Após recorde sul-americano, nadadora friburguense fatura mais um

Jhennifer Alves bate 2 recordes seguidos e leva mais uma medalha de ouro na 49ª edição do Campeonato Mundial Militar de Natação
sábado, 16 de dezembro de 2017
por Vinicius Gastin
Foto de capa
Jhenny vibra com vitória: ano de conquistas e boas marcas

O final de ano ainda reservava um grande presente para Jhennifer Alves. Detentora de marcas importantes ao longo da temporada, a nadadora de Nova Friburgo voltou a fazer história, desta vez colocando em sua galeria mais uma conquista internacional. Jhenny bateu dois recordes consecutivos, e desta forma, levou mais uma medalha de ouro na 49ª edição do Campeonato Mundial Militar de Natação, realizado na piscina da Unifa, no Rio de Janeiro.

Na primeira prova, realizada na manhã de quarta-feira, 13, a atleta friburguense nadou com o tempo de 30 segundos e 91 centésimos, estabelecendo assim um novo recorde para a competição. Poucas horas depois, à tarde, Jhennifer bateu a própria marca ao nadar em 30 segundos e 58 centésimos. Além da boa marca, também chama a atenção a diferença confortável para a segunda colocada, a ucraniana Maria Liver, que bateu com 31 segundos e dois centésimos.

A russa Maria Temnikova completou o pódio, com o tempo de 31 segundos e 84 centésimos. “Nada é impossível para aquele que acredita. Jamais pense que as coisas são impossíveis, e lembre-se de nunca desistir de lutar todos os dias”, escreveu em seu perfil de uma rede social.

Antes de mais essa marca na carreira, a atleta já havia brilhado há alguns dias durante outro evento, também promovido na piscina da Universidade da Força Aérea (Unifa), no Rio de Janeiro. Na ocasião foram disputados o Campeonato Brasileiro Sênior, o Campeonato Brasileiro Júnior e o Torneio Open CBDA-Correios.

A friburguense roubou a cena no dia oficial do adeus de Poliana Okimoto das piscinas, quebrando o recorde sul-americano. Jhenny, que defende o Pinheiros, superou a marca da América do Sul ao completar os 50 metros, nado peito, com o tempo de 30 segundos 51 centésimos. No início do ano, ela havia cravado 30 segundos e 63 centésimos. Evolução comprovada e registrada em números.

“Consegui uma marca expressiva e estou muito feliz por isso. A piscina é muito boa, também nado pela Aeronáutica e me sinto em casa aqui. Tudo isso é fruto de um trabalho muito bom e muito forte que faço todos os dias”, disse.

Nesta mesma prova, Júlia Sebastian, da Unisanta, faturou a medalha de prata ao fazer 31 segundos 20 centésimos – distância bem razoável na comparação com a marca de Jhenny. Ana Carla Carvalho, também do Pinheiros, completou a prova com o tempo de 31 segundos e 28 centésimos.

O desempenho destacado também rendeu à Jhennifer a premiação de atletas eficientes, tanto no Campeonato Brasileiro Sênior, quanto no Open CBDA-Correios, onde dividiu o título com a atleta Júlia Sebastian, da Unisanta.

Além da marca pessoal, Jhennifer contribuiu de forma decisiva para que sua equipe, o Esporte Clube Pinheiros, faturasse o título de campeão geral do Torneio Open CBDA-Correios. O clube paulista também foi o vencedor do Campeonato Brasileiro Sênior, e o Corinthians conquistou o título do Campeonato Brasileiro Júnior.

Depois de quatro dias de competições, o Pinheiros somou 499 pontos. A Unisanta, de Santos, ficou com a segunda colocação ao somar 296 pontos e o Minas Tênis Clube, de Minas Gerais, ficou com o troféu de terceiro lugar.

Os novos resultados da nadadora friburguense recheiam ainda mais o ano vitorioso. Recentemente, Jhenny conquistou o título da primeira edição do Troféu FAP, promovida no parque aquático do Pinheiros, em São Paulo.

Além de ter alcançado a segunda melhor marca pessoal nos 50 metros peito, especialidade na natação, ainda foi premiada como a atleta com melhor índice técnico entre as mulheres participantes da competição. Na ocasião, ela cumpriu a distância em um tempo de 30 segundos e 76 centésimos.

 Ainda antes desta conquista,a atleta havia quebrado os até então recordes brasileiro e sul-americano, e alcançado o quinto melhor tempo do mundo na temporada na prova dos 50 metros peito durante o Troféu Maria Lenk, realizado em maio Rio de Janeiro. À época cravou o tempo de 30 segundos e 63 centésimos, quebrando o recorde sul-americano que perdurava desde 2009 – o primeiro desse nível alcançado na competição.

Jhennifer já apresentava uma sequência de melhoras de tempo na prova no Open 2016 (31s08) e nas eliminatórias da prova (31s04). Enfim, depois de 19 vezes na casa dos 31 segundos, Jhenny conseguiu baixar o tempo para 30s63, apagando o recorde de oito anos de Tatiane Sakemi 30s81, registrado no Maria Lenk de 2009.

LEIA MAIS

Jhennifer Alves vence, no Maria Lenk, os 50 metros peito da mais importante prova de natação do país

De quinta a sábado, atleta nadará 50m peito, 200 metros peito e 100 metros medley

Nadadora Jhennifer Alves e lutadores Edson Barboza e Marlon Moraes recebem Medalha do Mérito Esportivo

Publicidade
Agora Faz
TAGS: natacao