Reflexões

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

terça-feira, 15 de maio de 2018
Foto de capa
(Foto: Henrique Pinheiro)

Para pensar:

“É preciso escolher um caminho que não tenha fim, mas, ainda assim, caminhar sempre na expectativa de encontrá-lo.”

Geraldo Magela Amaral

Para refletir:

“O mundo não poderá tomar um novo caminho se não conseguir uma união íntima da técnica e da moral.”

Theodor Plievier

Reflexões

E eis que chegamos ao bicentenário.

Claro, ainda falta um dia, mas a verdade é que amanhã, 16, estaremos ocupados e distraídos demais para que possamos nos aprofundar muito.

Melhor conversarmos já, portanto.

Balanço

A data pede celebração, evidentemente, e também pode servir para a construção de novas pontes e o reforço de velhos laços.

Tudo isso é justo, e faz parte do pacote.

Mas, acima de tudo, o marco deve nos levar a fazer um balanço daquilo que passamos para chegar até aqui, e o que pretendemos fazer daqui para a frente.

Será que a cidade hoje reflete os sonhos de quem viveu o primeiro centenário?

E sobre os 300 anos? O que estamos dispostos a fazer pelo futuro friburguense?

Autoestima

Sob os mais variados aspectos, o último decênio não foi nada fácil para Nova Friburgo.

Tragédia climática, desgaste da classe política, promessas não cumpridas, falta de transparência, precarização da mobilidade, insuficiência no atendimento prestado pela rede de saúde pública, danos ao nosso precioso meio ambiente, subaproveitamento turístico, tudo isso se refletindo numa profunda crise de autoestima que corre o risco de se cristalizar, mas que de maneira alguma representa o espírito daqueles que construíram esta cidade em meio a muitas dificuldades.

Reverter

No entendimento do colunista, nada pode ser mais importante para o início deste novo século de nossa história do que buscar formas de reverter este desencanto, essa aceitação de que nos resta uma existência sofrida e sem direito a muitos sonhos.

Sob este aspecto, aliás, Teresópolis e Petrópolis são ótimos exemplos para nós.

Temos grandes desafios pela frente, e também muito que melhorar em certas áreas estratégicas.

Sem coragem e a certeza de que podemos e merecemos, estaremos começando muito mal a escrever os próximos 100 anos.

Raízes

Por sorte, temos tudo o que precisamos bem perto de nós.

Nova Friburgo é fruto de um mosaico cultural, a união de muitos saberes e exemplos em meio a uma forte vocação para o pioneirismo.

Temos vozes que precisam ser ouvidas, heranças que precisam ser admitidas e reconhecidas.

Chega de tantas desculpas, chega de discursos vazios, chega de pensamentos pequenos.

Podemos fazer mais e melhor.

Roberto Farias

Se perder o ex-prefeito Heródoto Bento de Mello menos de um mês antes do bicentenário já pareceu uma crueldade do destino, perder o cineasta Roberto Farias na antevéspera do aniversário de Nova Friburgo parece maldade demais.

Em meio a uma enorme e ousada filmografia, o colunista - que não esconde sua paixão por esportes a motor - destaca “O Fabuloso Fittipaldi”, principal registro da campanha vitoriosa de Emerson no ano anterior, e a entrevista “Acelere Ayrton!”, uma das melhores já gravadas com o saudoso tricampeão mundial Ayrton Senna.

Publicidade
Agora Faz
TAGS:

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.