Barbearias modernas levam charme às ruas de Friburgo

Com uma pegada cool, espaços conquistam os homens com diferenciais que vão muito além da decoração
quinta-feira, 06 de julho de 2017
por Alerrandre Barros

Há algum tempo barbearias vêm deixando de ser sinônimo de lugares simples e com profissionais que se limitavam ao “barba, cabelo e bigode”. Enquanto as tradicionais continuam firmes e fortes, as modernas se esmeram para conquistar uma geração de homens mais vaidosos. Em Nova Friburgo, elas estão se espalhando no melhor estilo vintage, tanto no que diz respeito à decoração do ambiente quanto nos serviços, com o uso de navalhas e toalhas quentes.

Na Rua Portugal, trecho frequentado por uma turma mais alternativa, um barril preto e um pequeno poste giratório com listras azuis, vermelhas e brancas (o barber pole, em inglês) chama a atenção de pedestres para um espaço recém-inaugurado. A El Bigodón, aberta em abril deste ano, é filial de uma barbearia criada há cerca de um ano em Cachoeiras de Macacu.

“Nós estávamos procurando uma cidade para abrir uma nova unidade e decidimos por Friburgo, porque a proposta da nossa barbearia é cara da cidade: ao mesmo tempo clássica e moderna. Fazemos um atendimento sem pressa, praticamente consultoria para oferecer o melhor para o cliente”, diz o empresário Geovani Barroso, que investiu no espaço com Pierre Barbosa.

Com pouco tempo na cidade, a procura pelos serviços da El Bigodón superou as expectativas dos sócios. Crianças, jovens, adultos e até mulheres estão entre os clientes. A barbearia oferece serviços típicos, corte, coloração (de cabelo e barba) e  alisamento, ao som de jazz, blues e rock dos anos 1950. Em breve, o espaço vai oferecer barboterapia e um pacote de serviços exclusivos para o Dia do Noivo. O corte custa R$ 30 e barba R$ 25.

A poucas quadras dali, outra que vem inovando e se adequando ao perfil mais descolado é a Barbearia Rezende, que há dez anos funciona na movimentada Avenida Euterpe Friburguense. “Aos poucos a gente vai melhorando o espaço para torná-lo mais agradável para o cliente. Estamos comprando cadeiras retrô para compor o visual que queremos”, afirma Uelinton Rezende, que começou a trabalhar na área por estímulo da família.  

Quadros, ilustrações e miniaturas de carros clássicos se misturam às ferramentas de trabalho num espaço amplo e aberto a todas as idades. Uma geladeira expõe bebidas que são vendidas para o cliente que espera. Os serviços clássicos de barbearia são oferecidos na Rezende, mas a novidade é a prótese capilar em micropele para homens, que chega nos próximos meses. O corte de cabelo sai por R$ 20 e a barba por R$ 15.

O rock pesado dá o tom na Mustache da Serra. Dá para ouvir a trilha sonora ao passar pela Rua Mac-Niven, onde funciona a barbearia que atende a “um público mais underground, rock and roll, motoclube”, como define Alessandro Alves, parceiro de Vitor Teixeira na empreitada. Amigos há anos, eles decidiram largar um emprego numa loja num shopping e tentar outra coisa. O investimento deu certo.

“A gente atende com hora marcada, sem pressa. Não temos interesse que a barbearia se torne uma linha de produção, sabe? Somos tradicionais. Oferecemos cortes de cabelo e barba, cerveja artesanal, que paga nossa internet e luz, e, claro, muito rock’n’ roll”, disse Alessandro. “Vamos oferecer música ao vivo, em breve”, adianta. O corte lá custa R$ 20 e barba R$ 18. Tem desconto para quem fizer os dois.

“Agregar serviços e produtos é a nossa estratégia”, conta Sávio Vogt, um dos sócios da Castello Forte, no Cadima Shopping. “A gente decidiu abrir algo diferente. Daí surgiu a ideia de uma barbearia & loja de roupas & cafeteria. Enquanto o cliente espera o corte, ele pode comprar uma camisa, tomar uma bebida. Quanto mais opções dermos para o cliente, melhor”.

