A 500 dias do bicentenário de Nova Friburgo

O desafio do legado: unir e integrar nossa gente — um artigo de Girlan Guilland
sexta-feira, 30 de dezembro de 2016
por Girlan Guilland
Foto de capa

Aos mais de 7.300 dias que nos separavam naquele ano de 1998, quando começamos a lembrar do feito histórico da passagem do bicentenário da fundação de Nova Friburgo pelo Rei Dom João VI, agora apenas 500 dias — pouco menos de um ano e meio — nos restam para o grande e aguardado instante. 

Quis o destino que a ocorrência de tal efeméride coincidisse com o momento da ascensão de um novo governo do município, neste 1º de janeiro de 2017.

Como tem afirmado o prefeito ora investido no cargo de mandatário dos destinos friburguenses pelos próximos quatro anos, comemorar os 199 — bem como os aniversários que já se antecederam — é tão importante quanto celebrar os 200 anos. O engenheiro Renato Pinheiro Bravo incorpora assim a figura do “Prefeito dos Dois Séculos” de Nova Friburgo, com uma mensagem bem clara e nítida do importante momento de integração que a data inspira. É preciso lembrar sempre que, muito mais do que festas e folguedos, a grande missão é a de garantir um legado importante e expressivo do resgate e o reposicionamento de Nova Friburgo no contexto das cidades de porte médio brasileiro.

Nos últimos quase 19 anos, a antecipação do tema pode não ter cumprido o objetivo inicial de adiantar muitas providências, em possíveis frentes de ações que acabaram sofrendo solução de continuidade ao longo do tempo, seja pelas catástrofes políticas ou ambientais. De toda maneira, a insistência no assunto contribuiu para despertar no consciente coletivo o sentimento pela causa. A riqueza histórica como um dos mais significativos exemplos de nossa especial condição de cidade inserida na historiografia do mundo é apenas um exemplo.

Muito poderia ter sido feito, no tempo que passou. Mas ainda há tempo. O entendimento de que os 200 anos de Nova Friburgo não se encerram exatamente no 16 de maio de 2018 é o que temos. Muito além das celebrações, evidentemente à altura do que o município representa, deveremos investir nas consequências positivas e desdobramentos do momento que Nova Friburgo tem de, no mínimo, gritar para o Brasil e os 10 países que o formaram, reafirmando a sua posição de importância.

O desafio está posto e é dos mais instigantes. Como envolver e integrar as pessoas no esforço para que tudo aconteça? A festa é nossa e é de todos. Refletir sobre a viabilidade da melhor forma de organizá-la nos leva a pensar na possibilidade de fazer com que o bicentenário seja para todos os interessados em que tudo dê certo e aconteça da melhor forma possível, um grande banco de oportunidades. Terra do empreendedorismo, forjado pela ação inventiva de tantos e pioneiros povos desbravadores, este será mais um exemplo positivo. Fazer da festa a oportunidade de geração de renda, privilegiando e valorizando profissionais que queiram viabilizar projetos e ideias, desde que sob a égide de uma comissão organizadora central, à frente o novo Governo, integrando todas as forças, mais do que representativas, decididamente propulsoras da Nova Friburgo cada vez melhor com que sempre sonhamos. Rumo a um novo tempo! Rumo a uma Nova Friburgo sempre NOVA!

LEIA MAIS

Um artigo de Marcelo Quintanilha Salomão ao Nova Friburgo Country Clube

"Como se eu, mãe-adulta-responsável, fosse a certeza de que a explicação está logo ali"

Um artigo de Márcia Lobosco, mestre em Relações Étnico-Raciais pelo Cefet-RJ com a dissertação “Trajetória de Professoras Negras no município de Nova Friburgo"

Publicidade
Agora Faz
URL da notícia:
TAGS: Artigo