Calendário do ciclismo municipal prevê 3 grandes competições

Montanha Cup, GP das Montanhas e Route MTB Fribourg mantêm tradição e vitalidade da turma do pedal
quarta-feira, 17 de janeiro de 2018
por Vinicius Gastin
Foto de capa
A largada das competições será dada com o tradicional Montanha Cup, em abril

Não dá para pensar em esporte, Nova Friburgo e não incluir, nesta sentença, pelo menos um parêntese para a natureza. Sobre duas rodas, centenas de atletas desfilam todo o talento pelas trilhas do município, anualmente, explorando, na melhor concepção da palavra, as belezas e obstáculos naturais. Sendo assim, no ano do bicentenário da cidade, um calendário especial de eventos de ciclismo foi planejado, com competições que mantêm a tradição dos últimos anos e valorizam um pouco da história da colonização friburguense. A organização é da Montanha Sports, sob comando de Orlando Miele.

O evento que abre o calendário oficial de competições da modalidade é o tradicional Montanha Cup, no dia 8 de abril. Considerada uma das principais competições de mountain bike do Estado e do país, a prova reuniu centenas de atletas, este ano, com largada no distrito de São Pedro da Serra. O percurso total superou os 40 km, em meio às trilhas e à natureza de Nova Friburgo.

O Montanha Cup cresce a cada ano, e já é referência de evento na modalidade. Na primeira edição, apenas com o apoio da Prefeitura, o Montanha Cup contou com 150 atletas, algo inédito no estado. “Fizemos a primeira edição sem correr atrás de patrocínios, por opção mesmo. Não tínhamos certeza de como iria acontecer e nem se conseguiríamos realmente fazer o evento”, lembra Miele (foto).

O sucesso do evento motivou a realização de mais edições no mesmo ano, e em 2017, foram realizadas três provas em municípios. Além de Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis, também contaram com uma prova do Montanha Cup. A estrutura é preparada com planejamento e antecedência: toda a sinalização é feita na véspera, e as orientações direcionam o percurso corretamente. O Montanha Cup é dividido em diversas categorias e contempla participantes dos 15 aos 67 anos. De acordo com a organização, os atletas de alto nível devem concluir a prova em no máximo duas horas e 30 minutos, enquanto os amadores podem chegar até seis horas de prova.

“Organizar uma prova dessas é complicado, e não seria possível sem alguns apoios e patrocínios. A Prefeitura de Nova Friburgo sempre me apoiou, desde o primeiro evento. Temos vários parceiros que entram com a logística que também não posso deixar de agradecer”, pontua.

A ideia de realizar o Montanha Cup surgiu há 10 anos, através do cirurgião-dentista Orlando Miele Júnior. Apaixonado pelo esporte, ele visualizou o potencial das trilhas para organizar uma competição de ciclismo em Nova Friburgo. Logo na primeira edição, o Montanha Cup reuniu 150 atletas, algo inédito no estado. Além de incentivar o esporte, o evento também estimula o turismo. Hotéis, pousadas e restaurantes do município recebem um grande público durante o fim de semana de competição. Os ciclistas geralmente aproveitam a oportunidade para trazer familiares e amigos. Desta forma, as belezas naturais, o clima e a gastronomia de Nova Friburgo ficam aquecidos durante os dias de prova, sendo que boa parte dos participantes é de outras cidades.

Novidade e tradição

Além do Montanha Cup, pelo menos mais dois grandes eventos acontecerão em 2018. No dia 20 de maio, ainda no clima das comemorações pelos 200 anos de Nova Friburgo, acontece o GP das Montanhas de Ciclismo. Os detalhes desta novidade no calendário, tais como percurso, inscrições e regulamento, devem ser divulgadas em breve, mas a prova será realizada na serra que liga Nova Friburgo a Cachoeiras de Macacu.

Outro evento que fez sucesso nos dois últimos anos também está confirmado para 2018. O “Route MTB Fribourg” terá a terceira edição realizada no dia 19 de agosto, como parte do calendário oficial de eventos da Festa Suíça. O objetivo da prova é relembrar e celebrar os pioneiros dessa modalidade em Nova Friburgo. A largada geralmente acontece na Queijaria Suíça, na RJ-130 (Nova Friburgo-Teresópolis), altura de Conquista, com a modalidade mountain bike Maratona XCM. Os competidores podem optar por uma das quatro categorias, em um percurso total de 60 quilômetros, passando por Dona Mariana, em Sumidouro, retornando à Queijaria. Dentre outros caprichos, alguns dos charmes do trajeto são os três túneis.

A criação deste evento faz parte de uma série de ações para fortalecer ainda mais o ciclismo na cidade. A refundação do Bicyclete Club Friburguense, que tem Eduardo Salusse como presidente de honra, também é um dos projetos coordenados por Orlando Miele. A Route MTB Fribourg traz como inspiração os colonizadores suíços, e pode se tornar espelho para incentivar o uso das bicicletas. No país europeu, em regiões como Genebra, por exemplo, o número de ciclistas aumenta, em média, 70% a cada cinco anos.

Um pouco da história...

A bicicleta foi inventada em 1839, mas chegou a Nova Friburgo apenas no final do século 19. Na tradição de ruas e praças, as bicicletas eram consideradas elementos de modernidade. Muitas delas já circulavam pela cidade, e exigia-se que os ciclistas, à noite, tivessem marcha moderada e a lanterna acesa, pois a população friburguense ainda não havia se acostumado com aquela novidade, assim como os velocípedes, geralmente utilizados pelos meninos.

Com a chegada dos veranistas a Nova Friburgo, geralmente nos finais de ano, já se começava a projetar eventos na cidade. As corridas de bicicleta eram consideradas como um grande momento do verão friburguense. A então Praça 15 de Novembro (atual Getúlio Vargas) era transformada no velódromo friburguense.

Eduardo Salusse, de tradicional família da cidade, criou em 9 de abril de 1899, o Bicyclette Club Friburguense, destinado a competições desse veículo. As corridas de bicicleta eram realizadas aos domingos, sempre ao meio-dia. A presença de juízes de partida, de chegada e juízes de raia dava uma conotação de disputa acirrada entre os participantes. Muitos deles, inclusive, vinham de fora da cidade. Essas corridas tinham normalmente seis páreos, com uma média de seis participantes em cada um. Havia prêmios como medalhas de ouro, prata, bronze e caixas de champanhe. Quando os ciclistas friburguenses participavam de torneios fora da cidade e retornavam como vitoriosos, eram recebidos na gare da estação com grande festa pela população, que os acompanhava até as suas residências com saudações ao longo do trajeto.

Os eventos restringiam-se à elite local, a exemplo do Barão de Mesquita, que atuava como juiz de partida. Próximo ao velódromo havia o botequim Velódromo Friburguense, e após as partidas os ciclistas se reuniam para degustar cervejas nacionais e estrangeiras, chopp gelado, vinho do Porto, cognac, vermout, champanhe Veuve Clicquot, sorvete, frutas, sanduíches e pasteis.    

 

LEIA MAIS

A prova acontece neste domingo, 8, com largada, chegada e premiação no distrito de Lumiar.

Prova tradicional de mountain bike será dia 8, com largada em Lumiar

Valor arrecadado com inscrições será destinado a instituições de caridade

Publicidade
Agora Faz
TAGS: ciclismo