Alunos da Escola Hermínia Condack retomam aulas

Muro em frente ao colégio foi reconstruído; aulas de reposição terão início na primeira sexta-feira de março
quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
Muro foi construído com recuo, seguindo normas do DER-RJ (foto: João Luccas Oliveira)

Os alunos da Escola Municipal Hermínia Condack, localizada na Avenida Antonio Mario de Azevedo, no distrito de Campo do Coelho, deram início ao ano letivo na quarta-feira, 22. As aulas haviam sido adiadas em acordo com os pais dos alunos para que fosse reconstruído um muro em frente à unidade, separando o pátio da escola da rua. As obras do muro foram iniciadas no último dia 8 e concluídas na última segunda-feira, 20.

De acordo com a prefeitura, o muro foi construído com recuo, seguindo normas do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RJ), já que a escola fica localizada às margens da estrada que liga Nova Friburgo a Teresópolis, a RJ-130. O novo paredão acompanhou os muros dos imóveis laterais ao educandário, sendo as obras fiscalizadas por engenheiros da Secretaria de Obras e funcionários da Secretaria de Educação.

Ainda conforme a prefeitura, a reposição das aulas perdidas neste período acontecerá a partir do dia 3 de março. “A cada 15 dias, sempre às sextas-feiras, haverá mais duas horas de aulas, até que sejam compensados os dez dias letivos que a unidade permaneceu fechada para a construção do muro”, disse, em nota, a Subsecretaria de Comunicação.

Entenda o caso

O muro da Escola Municipal Hermínia da Silva Condack começou a ser demolido no dia 26 de dezembro do ano passado. No local, uma tela de proteção havia sido instalada a cerca de dois metros para dentro da área de recreação da escola.

Na época, o governo passado anunciou que a obra tinha como objetivo a construção de um recuo para ônibus escolares e, consequentemente, o embarque e desembarque dos estudantes de forma segura. A obra, porém, foi interrompida.

No primeiro dia do ano letivo, 6 de fevereiro, mães de alunos derrubaram a grade de proteção em um ato de protesto contra a demolição do muro da unidade. Por conta da ação, as aulas foram adiadas em dez dias.

LEIA MAIS

Mães reclamam da falta de segurança. Secretaria de Educação faz reunião nesta segunda-feira com pais e direção do colégio no distrito Campo do Coelho

Moradores reclamam da falta de saneamento básico no loteamento que cresceu em meio à mata nativa, em Campo do Coelho

Nova Suíça, Caledônia e Campo do Coelho estão entre as localidades atingidas

Publicidade
Agora Faz