posso e não quero deixar de me envolver com os problemas do município”, argumentou Crsitina Bravo, primeira dama e coordenadora geral do Comitê 200 anos.

Nesta entrevista exclusiva para A VOZ DA SERRA, Cristina Bravo ressalta o privilégio que é ter uma sociedade que lembra uma “nação”, formada por dez povos, quem sabe, até mais: africanos, portugueses, suíços, alemães, italianos, espanhóis, libaneses, japoneses, húngaros e austríacos. Índios, também, por que não, se historicamente, são eles os nativos que aqui e em todo o Brasil estavam e ainda estão? Essa gama de estrangeiros, e nativos, forjou o que somos hoje.

Segundo Cristina, o calendário de eventos é extenso, construído pela equipe do comitê (ver abaixo). Nele constam os atividades turísticas, culturais, esportivas, religiosas, calendário dos suíços, entre outras parcerias, sem prejuízo para os tradicionais eventos que são realizados anualmente. A divulgação do calendário completo, com a programação mês e mês, até dezembro, está prevista para o final de fevereiro.

A coordenadora adianta que o desfile de 16 de maio, será grandioso. “Como sempre será um desfile cívico-militar, mas este ano haverá muitas novidades, naturalmente. Será temático, mas respeitando as tradições em relação à presença das escolas e entidades. A diferença é que haverá inserções artísticas entre uma e outra apresentação, o que vai abreviar intervalos, eliminando espaços e ocupando com inserções sobre a história da cidade. Posso adiantar que haverá muitos efeitos surpresa. Nosso intuito é resgatar sentimentos de patriotismo, de amor à cidade. Penso que esses valores estão esquecidos, perdidos dentro de nós. Sentimos falta disso, de movimentos de inclusão, de motivos que nos faça ter orgulho de nossa cidade. Essa é a transformação que almejamos e um dos objetivos da programação que estamos elaborando. Como resultado, que este seja o legado”.

De acordo com Cristina, a cidade receberá delegações estrangeiras, o que requer logística da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Sanatório Naval, entre outras. “A prefeitura é a grande promotora desse evento, mas esta é uma festa de todos, entre promotores, moradores e parceiros oficiais. É um desafio. Queremos que moradores de bairros, os mais longínquos, entendam que cada morador é personagem da história que vamos contar. É a história de todos nós”, insiste.

Para a ela, o maior desafio ainda é atrair aqueles que parecem indiferentes. “Eu quero falar com todas as comunidades sobre a importância do bicentenário. Meu maior desafio, mais do que a festa em si é conseguir a transformação cultural e de mentalidade dos indivíduos. Que cada cidadão se sinta estimulado a se envolver. Nos últimos anos, a população amadureceu o suficiente para perceber que não dá mais para ignorar o que lhe cerca. Se somos tão solidários, se nos ajudamos nas horas mais difíceis, porque não podemos nos unir para progredir, melhorar, crescer, prosperar, e então festejar?”.

Diálogo entre setor público e empresarial

Um dos fatores que Cristina cita como fundamental é envolvimento. Para ela, sem isso, “não chegaremos a lugar nenhum, não conseguiremos realizar o que queremos”. Assumir compromissos em relação à coletividade é primordial para elevar a categoria de um município. “Esse sentimento deve ser cultivado para atingir as metas que pretendemos. O sucesso de um certamente vai beneficiar o outro, e tantos outros. Quem tem um negócio, deve se preocupar em melhorar o serviço que oferece. Se cada um fizer um pouco, toda a cidade ganha. É o efeito dominó, quando começa, não para mais”, avalia.

Outro ponto que ela enfatiza, é a vocação turística de Nova Friburgo. ‘É inquestionável”, defende. “Eu tenho visitado empresas e indústrias, e fico encantada com a qualidade dos nossos produtos. Em diversos setores, vemos empresários treinando seus funcionários, aperfeiçoando o aprendizado. Isto significa que existe aqui uma cultura de primeiro mundo. Quem ainda não se convenceu disso, precisa abrir os olhos para enxergar além. Daí resulta a ideia que defendemos, a do benefício coletivo. Acreditem, Friburgo é de fato um polo de desenvolvimento regional, centro desse futuro promissor”.

Ainda seguindo nessa linha de raciocínio, Cristina emenda: “Temos essa ‘pegada sustentável’, como costumamos dizer, que está sendo viabilizada através do projeto de replantio de 200 mil mudas, com parcerias como a dos Rotarys”. Boa parte do Corredor Cultural, que começa no Willisau Center e vai até o Teatro Municipal, na Praça Suspiro, também estará pronto até maio, exceto os projetos mais caros, que serão desenvolvidos ao longo do ano com incentivo da Lei Rouanet, cujo processo exige mais tempo. “Como lidamos com bens públicos, nossa responsabilidade é enorme e devemos trabalhar com o suporte da procuradoria da Prefeitura para evitar erros. A burocracia é grande e a papelada é complexa”, esclarece.

O diálogo entre o setor público e o empresariado local, além de entidades representativas dos setores produtivos, como a Acianf, CDL, Firjan, Diocese, entre outras, faz toda a diferença, segundo Cristina. No Willisau Center, por exemplo, ela conta que está prevista a instalação do Museu de Arte Sacra, um sonho do bispo D. Edney Gouveia Mattoso. “Será um museu com tecnologia avançada, além de uma escola de restauro de peças de arte sacra e de arquitetura e construção. A nossa equipe, juntamente com a equipe da Fundação D. João VI, está estudando o projeto, catologando, historiando e contextualizando cada peça, finalizando o projeto a ser encaminhado para aprovação, em março, para depois captar recursos através da Lei Rouanet”.

O prédio onde funciona a Fundação D. João VI, será entregue em maio, restaurado. A Oficina Escola de Artes, atualmente funcionando no antigo Fórum, deve se mudar para um lugar onde possa se expandir para atender uma demanda que está reprimida. “Depois de reforma, o prédio abrigará o Fórum Cultural, sob a administração da secretaria de Cultura. Temos projetos a curto e a longo prazos, dependendo das condições acertadas previamente com cada um”, encerra Cristina Bravo.

Agenda do Programa Nova Friburgo 200 anos para os primeiros meses do ano:

Janeiro

Fase final de preparação do Ecoparque de São Geraldo – primeiro espaço público de lazer de São Geraldo e adjacências, dentro do projeto Meu Bairro +200:

  • Início da segunda etapa do projeto Meu Bairro+200 com encontros de secretários e lideranças comunitárias em Lumiar, São Pedro da Serra e Nova Suíça;

  • Início das visitas dos secretários e sub-secretários a Lumiar, São Pedro da Serra e Nova Suíça para análise das demandas solicitadas;

  • Produção do calendário de eventos anuais de 2018 com atrações das secretarias de Cultura e Turismo, do Consulado da Suíça, de eventos religiosos e de produtores locais (as informações estão sendo recebidas até 30 de janeiro). O calendário estará disponível logo após a semana do Carnaval;

  • Organização e formatação do roteiro do Desfile de 16 de maio;

  • Fase das visitas às escolas de samba como parte dos encontros com agentes locais (O comitê se reúne regularmente com entidades, associações, lideranças comunitárias e empresariais ouvindo agentes, firmando parcerias, apresentando e pensando em conjunto o Programa;

  • Continuação da reforma na Fundação D. João VI para adequação do equipamento cultural com vistas à abertura em comemoração do Bicentenário;

  • Levantamento do acervo que irá pertencer ao Museu de Arte Sacra e estudo arquitetônico do Willisau Center para adequação do Museu.

 

Fevereiro

Estudo e ajustes finais do Edital de novos projetos que será publicado no mês de fevereiro:

  • Estreia do projeto Diálogos 200 (dia 22). Trata-se de uma série de encontros e debates para pensar a cidade e a contemporaneidade, abordando temas de várias áreas. O primeiro deles será sobre Sustentabilidade;

  • Estudo do Monumento 200 anos, a ser implementado na Praça Dermerval Barbosa Moreira em maio de 2018, com apoio do Sinduscon;

  • Divulgação do formato do desfile de 16 de maio.

 

A equipe do Comitê 200 anos:

  • Loana Maia: especialista em língua portuguesa e editais.
  • André Luiz Gomes: acompanhamento de projetos e confecção de edital para novos projetos.
  • Alda Oliveira: ações de educação ambiental e acompanhamento dos projetos referentes ao plantio de espécies da Mata Atlântica.
  • Janinho Carvalho: relações institucionais com os consulados e agentes de desenvolvimento.
  • Janaína Botelho: Confecção de livro de contos sobre a história de Nova Friburgo e contextualização dos fatos históricos para inserção no material de divulgação.
  • Luiz Fernando Folly: Articulação e acompanhamento das ações para a adequação dos equipamentos do Corredor Cultural do eixo central da cidade.
  • David Massena: Criação e roteirização do Desfile temático de 16 de maio.
  • Mario Moreira: Programação visual das peças publicitárias e acompanhamento das atividades artísticas e culturais.
  • Maria Fernanda Macedo: estratégia de comunicação e articulação com os veículos.
  • Renata de Rivera: responsável pelo Meu Bairro + 200 e todas as ações envolvidas com as comunidades atendidas.
  • Salete Lamego: atendimento, confecção de agenda e acompanhamento das ações junto a todos os integrantes do Comitê.
  • Aimée Madureira: responsável pela estratégia de redes sociais e monitoramento.  

 

LEIA MAIS

Projeto educacional Pró-Memória Digital disponibilizará todos documentos históricos em ambiente virtual

Em entrevista exclusiva, embaixador suíço fala sobre projetos e expectativa para 16 de maio

Conheça Alberto Braune, o farmacêutico, delegado e maçom que dá nome à principal avenida do Centro

Publicidade
Agora Faz
TAGS: 200 anos