Rodeios

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quinta-feira, 07 de setembro de 2017

Crescendo

Pela segunda vez em menos de um mês, o plenário da Câmara Municipal foi tomado por manifestantes mobilizados em torno da realização/proibição de rodeios em Nova Friburgo.

Diferentemente do que aconteceu no dia 22 de agosto, contudo, desta vez havia partidários dos dois lados dessa história.

E olha que o projeto ainda tramita pelas comissões e nem tem data certa para ir a plenário.

Escalada

O Massimo adoraria dizer que a convivência foi harmoniosa e livre de incidentes ou atritos, mas infelizmente estaria mentindo.

É verdade que tanto num lado quanto noutro, a maioria se manifestou de forma pacífica e respeitosa, ainda que eventualmente incisiva.

Mas houve também lamentáveis e preocupantes exceções, que estiveram perto de configurar casos de agressão.

Jogo democrático

A situação preocupa, porque cedo ou tarde o projeto deve ir a plenário, e um dos lados terá de ceder aos desígnios da maioria.

Faz parte do jogo, as regras precisam ser respeitadas.

Mas será que estão todos prontos para isso?

Às claras

O Massimo conserva uma relação de franqueza com seus leitores, e já se posicionou abertamente contrário à realização de rodeios em nossa cidade.

Para além de entender que a prática é anacrônica, o colunista concorda com as palavras ditas pelo cantor Guilherme Isnard: “Nossa vocação é espelhar e superar o sucesso turístico de cidades como Gramado, e não Barretos”.

Mas...

A coluna, no entanto, é um espaço democrático e que nutre grande apreço pelo bom debate, pelo respeito à diversidade, e pela liberdade de expressão.

Além disso, o colunista sabe que nenhum dos atores envolvidos é (ou acredita ser) a favor de maus-tratos, ainda que haja flagrantes interesses econômicos envolvidos.

Assim, o Massimo abre espaço para divulgar alguns dos argumentos respeitosamente enviados à coluna pelo Clube do Cavalo, instituição favorável à realização de rodeios em Nova Friburgo.

O outro lado (1)

“Em todas as áreas existem bons e maus profissionais, e nos rodeios não é diferente. E, quando alguém realiza o esporte de forma incorreta, todos sofrem as consequências. No Brasil o rodeio existe há 60 anos e é reconhecido como atividade esportiva, regulamentada pela Lei Federal nº 10519, desde 2002.”

O outro lado (2)

“O peão, por sua vez, foi reconhecido como atleta profissional em 2001, através da lei 1020. Recentemente também foi aprovada e sancionada a PEC 304/2017, que eleva o rodeio à condição de ‘manifestação cultural nacional e patrimônio cultural imaterial’. Deste modo, a atividade passou a seguir várias regras que envolvem bons tratos aos animais.”

O outro lado (3)

“A grande polêmica que assombra o rodeio é o sedém, usado na altura da virilha do animal para estimulá-lo a dar pulos mais altos. É do proprietário a responsabilidade do manuseio e emprego do sedém, e seu uso é fiscalizado por profissionais, como juízes de brete e veterinários. O sedém não toca os testículos do animal. Isso é mito. Éguas também participam de rodeios, e não os possuem. Em resumo, falta conhecimento sobre o assunto. O rodeio se profissionalizou, tem acompanhamento e segue determinações para não existir a possibilidade de maus-tratos aos animais.”

Para encerrar

Por mais importante e salutar que seja a manifestação popular observada neste episódio, o colunista entende que a atenção não deve se concentrar apenas em um só tema, sob risco de deixar passar algumas bolas importantes.

O Massimo foi informado, por exemplo, que muitos dos médicos da rede municipal cujo vínculo se dá por recibo de pagamento autônomo – o infame RPA – já estão paralisando suas atividades, por atraso nos pagamentos.

Luz amarela

Vários destes profissionais alegam estar com os vencimentos atrasados desde junho, e tinham a expectativa de receber entre os dias 5 e 6 deste mês.

O que preocupa é que o RPA responde por grande parte do quadro de médicos do município, e a adesão à paralisação é crescente.

O colunista apurou, por exemplo, que um profissional já parou ontem, 6, outros dois devem parar hoje, 7, e sete avisaram que vão parar no sábado, 9.

Não dá para simplesmente ignorar esse tipo de assunto...

Alta patente

Já faz alguns dias, mas o registro é válido.

No fim de agosto o comandante do 11º BPM, Eduardo Vaz Castelano, foi promovido a coronel da Polícia Militar, a mais alta patente da corporação.

Parabéns, e boa sorte na missão.

Respostas

Os leitores do Massimo não decepcionam.

Apesar da dificuldade da foto publicada na edição de ontem, 6, os craques Cristielton Viana, Rosemarie Künzel, Silvio Poeta, Girlan Guilland e Stênio de Oliveira Soares conseguiram reconhecer parte da Fundação Dom João VI.

A turma é realmente especial. Parabéns a todos.

Sem pergunta

E como hoje, 7, é feriado e dia de descanso, a coluna também vai tirar um dia de folga e retorna com o desafio na edição do próximo fim de semana, dos dias 9 a 11 nas bancas.

Bom descanso, e até lá!

Publicidade
Agora Faz
TAGS:

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.