Convocação de professores aprovados no concurso de 2015 fica para julho

Defensoria Pública cobra da prefeitura preenchimento de vagas em escolas e creches
segunda-feira, 11 de junho de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Foto de capa

Prevista para maio, a convocação de professores e outros profissionais da Educação aprovados no concurso de 2015 da Prefeitura de Nova Friburgo foi adiada para julho, noticiou a coluna Massimo no último sábado, 9. Entre os candidatos classificados, a demora para posse nos cargos tem provocado ansiedade e atrasado planos.

“É angustiante. Estou desempregada, mas poderia estar trabalhando se tivesse sido chamada pela prefeitura. Ao mesmo tempo, não sei se procuro emprego, já que posso ser chamada a qualquer momento”, disse Carla Silva, que aguarda a convocação há dois anos.

Os trâmites para as convocações em julho estão em andamento, segundo o governo municipal, e a expectativa da Secretaria de Educação é iniciar o próximo semestre letivo, em agosto, com novos servidores nas escolas e creches da cidade. Vale lembrar que o resultado final do concurso, que venceu este ano, teve o prazo prorrogado para até 2020.

A previsão de convocações em maio foi feita pelo secretário de Educação, Renato Satyro, à Defensoria Pública, que vem cobrando o governo novas contratações porque há carência nas escolas e creches. Em ofício enviado à defensora pública Larissa Davidovich, em abril, Satyro, confirmou que faltam 35 professores de séries iniciais do ensino fundamental nos colégios.

“As carências são supridas mediante autorização de ‘dobras’ pela Secretaria Municipal de Educação”, afirmou no documento obtido por A VOZ DA SERRA. O secretário disse ainda que foram realizadas duas convocações para a Educação em 2016 e 2017, e que, no último dia 6 de abril, após início do período letivo, solicitou à Subsecretaria de Recursos Humanos a convocação de mais aprovados no concurso.

Satyro pediu ainda que seja feita a convocação de professores das séries iniciais, professores de disciplinas específicas, merendeiras, orientadores educacionais e pedagógicos, técnicos em contabilidade, auxiliares de creche, pedagogos, orientadores tecnológicos e secretários escolares. Ao todo, devem ser chamados 109 aprovados no concurso: 60 vão substituir as ‘dobras’, 37 vão suprir demissões e aposentadorias, restando como impacto financeiro real a contratação de 12 servidores.

Procurada nesta segunda-feira, 11, a prefeitura não informou quantas convocações já fez para a Educação nem quantos profissionais serão chamados para tomar posse em julho.

Reajuste salarial

Nesta segunda-feira, 11, o prefeito Renato Bravo recebeu a diretoria do Sepe, sindicato dos profissionais de educação, para discutir a contraproposta de correção salarial apresentada pela categoria. A greve dos profissionais, que durou nove dias em maio, foi suspensa até a nova reunião para negociação. O resultado do encontro, porém, não foi divulgado até a atualização desta notícia.

LEIA MAIS

Inscrições para 30 cursos de graduação em universidades privadas começam na próxima semana

Reunião para correção salarial deve definir os rumos da mobilização da categoria e dos profissionais de apoio

Projeto "Tocando a Vida" é desenvolvido pelo Rotary do bairro, a Campesina e a Secretaria Municipal de Educação

Publicidade
TAGS: Educação | Greve