Caderno Z: desfile dos 200 anos ficará para sempre na memória

Novas fotos, e vídeo, da festa de um 16 de maio histórico para Nova Friburgo
sábado, 19 de maio de 2018
por Ana Borges #ana.borges@avozdaserra.com.br)

Sentimentos de toda natureza tomaram conta de Nova Friburgo na manhã de quarta-feira, 16 de maio. A alegria estava estampada nos rostos de milhares de pessoas que foram às ruas participar do maior evento oficial programado para o aniversário da cidade: o desfile na avenida, que prometia surpresas e novidades ao longo de uma apresentação histórica que haveria de durar mais de cinco horas. E, de fato, foi tudo isso e um pouco mais que o público assistiu.

A evolução daquela vila criada por decreto real, em 1818, para receber 100 famílias suíças, número então ultrapassado em mais de 250 famílias, 200 anos depois, é fato consumado. Mais de 1.450 imigrantes sobreviveram à longa e tormentosa travessia por mares revoltos. Elevada à categoria de cidade, em 1890, nessa altura sua população já havia aumentado com a chegada de imigrantes portugueses, italianos, libaneses, além dos negros, estes na condição de povo escravizado.

Alemães, espanhóis, japoneses, húngaros, austríacos, também vieram. Na mistura desses povos se formou a “nação friburguense”. A partir daqueles 1.450 suíços, hoje somos mais de 180 mil brasileiros, com jeito e cara de Brasil. E foi tudo isso que vimos passar na avenida. Uma história lindamente contada pela população em diversos grupos, formados por colégios, entidades, instituições, agremiações, civis e militares.

Nesta edição do Caderno Z, procuramos reunir imagens que expressem as várias fases de nossa história, com sua rica e diversificada formação humana, artística e cultural, além das atividades econômicas que fazem de Nova Friburgo um lugar pelo qual todo friburguense sente orgulho de pertencer. 

Da gênese à belle époque, dos tempos modernos ao clímax cultural, até o século XXI, 200 anos se passaram. Foi em 1818, num longínquo e gelado país europeu que embarcaram mais de 2.000 suíços rumo a uma miragem chamada “novo mundo”. Não foi bem isso que aquele povo destemido encontrou, ainda assim, enfrentaram o desafio. E o nome dessa América desconhecida era o Morro Queimado. De lá pra cá,  desafios enfrentados, entre perdas e ganhos, toda a epopéia valeu a pena. Eles navegaram, aqui ficaram, lutaram e venceram. E seus descendentes e de tantos outros povos que depois vieram, são a prova viva dessa trajetória. Confira aqui alguns momentos dessa bonita história.

Os eventos não acabaram e ainda ressoam em nossos ouvidos e corações os sons e as imagens que encantaram centenas de pessoas que participaram e assistiram ao desfile na avenida. Famílias inteiras, das crianças aos mais idosos, o encantamento com a festa foi unânime. Ou quase…

Tudo bem, afinal, já dissseram que toda unanimidade é burra. Ainda assim, não tem como negar que a comemoração dos 200 anos de Nova Friburgo foi um sucesso. De público, com certeza. Se fôssemos contar a história tal como se apresentou, apenas em fotos, precisaríamos editar um livro. O que não seria má ideia. Mas aí, é outra história. Por enquanto, nos cabe fazer a nossa parte e o que nos dispusemos a entregar para nossos leitores são alguns flagrantes dessa festa que ficará para sempre em nossa memória.

LEIA MAIS

Historiadora, pesquisadora e professora Vanessa Melnixenco fala de seu livro, “Nova Friburgo - 200 Anos”

Em entrevista, Cristina Bravo, coordenadora do Comitê 200 anos, avalia o desfile de 16 de maio e a festa que “tomou conta da cidade”

Real Banda Euterpe tocará para Itália e Portugal e envia musicistas em intercâmbio à Suíça e França

Publicidade
TAGS: 200 anos