Caixa deve prorrogar contrato de obras do Hospital do Câncer

Convênio entre Estado e União vence em dezembro. Pezão quer entregar unidade até o fim do mandato em 2018
quarta-feira, 22 de novembro de 2017
por Alerrandre Barros
Foto de capa

 

 

A Secretaria estadual de Obras pediu à Caixa Econômica Federal a prorrogação, por mais 12 meses, do convênio de repasses de verbas para as obras do Hospital do Câncer, em Nova Friburgo, paralisadas desde o primeiro semestre de 2016 por conta da negligência do estado somada a crise financeira no Rio de Janeiro. O contrato vai vencer no dia 14 de dezembro. O banco ainda não se manifestou sobre o pedido, mas deve dar resposta favorável.

No início do mês, o governador Luiz Fernando Pezão entregou ao secretário estadual de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Júnior, a coordenação dos trabalhos de retomada das obras da futura unidade de saúde na Ponte da Saudade, que estava a cargo somente da Secretaria de Obras. A mudança ocorreu depois de uma reunião de Pezão com o deputado Wanderson Nogueira (Psol), que vem acompanhando o caso de perto e alertou o governador sobre os prazos.

Como A VOZ DA SERRA noticiou no início deste mês, depois do encontro foi definido que Teixeira viria a Nova Friburgo, no último dia 3, para uma vistoria no canteiro de obras, mas isso não aconteceu porque, segundo Nogueira, o secretário está fazendo adaptações na planta do hospital. A medida deve reduzir, por exemplo, o número de consultórios, de 20 para dez.

“Ele argumenta que boa parte desses consultórios ficariam vazios. Por isso, está diminuindo o tamanho do espaço para entregar o hospital em dezembro de 2018, quando termina a gestão de Pezão. O secretário me disse que deve terminar em até 15 dias o trabalho e afirmou que as mudanças não vão diminuir o número de atendimentos previstos na unidade”, disse Wanderson Nogueira, que planeja mobilizar prefeitos e vereadores da região a fim de pressionar o governo.

Outro entrave é indefinição do que é obra nova e obra de reforma no imóvel do antigo Centro Adventista de Vida Saudável (Cavs), onde funcionará o hospital. A Procuradoria pediu aos engenheiros da Secretaria de Obras que façam essa separação para, se necessário, aplicar aditivos no orçamento de R$ 45,7 milhões. Obras novas podem ter aditivos de até 25%. Já as obras de reformas permitem aditivos de até 50%. Mas como os serviços começaram, os engenheiros disseram que é impossível fazer essa distinção. Desde o início, as obras avançaram cerca de 15%.

Além disso, pendências do governo do estado com a Caixa Econômica Federal ainda não foram sanadas. Em agosto, durante uma audiência pública na Alerj, realizada por Wanderson Nogueira, representantes do banco explicaram que havia entraves para a liberação de recursos por parte da União. Ou seja, as obras no imóvel começaram no primeiro semestre de 2015 sem o aval da Caixa e somente com recursos do estado.

    Prazos foram estipulados durante a audiência na Alerj, mas nenhum foi cumprido pelo governo. A Caixa confirmou que as pendências ainda não foram resolvidas. Por isso, o governo corre contra o tempo para prorrogar o contrato com o Ministério da Saúde, via Caixa, caso contrário, será necessário novo processo de licitação. O Ministério Público Federal (MPF) está investigando a omissão do governo do estado.

A licitação do Hospital do Câncer foi realizada pelo estado, em parceria com a União em 2014. Além dos R$ 45,7 milhões, foram pagos R$ 10 milhões para a desapropriação do imóve e estimados R$ 35 milhões para compra de equipamentos. O hospital seria inaugurado no primeiro semestre de 2016. Estima-se que a unidade deverá contar com 200 leitos, sendo 30 destinados à crianças e realizadas cerca de 300 consultas por dia e até quatro mil cirurgias por ano.

 

LEIA MAIS

Além do diagnóstico preciso, equipamento oferece rapidez, conforto e mais segurança aos pacientes

Foram realizadas gratuitamente 231 consultas, com 36 procedimentos cirúrgicos, sábado no posto do Suspiro

Mutirão de dermatologistas do movimento Dezembro Laranja dará consultas gratuitas no posto do Suspiro

Publicidade
Agora Faz
TAGS: saúde