Alegorias do último carnaval seguem abandonadas no Catarcione

Local agora se transformou em vazadouro de lixo e entulho. Sujeira, água parada, mosquitos e animais peçonhentos são alvos de reclamações dos moradores
terça-feira, 07 de junho de 2016
por Dayane Emrich
Foto de capa
Alegorias estão abandonadas desde o fim do carnaval (Foto: Lúcio Cesar Pereira)

O desfile das escolas e blocos de carnaval de Nova Friburgo aconteceu há mais de quatro meses, mas quem passa pela Rua Eugênio Nideck, logo no acesso ao bairro Catarcione, pode até pensar que a festa ainda não acabou. Isso porque, no local, os adereços que encantaram o público durante a festividade foram abandonados num terreno e acabaram se tornando um pesadelo para a população.

Na manhã desta terça-feira, 7, a equipe de reportagem de A VOZ DA SERRA esteve no bairro e ouviu alguns moradores que reclamaram da sujeira, água parada, além da presença de mosquitos e animais peçonhentos. “Basta começar a garoar que várias poças d’água se formam em cima das estruturas. Já vi ratos e baratas ali. Tem gente que pensa que o local é um depósito de lixo e joga todo o tipo de entulho”, diz a dona de casa Marta Vieira, de 48 anos.

Segunda ela, os carros e adereços pertencem ao bloco carnavalesco Bola Branca, que tem sede no Catarcione. “Isso já está aí há muito tempo. Logo depois do desfile colocaram as alegorias neste terreno. Só que nós pensamos que logo as alegorias seriam retiradas dali”, exclama.

Para o aposentado Manuel Ricardo de Medeiros, 59 anos, a situação é preocupante. “Está uma nojeira! É muito mosquito. Com esse problema da dengue e outras doenças, já era para alguém ter providenciado a limpeza do local”, afirma.

Como se não bastasse o abandono dos carros alegóricos, a equipe flagrou também estruturas de ferro, gesso e isopor empilhadas a céu aberto em um corredor ao lado da entrada da quadra do bloco e, no espaço junto aos carros, sacos de lixo, restos de material de obra, caixas de papelão, entre outros objetos.

Vale destacar ainda que, no último dia 11 de março A VOZ DA SERRA publicou reportagem sobre o descarte das alegorias no terreno da Rua Eugênio Nideck. Na ocasião, o então presidente da agremiação, Johnny Vogas, garantiu que a limpeza seria feita em uma semana: “Vamos realizar uma reunião para definir quem assumirá a diretoria do bloco e também fazer a limpeza do local”, disse ele, assegurando que os carros alegóricos e o entulho seriam retirados nos próximos dias. De lá para cá, somente parte das fantasias e materiais usados no carnaval, que estava em frente a quadra, foi removida.

A redação do jornal tentou contato com a agremiação carnavalesca durante o dia de ontem para saber um posicionamento da diretoria sobre a retirada das alegorias do terreno no Catarcione, mas não obteve êxito até o fechamento desta edição.

LEIA MAIS

Ação tem como objetivo promover conscientização sobre a forma adequada de descarte de resíduos sólidos

Materiais de construção são descartados às margens da via. Até um sofá foi jogado próximo à cachoeira da adutora

Apesar de tímida, ação expressa descontentamento da comunidade com sujeira em calçadas do Centro

  • Sacos de lixo, restos de material de obra e caixas de papelão também foram descartados no local (Foto: Lúcio Cesar Pereira)

    Sacos de lixo, restos de material de obra e caixas de papelão também foram descartados no local (Foto: Lúcio Cesar Pereira)

  • Estruturas de ferro, gesso e isopor empilhadas a céu aberto em um corredor ao lado da entrada da quadra do bloco (Foto: Lúcio Cesar Pereira)

    Estruturas de ferro, gesso e isopor empilhadas a céu aberto em um corredor ao lado da entrada da quadra do bloco (Foto: Lúcio Cesar Pereira)

  •  “Está uma nojeira! É muito mosquito e ninguém faz nada”, diz o aposentado Manuel Ricardo de Medeiros (Foto: Lúcio Cesar Pereira)

    “Está uma nojeira! É muito mosquito e ninguém faz nada”, diz o aposentado Manuel Ricardo de Medeiros (Foto: Lúcio Cesar Pereira)

Publicidade
Agora Faz