O dedo do pé do Neymar

Wanderson Nogueira

Wanderson Nogueira

Observatório

Jornalista, cronista, comentarista esportivo, já foi vereador e agora é deputado. Ufa! Com um currículo louvável, o vascaíno Wanderson Nogueira atua com garra no time de A VOZ DA SERRA em Observatório, sua coluna diária.

quarta-feira, 07 de março de 2018

Hoje é dia

  • Mundial da Saúde
  • do médico legista
  • do fuzileiro naval
  • do paleontólogo
  • da fundação da OAB

O dia

Em 7 de março de 1808, D. João VI chegou ao Rio de Janeiro acompanhado da família real e outras dez mil pessoas da corte portuguesa. O monarca deixou Portugal depois que o país, invadido por Napoleão, foi dividido entre França e Espanha no Tratado de Fontainebleau.

Observando...

Cinco notícias que, talvez, você não viu

  • Líderes do Psol negam "aval" de Lula a Boulos
  • Dória mudará 25% das linhas de ônibus. Mudança prejudica a periferia
  • Presidentes de tribunais de Justiça criticam greve dos juízes federais
  • Canadense McCain compra 49% da Forno de Minas
  • Bola pede demissão e deixa o Pânico em todas as plataformas

Palavreando

No fim das contas, ao fim de tudo, cada instante fará imensa diferença.  

O dedo do pé do Neymar

Não deve ser à toa que as eleições gerais brasileiras aconteçam em ano de Copa do Mundo. A teoria da dispersão que nutri quando ainda estava lá pelo 6º ano do ensino fundamental me revisitou com força após o fato do dedo do pé do Neymar ser a coisa mais importante do país. Não estamos falando de um país saudável, mas uma nação à beira de um colapso.

Se esquece reforma da Previdência, intervenção no Rio e até que temos um presidente em situação eterna de suspeita. Também é difícil imaginar que as malas de dinheiro não sejam dele e de seus comparsas, alguns até presos, mas absolutamente inocentes perante os olhos da sociedade que só se abrem, seletivamente, se tiver os patos da Fiesp. São tempos difíceis, porque há descrença. Descrença até que Neymar vá à Copa. Pasmem, essa é a grande preocupação! Reforma trabalhista já produzindo seus efeitos que nada! O negócio é o dedo mindinho do Neymar. Que ele se recupere mais rápido do que o Brasil. E não estou falando do Brasil da seleção de futebol. Estou falando de cada um de nós, da pobre e mais desigual de todas as nações.

Mas dizia que a teoria da dispersão que chamam também de pão e circo me revisitou. E foi graças a um excelente cordel do cearense Pedro Paulo Paulino que divido com vocês. Vale a leitura!

O dedo de um jogador comove o país inteiro

Jornais, rádio, internet,
Canais de televisão,
A imprensa brasileira
Volta completa atenção
Para um fato aterrador:
O dedo de um jogador
Comove toda a nação.

Dedo mindinho do pé,
Que num momento infeliz,
Jogando bola distante
Na cidade de Paris,
Foi de repente atingido,
E o fato só tem sido
A desgraça do país.

A pátria inteira parou
Com esse acontecimento!
Um dedo do pé direito
Vem causando sofrimento
A milhões de brasileiros:
Prantos, gritos e berreiros
Se ouve a todo momento!

A imprensa, sempre atenta,
Não guarda nenhum segredo.
Doutores de gabarito
Acordaram hoje cedo,
Para uma junta formar
E com cuidado operar
Durante o dia esse dedo.

Não faltam, para esse membro,
Cuidados especiais,
Que será tratado em um
Dos melhores hospitais
Do Brasil e do mundo inteiro.
Coisa pra quem tem dinheiro
E fica em Minas Gerais.

Reportagens, todo o tempo,
Estão a noticiar.
Na hora da cirurgia,
Todo o Brasil vai parar
Para ver o que acontece
E muitos vão fazer prece
Pelo dedo do Neymar.

Segundo comunicou
O velho José Simão,
Vai ter cobertura ao vivo
Em toda televisão;
A Globo até vai mandar
Ao local, pra comentar,
O baba-ovo Galvão.

Porque, segundo a notícia,
Quando o fato aconteceu,
Uma equipe logo veio
E o atleta socorreu,
Mas naquela ocasião
Foi o rabo do Galvão
O lugar que mais doeu!

Violência no país,
Ninguém quer mais comentar;
Eleições pra presidente,
Nisto nem é bom falar;
O assunto agora é
O dedo “mindim” do pé
Do tal jogador Neymar

Que tragédia pra nação!
Que comoção e que dor!
Toda a mídia brasileira
Dirigiu seu refletor,
Entre fevereiro e março,
Para o quinto metatarso
Do pé desse jogador!

Já pensou se esse dedo
(Deus o livre, credo em cruz!)
Tivesse que ser tratado
Pelos hospitais do SUS,
Onde só tem assistência
Da divina Providência
E os milagres de Jesus?!

O dedo que foi comprado
Por quase um bi de reais
(Nem mesmo o dedo de um santo
Vale tantos cabedais!)
Não é um dedo comum
E será tratado em um
Dos melhores hospitais.

Reforma da Previdência,
Mil tributos a pagar,
Inflação, custo de vida
Só subindo sem parar,
Massacre à população,
Mas nada chama atenção
Como o dedo do Neymar!

Falcatruas no Congresso,
Um presidente impostor
Metendo sem pena a faca
No povo trabalhador,
Rede Globo intolerante,
Mas nada é mais importante
Que o dedo do jogador.

Enquanto houver gente besta,
Sabido não vai faltar.
Há milhões de brasileiros
Morrendo de trabalhar
Numa pátria corrompida,
E a mídia comprometida
Com o dedo do Neymar!...    

Publicidade
TAGS:
Wanderson Nogueira

Wanderson Nogueira

Observatório

Jornalista, cronista, comentarista esportivo, já foi vereador e agora é deputado. Ufa! Com um currículo louvável, o vascaíno Wanderson Nogueira atua com garra no time de A VOZ DA SERRA em Observatório, sua coluna diária.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.