Tereza Malcher

Tereza Cristina Malcher Campitelli

Momentos Literários

Tereza Malcher é mestre em educação pela PUC-Rio, escritora de livros infantojuvenis, presidente da Academia Friburguense de Letras e ganhadora, em 2014, do Prêmio OFF Flip de Literatura.

22/12/2016

É tempo de natal. Gostaria de dar um abraço em cada leitor desta nossa cidade. Natal é época de acolhimento e de aprofundar as conquistas de um ano que está prestes a acabar. É tempo de relaxar e de sorrir para a vida.

Que seja a esperança o melhor dos sentimentos e que guarde o eterno desejo de felicidade através dos sonhos. Que não seja apenas um sentimento, mas o ponto de partida de realizações.

Leia mais
15/12/2016

Foi emocionante a cerimônia de premiação do 3º. Concurso Nacional Júlio Salusse em que foram premiados autores de textos em prosa e poesia sobre Machado de Assis. O momento nos fez lembrar que Nova Friburgo sempre acolheu artistas, principalmente os da literatura. A nossa cidade, situada num dos pontos mais altos da Mata Atlântica, é, realmente, uma parada a caminho do céu, como descreveu poeticamente JG de Araújo Jorge, outro acolhido por este lugar aos pés do Caledônia.

Leia mais
08/12/2016

Sobre o solo nascem pérolas verdes. Ferreira Gullar brotou entre raízes tropicais e sobreviveu aos impasses da vida, escrevendo para não sucumbir à dor e ser feliz. Viajou no Trenzinho Caipira, fazendo seu destino serpentear terras brasileiras afora, embelezando-as com seus poemas de palavras simples, até chegar nas estrelas, onde vai ficar. Não solitário. Sem descansar e ao lado de tantos outros escritores, ah!, ele vai nos inspirar.

Leia mais
01/12/2016

No Clube de Leitura desta semana, falamos a respeito do diário e do seu valor na vida da gente. Diário não é só coisa de adolescente, em que pode haver um beijo de batom para descrever aquele que aconteceu no cinema e de um bilhete escrito num guardanapo de papel colado no centro da página. Diário é um caderno de sempre. Quando preenchemos suas páginas com nossos registros diários, pensamos no que vivemos e não deixamos passar as minúcias e levezas despercebidas.

Leia mais
25/11/2016

Pouco conheci Dirce Montechiari, mas gostava dela pela simplicidade e brilho nos olhos. Sua partida deste mundo me tocou e me fez pensar o que acontece a nós quando um artista morre. Não podemos ser indiferentes com as pessoas que coexistem conosco, principalmente os artistas que encontram modos fora do nosso comum para falar do nosso existir.

Leia mais
17/11/2016

“A literatura é um assunto sério para um país, pois é, afinal de contas, o seu rosto.”
Louis Aragon

Leia mais
11/11/2016

“Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho.”
Clarice Lispector

Leia mais
02/11/2016

A coluna anterior desencadeou esta quando falei sobre a linguagem acadêmica e a espontaneidade na expressão escrita. A gente faz literatura porque a vida não basta, é pequena demais para a grandiosidade da imago que guarda a completude, enquanto profundeza de imagens, afetos e desejos. Ah, Fernando Pessoa fazia ponderações sobre a vida como ninguém.

Leia mais
25/10/2016

Será que vou conseguir escrever esta coluna brincando com palavras, experimentando a descontração?

Leia mais
17/10/2016

As coisas, às vezes, tanto se parecem, que causam dúvidas, quiçá equívocos. O que é um? O que é outro? Ora, é assim que acontece na literatura; sê conto, sê crônica. Ambos conversam com o leitor de formas diferentes. Desde sempre, as pessoas se convidavam para conversar e, hoje, esse convite acontece assim: vamos tomar um café? Que tal happy hour? Quer dar uma caminhada? Coisas do tempo... Mas na literatura a forma continua a mesma.

Leia mais