Inaugurada há pouco mais de um ano, a Castello Forte é exemplo de um tipo de negócio que está em expansão no país, por oferecer produtos e serviços variados no mesmo lugar. Todo conceito do espaço, no primeiro piso do shopping, foi inspirado na história de Friburgo. A barbearia oferece cortes de cabelo e barba, alisamento, coloração e a toalha quente para os barbudos. Os profissionais atendem a um público dos 15 aos 50 anos. O corte custa R$ 30 e a barba sai por R$ 18.

Moderninhas x tradicionais

Não há um número exato de barbearias abertas na cidade, porque muitas funcionam na informalidade. O que se sabe é que são muitas. O que o empresário pode fazer para se destacar nesse concorrido mercado? Para o orientador de negócios do escritório regional do Sebrae, Tiago Schott, é preciso entender o público-alvo e observar a concorrência para oferecer uma experiência diferenciada ao cliente.

“Os serviços oferecidos pelas barbearias mais modernas, geralmente, são mais caros que as tradicionais. O empresário deve buscar formas de fidelizar o cliente dentro do seu nicho de mercado. As modernas podem oferecer serviços exclusivos, experiências durante o tempo de espera e até a venda de produtos que agreguem valor ao ticket médio (valor médio que o cliente gasta no estabelecimento). Já nas barbearias clássicas, que costumam oferecer serviços tradicionais, o diferencial está no preço dos serviços e na confiança e credibilidade do profissional. Para ambas, o bom atendimento é fator primordial”, sugere Schott.

 

OS CORTES QUE FAZEM A CABEÇA DELES

Além dos cortes tradicionais pedidos todos os dias nas barbearias, alguns penteados vêm fazendo a cabeça de uma turma em Friburgo. O Faded (degradê) e o Pompadour são os queridinhos do momento. Quase todo dia dá para ver alguém caminhando com um deles pelas ruas. O degradê precisa de manutenção a cada duas semanas. O outro requer pomadas para manter o topete arrumado. Separamos os cortes estilosos mais pedidos aos barbeiros da cidade:

AS BARBAS DO MOMENTO

É preciso paciência para cultivar uma barba de "reponsa". Os barbudos devem procurar um bom profissional para indicar qual o melhor modelo que combine com o seu rosto e estilo. As dicas básicas são fazer manutenção de 15 em 15 dias, penteá-la e utilizar produtos de boa qualidade, como xampus e óleos. Com a ajuda dos barbeiros ouvidos para esta edição do Caderno Z, montamos uma lista com as barbas do momento para você se inspirar. Os profissionais contaram que algumas delas nunca vão sair da moda, porque, na verdade, pode tudo: bigode, barbicha, cavanhaque, costeleta…  

Profissão: barbeiro

Diferente de outros profissionais que vêm sofrem com a crise no país, o barbeiro tem sempre trabalho por causa da necessidade do brasileiro em ter os cuidados básicos da aparência em dia. Para quem busca uma recolocação no mercado, a profissão oferece facilidades que não existem em outras como, por exemplo, investimento pequeno e uma rápida inserção no mercado de trabalho.

O profissional iniciante recebe, no mínimo, de R$ 1.200 (base salarial), podendo chegar R$ 6.000. Em Friburgo, o Senac oferece curso de capacitação com 160 horas de duração, que contempla conceitos de visagismo na execução de diversos cortes de cabelos, aparo, modelagem e raspagem dos pelos da barba, bigode, cavanhaque e costeletas. Saiba mais em www.rj.senac.br.

Para o barbeiro que deseja melhorar seu negócio, o programa Sebrae Beleza oferece capacitações em gestão específicas para o setor, englobando barbearias, salões de beleza e clínicas estéticas. Neste ano já estão programadas oficina de finanças, workshop sobre gestão de conflitos, palestra de marketing digital entre outras atividades em Friburgo. Mais informações podem ser obtidas no escritório do Sebrae, na Rua Fernando Bizotto, 72, no Centro. O telefone é (22) 2523-6908.

LEIA MAIS

Giro Moda vai apresentar as novidades dos setores de confecção e têxtil vistas em desfiles e feiras internacionais

Evento gratuito de dia inteiro na Acianf é desenvolvido pelo Sebrae. Um dos convidados é Luiz Antônio Secco

Depoimentos emocionantes revelam como pais de diferentes perfis se relacionam com seus filhos

Publicidade
Agora Faz