“Ao invés de flores me dê igualdade e respeito”

Wanderson Nogueira

Wanderson Nogueira

Observatório

Jornalista, cronista, comentarista esportivo, já foi vereador e agora é deputado. Ufa! Com um currículo louvável, o vascaíno Wanderson Nogueira atua com garra no time de A VOZ DA SERRA em Observatório, sua coluna diária.

quinta-feira, 08 de março de 2018

Hoje é dia

  • Internacional da Mulher

O dia

Em 8 de março de 1857, insatisfeitos com a greve das funcionárias, os donos de uma fábrica têxtil de Nova York, nos Estados Unidos, trancaram as grevistas e colocaram fogo no prédio. Todas morreram queimadas e a data foi transformada em Dia Internacional da Mulher.

Observando...

Cinco notícias que, talvez, você não viu

  • Proteste vai à Justiça contra bandeira tarifária na conta de luz
  • Meirelles afirma que não há prazo para mudança no preço da gasolina
  • Dória diz que devolverá valor de escolta de PMs
  • Samsung apresenta TV que vira quadro de parede
  • Árbitro de vídeo na Copa custará 40% menos do que orçou CBF

Palavreando

Apostando na crença de que nada é em vão, tento convencê-la de que o destino pode ser mudado e que o futuro não pode ser meramente estipulado.

“Ao invés de flores me dê igualdade e respeito”

“Ao invés de flores me dê igualdade e respeito”. Qual mulher não gosta de flores? Mas flores se tornam sem fragrância, sem cor, quando quem as entrega não promove a igualdade e o respeito. Independentemente de ser dia 8, 13, 25 ou 31. Independentemente se é dia internacional da mulher, dia das mães ou Natal. Flores por mãos de quem é misógino só pode ser qualquer coisa em finados. Enquanto houver vida, haverá esperança. 

Há que se combater o feminicídio, absurdo de nossos tempos. Há que se combater os abismos salariais pelo motivo banal de ser homem e mulher. Há que se preservar os direitos conquistados à base de muitas lutas e vidas. Há que se fazer da mulher – protagonista.

A ternura está no feminino, assim como está no ser mulher a força, a perseverança quase que teimosa. E pelo olhar feminino há ternura que ensina: firmeza não despreza sensibilidade e é possível ser sensível sem ser duro.

Ao dar flores, distribua um buquê de dias, um buquê de meses e anos, de respeito. Flores que despertam para o dever de cada um de nós para a igualdade de gênero.

Um friburguense na Grande Rio

Evandro Malandro, cria da Unidos da Saudade, acaba de alcançar o topo do maior carnaval do mundo. Ele que já era um dos intérpretes da Grande Rio, foi alçado ao lugar de número um da ala. O friburguense passa a ser o primeiro da história a ser o intérprete principal de uma escola de samba do grupo especial, uma vez que a escola de Duque de Caxias, apesar de rebaixada, reverteu a situação se mantendo na elite.

Evandro Malandro   

Ele tem talento reconhecido também na capital. Em Nova Friburgo foi fundamental nas conquistas dos títulos da Unidos da Saudade. Querido também na potente Grande Rio faz parte do grupo que ficou lado a lado da agremiação no pior momento de sua história, e, certamente faz parte da alma da escola de Caxias que está mordida com o quase rebaixamento. A Grande Rio promete fazer um desfile histórico em 2019. E a voz dessa volta por cima será desse talento friburguense.

Festival Sesc de Inverno

Está confirmadíssima a edição 2018 do Festival Sesc de Inverno. A intervenção no Sesc e no Senac não irá atrapalhar a realização do evento, como deve representar reforço na programação. O tema da edição deste ano também já está definido: juventude. O slogan, no entanto, ainda não foi revelado.

Publicidade
TAGS:
Wanderson Nogueira

Wanderson Nogueira

Observatório

Jornalista, cronista, comentarista esportivo, já foi vereador e agora é deputado. Ufa! Com um currículo louvável, o vascaíno Wanderson Nogueira atua com garra no time de A VOZ DA SERRA em Observatório, sua coluna diária.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.