Batalhão de Friburgo não vai receber novas viaturas agora

Polícia Militar comprou 580 carros. Primeiro lote já começou a ser entregue
quinta-feira, 12 de abril de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
Novas viaturas irão reforçar primeiramente a frota de batalhões que atuam em regiões com maior índice de criminalidade (Foto: PMERJ)

O 11º Batalhão de Polícia Militar, em Nova Friburgo, não vai receber, por enquanto, nenhuma das novas viaturas adquiridas pela corporação. Na última terça-feira, 10, pelo menos 85 dos 580 veículos comprados com recursos da PM chegaram em três carretas ao Batalhão de Polícia de Choque (BPChq), no Estácio, Zona Norte do Rio de Janeiro.

De acordo com o comandante do 11º BPM, coronel Eduardo Vaz Castelano, nenhum dos 285 carros do primeiro lote virá para Friburgo. “As novas viaturas vão substituir veículos em pior estado e de batalhões que fazem o patrulhamento de áreas com maiores índices de criminalidade, na capital, Região Metropolitana e Baixada Fluminense”, explicou o comandante.

Castelano disse ainda que a frota do 11ºBPM, responsável pelo policiamento de Nova Friburgo e outras sete cidades da região Centro-Norte, está em melhor estado que a de outros batalhões, apesar da falta de recursos para manutenção dos carros. O “Onze”, como é conhecido o Batalhão Tiradentes, de Nova Friburgo, conta com cerca de 60 viaturas, mas nem todas estão em operação.

Os novos carros adquiridos pela PM são do modelo Ford Ka e serão numerados e terão instalados equipamentos de comunicação e de controle de abastecimento (rádios e chips identificadores). Segundo a Secretaria Estadual de Segurança, os primeiros 290 carros deverão estar prontos para entrar em operação até o fim deste mês.

No total, a frota da PM terá um reforço de 750 veículos. Além das 530 rádios-patrulha e 50 carros descaracterizados para o Serviço Reservado (P2) já adquiridos, outros 170 veículos utilitários serão comprados pela corporação militar. O processo de aquisição das viaturas começou, no ano passado, cujo valor do edital de licitação foi de R$ 64,3 milhões.

Segundo o governo do estado, desde fevereiro, mais de 700 viaturas passaram por reformas em 61 oficinas credenciadas na capital, Baixada e interior. Esse número representa 30% dos veículos que deixaram de circular por problemas de manutenção durante o ano passado. A reforma dos carros custou R$ 2,5 milhões, mas a corporação possui ainda previsão orçamentária R$ 93 milhões para esse tipo de despesa.

 

Publicidade
Agora Faz
TAGS: