Gratidão e espiritualidade auxiliam na melhora da ansiedade e depressão

César Vasconcelos de Souza

Cesar Vasconcellos de Souza

Saúde Mental e Você

O psiquiatra César Vasconcellos assina a coluna Saúde Mental e Você, publicada às quintas, dedicada a apresentar esclarecimentos sobre determinadas questões da saúde psíquica e sua relação no convívio entre outro indivíduos.

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Quando se vive certos traumas, luto pela morte de alguém, não é incomum experimentar ansiedade excessiva ou depressão como resposta à estas situações dolorosas. Será que a gratidão e a espiritualidade colaboram na busca de reagir diante de sofrimentos assim?

No estudo intitulado “Será a gratidão e a espiritualidade fatores protetores contra psicopatologia?”, os cientistas David H. Rosmarin, Elizabeth J. Krumrei, Kenneth I. Pargament, do Departamento de Psicologia da Universidade Estadual Bowling Green, e publicado na Revista Internacional de Psicologia Existencial e Psicoterapia, vol.3, n.1, janeiro de 2010, examinaram se cultivar gratidão e espiritualidade teriam efeitos de proteção contra ansiedade exagerada e estados depressivos.

O estudo envolveu 120 cristãos (católicos, protestantes tradicionais, evangélicos e mórmons), e 234 judeus (ortodoxos, conservadores, reformados e outros), sendo 60% mulheres e 40% homens com idade média de 36 anos. Foram feitas avaliações com questionários sobre gratidão, religiosidade em geral, práticas religiosas e crenças centrais positivas sobre confiança em Deus, e com questionários que avaliavam ansiedade traço (ansiedade acima da média) e depressão.

Os resultados mostraram haver correlações estatisticamente significativas entre todas as variáveis, sugerindo que a gratidão e a espiritualidade realmente são fatores protetores contra a ansiedade e a depressão tanto nos cristãos quanto nos judeus que participaram do estudo.

Autores considerando gratidão como uma emoção (Watkins, Woodward, Stone & Kolts, 2003) afirmam que ela é o sentimento de apreciação por favores recebidos. Gratidão, em si mesma, é uma emoção agradável e pessoas gratas podem experimentar emoções positivas de forma aumentada, gerando bem-estar em resposta aos resultados positivos. Pessoas agradecidas também podem ver a si mesmas como bondosas em momentos difíceis, daí a gratidão pode servir de fonte de ajuda psicológica em tempos difíceis.

Com relação à espiritualidade, os cientistas afirmam no estudo acima que a crença numa força divina amável e guiadora, pode ser também fonte de ajuda psicológica em momentos de luto. Segundo eles, a fé pode promover otimismo e prevenir a desesperança em tempos de sofrimento, e assim proteger contra a depressão. Lembrando que na depressão a perda da esperança é um fator marcante da doença.

Também foi mostrado que gratidão e espiritualidade estão associadas uma com a outra, e ainda que gratidão interpessoal possa ser experimentada por qualquer um, as pessoas religiosas e espirituais atribuem isto ao divino, facilitando ter estas atitudes de forma mais ampla. Em trabalho anterior os doutores Pargament e Mahoney (2005) mostraram que a percepção do sagrado em vários aspectos da vida pode fazer surgir a gratidão. Assim, a espiritualidade pode aumentar a experiência de gratidão e a combinação disto tudo auxiliar no lidar com perdas, ansiedade e depressão.

Na conclusão do estudo os cientistas recomendaram que é importante o profissional de saúde avaliar a pessoa quanto à gratidão e espiritualidade no decorrer da psicoterapia, e que isto pode ser feito através de questionário ou perguntando sobre este assunto ao cliente. Concluíram que ao tratar pessoas com depressão e ansiedade, pode ser útil incentivá-los a cultivar um maior senso de gratidão. Você pode, por exemplo, escrever um dia em cada semana uma lista com cinco coisas grandes ou pequenas pelas quais se sentiu agradecido naquela semana.

Finalmente, os autores relataram que pode ser útil incentivar a pessoa a pensar sobre a fonte divina em relação à qual ela tem gratidão e alimentar atitudes de agradecimento numa base regular pelas bênçãos recebidas.

Pare um momento agora ao ler este artigo e pense: posso me sentir agradecido hoje pelo que? Que coisas em minha vida são bênçãos, apesar de lutas, perdas, dificuldades que estou vivendo? Sugiro você tomar uma decisão de cada dia, ao ir deitar à noite, pensar nas coisas daquele dia pelas quais você pode ser grato e também desenvolver sua espiritualidade. A ciência já comprovou que estes são fatores protetores para sua saúde mental.

Publicidade
TAGS:
César Vasconcelos de Souza

Cesar Vasconcellos de Souza

Saúde Mental e Você

O psiquiatra César Vasconcellos assina a coluna Saúde Mental e Você, publicada às quintas, dedicada a apresentar esclarecimentos sobre determinadas questões da saúde psíquica e sua relação no convívio entre outro indivíduos.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.