Para qual escola de samba eu torço?

Wanderson Nogueira

Wanderson Nogueira

Observatório

Jornalista, cronista, comentarista esportivo, já foi vereador e agora é deputado. Ufa! Com um currículo louvável, o vascaíno Wanderson Nogueira atua com garra no time de A VOZ DA SERRA em Observatório, sua coluna diária.

quarta-feira, 07 de fevereiro de 2018

Hoje é dia

  • do gráfico

O dia

Há 104 anos, aos 24 anos de idade, Charlie Chaplin apareceu pela primeira vez no cinema como o vagabundo, personagem que o faria famoso, no curta Kid Auto Races at Venice. Chaplin é até hoje considerado um dos mais geniais artistas da história.

Observando...

Cinco notícias que, talvez, você não viu

  • Estado do Rio de Janeiro é o líder em benefícios para juízes
  • Justiça em São Paulo libera exportação de animais vivos em todo o Brasil
  • Rio Grande do Norte e Goiás lideram ranking de testemunhas ameaçadas
  • Uber terá de se explicar ao MP sobre vazamento de dados de brasileiros
  • Vasco e Fluminense votam contra árbitro de vídeo no Brasileirão 2018

Palavreando

No final das contas, independente de quem você foi e de como você agiu perante a vida e o que fez com o tempo que lhe foi concedido aqui nessa atmosfera, você não levará nada, absolutamente nada, a não ser as coisas que viveu.

Para qual escola de samba eu torço?

Portela. Com toda convicção sou portelense. Não diria desde que nasci, porque não é verdade. Minha família nunca foi muito ligada à carnaval, mas desde muito pequeno eu já ficava deslumbrado com todos aqueles coloridos, o batuque, as melodias, a alegria popular. Foi quando ainda nem sabia ler que decidi que teria que escolher uma escola de samba para torcer. Folheei alguns jornais, vi as fotos e apontei o dedo para uma águia linda. Disse: É essa! Minha mãe leu para mim o nome: Portela! E de lá pra cá, minha paixão só cresceu ao ponto de certo fanatismo.

Por óbvio, isso não é surpresa e tampouco causa curiosidade. Você quer mesmo é saber para qual escola de samba eu torço em Nova Friburgo. Não é verdade? Já desfilei em todas as escolas ainda em atividade na cidade. Já comemorei o título de cada uma delas. Confesso que torço para uma ou outra quando me apaixono pelo samba ou o enredo. Mas remontemos a minha história.

Comecei a acompanhar o carnaval de Nova Friburgo através da minha tia que levava a mim e meus irmãos para ver os desfiles na Alberto Braune. Meus pais eram caseiros demais. Nasci no Perissê. Logo, você deve imaginar que no olhar de criança, você torcerá pela escola do seu bairro. E assim foi. Mas logo depois, minha família se mudou para Olaria. E, na ingenuidade infantil passei a torcer para a Imperatriz de Olaria. O tempo passou e já na adolescência mudei para o Floresta, em Conselheiro Paulino. Minha memória afetiva me trouxe de volta meus olhos brilhando para um Zé Carioca que tinha não só a minha simpatia, mas de todas as crianças. Não podia torcer pelo Alunão. Era de outro bairro. Mas morando lá, somado às dificuldades do distrito e meu lado socialista crescente, a escola que atravessa até os dias de hoje muitas dificuldades ganhou meu coração.

Mas ao mesmo tempo que tinha essa ligação de infância com o Zé Carioca, já entendendo melhor tudo, era inevitável não olhar para a águia da Vilage e reconhecer nela a minha Portela. Aquela que escolhi não pelo bairro onde morava, mas por instinto. Afinal, a vida é feita de símbolos. Adoro a quadra da Vilage!

Sim. Torço para as quatro agremiações friburguenses. Num ano, mais para uma. No outro, mais para outra. Depende do enredo, do samba, do que faz na avenida. Quando cobria a apuração pela Rádio Friburgo, muitos me acusavam de estar torcendo para A ou B. Para mim, não tinha essa. Era como deixar de lado o coração vascaíno, quando fazia jogos do Vasco. Minha opinião também ficava em casa. O que nunca consegui deixar de lado, é o coração friburguense nos jogos do Frizão. Mas isso é outra história.    

Folia na região (1)

Antes de Nova Friburgo ganhar tantos blocos de rua, Bom Jardim e Madalena eram destinos certos de friburguenses que buscavam esse tipo de diversão. O forte do município para blocos sempre foi a sexta-feira. Mas o crescimento visto no Rio é acompanhado por aqui também se estendendo assim a outros dias. Mesmo assim, os municípios vizinhos continuam na agenda dos foliões locais. 

Folia na região (2)

Em Santa Maria Madalena, a Rua Barão de Madalena, no Centro terá os seus tradicionais blocos a partir de domingo, 11, além de trio elétrico com shows musicais. Em Bom Jardim, tem o famoso Jegue Elétrico desfilando no domingo. A segunda-feira, 12, será especial para o Bloco das Piranhas que faz a festa em Nova Friburgo na sexta-feira, 9. Vale repetir a fantasia por lá!

Lei Seca no carnaval

A Operação Lei Seca vai reforçar as ações de fiscalização e conscientização durante o carnaval. O esquema especial, que será iniciado na sexta-feira, 9, e vai até terça-feira, 13, contará com todo o efetivo nas ruas, que soma 250 agentes. Serão realizadas ao todo 70 ações neste período, inclusive durante o dia, nas saídas dos blocos de rua, das praias e cachoeiras do estado. As operações acontecerão também no interior, inclusive em Nova Friburgo.

Publicidade
TAGS:
Wanderson Nogueira

Wanderson Nogueira

Observatório

Jornalista, cronista, comentarista esportivo, já foi vereador e agora é deputado. Ufa! Com um currículo louvável, o vascaíno Wanderson Nogueira atua com garra no time de A VOZ DA SERRA em Observatório, sua coluna diária.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.