Bairro Nova Suíça ganhará bosque como área de lazer

Terrenos para implantação de áreas verdes foram identificados através de drones
sexta-feira, 09 de março de 2018
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
O Nova Suíça (Arquivo AVS)

Quatro terrenos no bairro Nova Suíça devem virar espaços comunitários. Os lotes, pertencentes a prefeitura, foram identificados por um drone manuseado por geólogos e geógrafos do Departamento de Geomática do município. A ação, que aconteceu em parceria com a associação de moradores do bairro, visou justamente identificar terrenos para implantação de áreas comuns e de lazer na comunidade.

De acordo com o governo municipal, o intuito da implementação desses espaços também é evitar que áreas públicas sejam ocupadas indevidamente. O município esclareceu ainda que os lotes serão transformados em uma espécie de bosque, que contará com uma horta comunitária, uma praça com academia ao ar livre, gramados, bancos, e a sede da associação de moradores.

Esse e outros projetos de revitalização para o bairro que observou grande crescimento populacional nos últimos anos, utilizando as áreas mapeadas pelo drone, foram apresentados à comunidade no último domingo, 4, durante o evento Meu Bairro + 200. Ainda de acordo com a prefeitura, além de Nova Suíça, outras localidades já foram mapeadas e serão avaliadas para verificação de viabilidade de ações de revitalização, como Granja Spinelli, Olaria, Parque São Clemente, bairro Ypu, Mury, Parque Maria Tereza e até mesmo o centro da cidade. O município ainda não informou, porém, quando esses espaços serão inaugurados.

Geomapeamento

De acordo com a prefeitura, o trabalho de geomapeamento por drone que tem sido desenvolvido pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano Sustentável visa modernizar e contribuir para a elaboração de projetos de revitalização. O drone coleta dados que são inseridos posteriormente em um software doado ao município pelo Ministério das Cidades para utilização no Gides (Projeto de Fortalecimento da Estratégia Nacional de Gestão Integrada de Riscos em Desastres Naturais). Juntos, eles são capazes de identificar áreas de risco geológico, monitorar terrenos ocupados irregularmente e ajudar na elaboração de projetos para revitalização e recuperação de áreas degradadas, criando moldes em 3D com informações precisas de metragem e inclinações do terreno.

Publicidade
TAGS: