Cinco crianças friburguenses que fazem sucesso nas redes e na vida real

Nova geração de youtubers e blogueiros já nasce mexendo em smartphones e demonstra inteligência que deixa muito adulto de queixo caído
sábado, 14 de abril de 2018
por Karine Knust (karine@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
A jovem atriz Antonella Mattos (Arquivo pessoal)

Eles são pequenos, mas têm talento de gente grande. A geração Alpha é conhecida pela enorme interação com as novas tecnologias e, por isso, já nasce mexendo nos smartphones com mais naturalidade do que boa parte dos adultos e demonstram ter uma inteligência que deixa muita gente de queixo caído.

Espontaneidade, habilidades múltiplas, inquietação e criatividade também estão entre as características mais marcantes dessa criançada. Resultado? A vontade de se expressar é cada vez maior e a internet tem se tornado uma grande amiga para transformar o desejo em realidade, nem que seja apenas no mundo virtual. Não sabem mexer em algum programa ou aparelho? Sem problemas, eles também têm a web como um grande professor.

LEIA TAMBÉM: Especialista alerta para riscos e limites

Conheça cinco pequenos friburguenses que são bons exemplos da enorme capacidade da nova geração.

Antonella Mattos, 6 anos

Ela tem apenas seis anos e já coleciona milhares de fãs. Somente no Instagram,  a friburguense Antonella Mattos tem pouco mais de 24 mil seguidores - número bastante expressivo se comparado a boa parte das blogueiras da cidade. IG que é administrado pela mamãe Thais Mattos.

Mas não é só no Instagram que Antonella mostra toda sua fofura e simpatia, a pequena também mantém um canal no YouTube, o “Oi gente do pessoal”. Com mais de 17 mil visualizações, a conta tem oito vídeos. O mais acessado, inclusive, é o “Via Sacra Infantil”, em que Antonella e um grupo de amiguinhos encenam a história da crucificação de Jesus, a produção tem quase dez mil visualizações.

Os perfis foram criados há cerca de dois anos, quando a pequena começou a participar de testes para se tornar atriz mirim. Profissionalmente, Antonella já fez uma participação no filme “Fala sério, mãe”, que tem Ingrid Guimarẽs e Larissa Manoela como protagonistas, e encenou a primeira fase da novela Apocalipse, da Record.

Sobre o futuro da mocinha cheia de talento, a mãe afirma: “Agora, como ela está no primeiro ano, estamos focando ainda mais nos estudos e vamos fazer apenas dois vídeos para o canal”, diz Thais acrescentando que: “Ela fala que quer ser atriz enquanto criança, porque se diverte e leva isso como se estivesse brincando. Quando crescer fala que quer ser médica, arquiteta, atriz, cantora... Independente do que escolher para ser, como família, escolhemos que ela seja feliz, fazendo o que amar”, apoia. Para preservar a filha, Thais conta que não divulga informações de cunho pessoal como o local onde a menina estuda ou onde moram e evita mostrar a rotina da família. Além da mamãe, Antonella também vive com o pai Adalmir e a irmãzinha Catarina, de 4 anos.

Helena Albuquerque, 7 anos

Foi aos 2 aninhos de idade que Helena Albuquerque começou a fotografar e desfilar para marcas de roupa infantil da cidade. Hoje, aos sete, a pequena coleciona catálogos e participação em eventos. No Instagram, administrado pela mamãe Ronise Alonso, elas compartilham inspirações de looks, o dia a dia com amiguinhos e família, fotos de ensaios que protagonizou. Rotina que é seguida por quase cinco mil usuários da rede.

O  interesse pelo mundo da moda tem um pouco de influência da mãe. É que Ronise já foi modelo. “Comecei a postar fotos do nosso dia-a-dia no meu perfil pessoal no Facebook e as pessoas começaram a gostar e comentar bastante. Helena sempre foi uma menininha muito carismática e sorridente, então as coisas fluíram naturalmente. Ela também adora desfilar e fotografar, sempre gostou de fazer poses, não se incomoda com olhares, estar em frente às câmeras”, conta orgulhosa a mãe da pequena. Dentre as marcas de que Heleninha já estampou catálogos e editoriais, estão empresas famosas na cidade como Monthal e CCM.

Sobre os looks da mini fashionista, engana-se quem pensa que são todos escolhidos apenas por Ronise. Mãe e filha decidem cada detalhe juntas, desde a roupa até os acessórios, e aí, é só tirar uma foto do ‘look do dia’ e postar no Instagram. “Lidamos com isso de maneira bem natural e divertida. A Helena está totalmente voltada para escola, para as brincadeiras, para os amigos. Ela tem acesso ao celular mas sempre com nosso monitoramento, isso é muito importante”, acredita. Alguns dos cliques postados na rede social da menina, inclusive, são com o pai Luiz Felipe Albuquerque e a irmãzinha Luiza Albuquerque, de dois anos, que também possui uma conta no Instagram, administrada por Ronise.

Elisa Barroso, 10 anos

Há quase seis meses, o YouTube ganhou mais um canal cheio de fofura e inclusão. É o “As Aventuras de Elisa Barroso”. O canal da friburguense de 10 anos é semelhante ao de milhares de crianças que, assim como ela, tem visto na plataforma uma maneira divertida e moderna de interagir com os amiguinhos, mesmo que virtuais. Mas existe um detalhe especial nessa brincadeira, é que Elisa tem autismo e também utiliza o YouTube para disseminar inclusão. Os vídeos falam sobre a condição do autismo, como ela se relaciona com o mundo e, claro, sua rotina.

“A ideia surgiu da própria Elisa, que já demonstrava muita vontade de ter um canal. A princípio, os próprios profissionais que lidam com ela e alguns parentes tiveram medo, achando que Elisa poderia sofrer muito preconceito. Mas acreditamos que essa seria uma oportunidade dela se realizar e desenvolver”, afirma a mãe da menina Juliani Barroso.

Quem cuida do canal da mocinha? A prima Analice Barroso, que tem apenas 12 anos e também tem um canal no YouTube, o “Bíblia Sagrada para Crianças”. “Ela é a grande incentivadora da Elisa”, se orgulha Juliani. Atualmente, o canal de Elisa conta com oito vídeos e cerca de 4.300 visualizações. Números que, segundo Juliani, já foram suficientes para que ela e o marido André notassem diferença no comportamento da menina.

“Devido a condição do autismo, Elisa sempre teve uma idade mental bem abaixo da esperada, mas o canal fez com que ela avançasse. Agora Elisa fala de assuntos relacionados a sua faixa etária”, afirma a mãe, acrescentando que “Temos tido um retorno muito legal de pessoas que torcem por ela. O que mais queremos para nossa filha é que ela se desenvolva, que cresça bem, e que esse canal possa ajudar outras mães e pais a enxergar essa luz no fim do túnel e ver que dá sim para fazer com que o filho se desenvolva, cresça e vença seus limites”.

Elisa vive com os pais e a irmãzinha Emanuela, de 2 anos.

Lucas Ruiz, 6 anos

Foi depois de criar o seu próprio canal no YouTube, o Papo em Família, que a jornalista Lívia Ruiz, mãe do pequeno Lucas, de 6 anos, ficou mais segura para deixar o filho se aventurar na plataforma. E a experiência tem feito sucesso, com menos de um mês de canal, os vídeos do “Universo do Lucas” - cinco no total - já somam mais de 1.500 visualizações.

Os vídeos de Lucas são filmados e editados pelo pai, Leonardo Vidal, mas todas as ideias são do pequeno, garante Lívia. “Ele tem a manha”, se orgulha ela. Como bom fã de animações, a maioria das gravações do menino falam sobre seus personagens favoritos: os super heróis. “Ele é muito lúdico, e nós incentivamos muito que seja criança, brinque, imagine. Mesmo sendo dele toda a espontaneidade e vocabulário adulto”.

Lívia conta, inclusive, que a vontade de criar um canal surgiu depois que o menino começou a seguir diversas contas na plataforma. Mas há quem diga até que a maior inspiração venha da própria mãe. “Ele sempre me viu gravar, mas na verdade, leva muito mais jeito que eu”, brinca ela.

Para curtir a ‘brincadeira virtual’ de forma saudável, Lívia afirma que é preciso ter regras. “Não liberamos que ele fale algumas informações que possam oferecer perigo, tipo escola, moradia, entre outros. Além disso, sempre buscamos monitorar o que ele assiste. Vemos o vídeo junto com ele e assistimos sozinhos também para poder analisar o conteúdo com mais calma. Uma vez, o que parecia ser um simples desenho de herói com princesas, estava cheio de palavrões e atitudes inacreditáveis. O jeito é acompanhar bem de perto”, alerta a mãe.

Além dos pais e dos internautas que acompanham Lucas pelo YouTube, o menino ainda tem uma grande fã, a irmãzinha Luiza, de dois anos.

Vicente de Queiroz, 7 anos

Que a música é um dos principais métodos utilizados por muitos lojistas para atrair a atenção de potenciais clientes, isso não dá para negar. Mas o que vem chamando a atenção de muitos pedestres que passam pela Aberto Braune não são as peças à venda ou o preço delas e sim um pequeno grande talento. Vicente de Queiroz tem 8 anos e há um é presença certa em eventos promovidos por algumas lojas. Como modelo mirim? Nada disso! Ele é o DJ responsável por animar a clientela.

“Meus pais tem lojas e sempre contrataram DJs para participar de alguns eventos, foi aí que me identifiquei e resolvi começar a aprender”, conta Vicente. Dentre os artistas que mais inspiram o menino está o DJ brasileiro com fama internacional, Alok. Mas Vicente também tem profissionais locais como grande influenciadores, caso da DJ Bruna Petribú.

Outro grande aliado de Vicente é a internet. O menino conta que foi através dos famosos tutoriais que ele aprendeu a mexer nos equipamentos. Aparelhagem que, inclusive, é própria. “Tenho mesa, caixa e iluminação. Ganhei tudo dos meus pais porque fui bem na escola”, diz. No repertório, muita variedade, mas Vicente admite: gosta mais de funk e música eletrônica. Tudo claro, supervisionado pelos pais.

Para eles, inclusive, a afinidade com a profissão é tratada como uma brincadeira, sem cobranças ou objetivos financeiros. “Acredito que esse interesse do Vicente por música o faz feliz, ele se diverte e só vai até onde ele quer, sem forçar. Não temos interesse em retorno financeiro com ele, e sim, que ele se divirta”, afirma a mãe Samira de Queiroz.

Já para o menino, esse é o início de um sonho. “Meus pais me apoiam muito. Quero fazer curso e quando crescer ser um grande Dj”. Vicente vive com a mãe Samira, o pai Ulysses e o irmão Bernardo, de 15 anos.


 

Publicidade
TAGS: