Prefeitura responde

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sexta-feira, 06 de outubro de 2017

Para pensar:

"O que é credibilidade? É quando se diz e faz; prometeu, cumpriu. Palavra é compromisso; jamais, em tempo algum, prometa algo que você já tenha certeza que não vai cumprir.”

Paulo Zabeu

Para refletir:

“Muitas pessoas acham que não são ouvidas porque são vítimas das circunstâncias, mas credibilidade conquistamos ou perdemos de acordo com as nossas atitudes e resultados.”

Flávio Augusto

Respondeu

O governo enviou resposta para várias das notas publicadas pela coluna na quarta-feira, 4, dedicada a questões relacionadas à rede municipal de saúde pública.

Vejamos, portanto, o que diz o Palácio Barão de Nova Friburgo.

RUPTURA / QUESTÃO SALARIAL

A Prefeitura de Nova Friburgo informa que, por conta da grave crise econômica que atinge de maneira avassaladora o país e o estado do Rio de Janeiro, o pagamento de alguns médicos tem sofrido atrasos. Entretanto, ressalta que a maioria dos profissionais de regime de RPA recebeu o pagamento do mês de julho.

Em relação ao trabalho dos profissionais sob regime de RPA, trata-se de uma condição antiga, herdada de gestões anteriores e está sendo extinguida pela atual administração, que pretende reduzir drasticamente essa condição em suas categorias até que se promova um concurso público para as funções.

Em tempo, a Prefeitura lamenta a situação e informa que tem trabalhado incansavelmente na busca de uma solução breve.

QUESTÃO DE CONFIANÇA

Tanto o prefeito Renato Bravo quanto a Secretaria de Saúde afirmam nunca terem sido procurados. A direção do Hospital Raul Sertã destaca que já tentou marcar alguns encontros, porém, sem sucesso, mas que estão permanentemente abertos ao diálogo.

ESTERILIZAÇÃO / INFORMAÇÃO NECESSÁRIA

O Centro de Materiais e Esterilização (CME) do Hospital Raul Sertã possui um problema estrutural e por isso está interditado desde 2013 pela Vigilância Sanitária que, ao realizar a última visita, constatou a necessidade do setor passar por adequações, pois não daria conta do fluxo. Com isso, foi feito um projeto para que o CME funcionasse em outro prédio, que estava em obra, mas a mesma precisou ser paralisada em julho de 2016 por falta de recursos.

Assim, foi aberto um processo para contratação emergencial de uma empresa terceirizada para realização do serviço por um período de seis meses, que atenderia não somente ao hospital, mas também à maternidade.

Quanto ao “material recebido visivelmente sujo”, foi identificada uma falha humana e aberta uma sindicância administrativa. Medidas internas foram tomadas em relação ao ocorrido. Hoje, o procedimento de esterilização já se encontra dentro dos parâmetros exigidos e a empresa contratada possui certificado da Vigilância Sanitária para prestação dos serviços. Existe também um plano para reativação do CME já planilhado.

O atual governo vem se esforçando ao máximo a fim de conseguir recursos para a conclusão da obra e a aquisição de novos equipamentos e, ressalta que, para dar conta de todo o fluxo são necessários dois equipamentos de autoclave de 500 litros. Tudo isso foi feito visando o menor prejuízo ao atendimento das vidas humanas.

FISCALIZAÇÃO

Há um canal de ouvidoria específico no Hospital Raul Sertã e outro dentro da Secretaria de Saúde, além de outro geral localizado no prédio anexo à Prefeitura – antiga Rodoviária Leopoldina – para atender os cidadãos, prestar esclarecimentos e tirar possíveis dúvidas com o intuito de sanar todas as questões em aberto. E frisa que, ainda que existe um canal via whatsapp através do número 9.9732-8159.

Segurança

De sua parte, o Massimo fica sempre muito satisfeito quando se estabelece o diálogo, e o governo se pronuncia a respeito do que quer que seja.

O colunista, contudo, reforça ter total segurança a respeito das informações que apurou.

Muitas delas, por sinal, nem mesmo chegaram a ser publicadas.

Implicações (1)

A resposta do governo, contudo, torna necessário fazer algumas considerações.

Em especial no que diz respeito ao Centro de Esterilização, porque a conta simplesmente não fecha.

Afinal, se o problema existe e é conhecido desde 2013, como justificar as várias negações governamentais quando o colunista começou a alertar para o fato de que o material não estava sendo esterilizado adequadamente, já na atual administração?

Implicações (2)

E mais: como explicar iniciativas como o infeliz memorando 21, no qual lê-se a determinação explícita para que o corpo médico continuasse a realizar cirurgias, quando era evidente que o número de casos de infecção estava muito acima do normal?

E como explicar a orientação dada a pacientes para que chegassem ao extremo de processar médicos que - naquelas circunstâncias - se recusassem a operar?

Com a devida franqueza, existem membros na gestão da pasta cuja conduta inspira sim muitas ressalvas.

Responsabilidade

Apesar do que muita gente acredita, a verdade é que o Massimo sempre toma muito cuidado com o que publica e com o que guarda.

A respeito da saúde mesmo, não são poucas as informações que poderiam ser publicadas com a devida comprovação, mas cuja divulgação possivelmente não trariam nenhum resultado positivo para a cidade.

Não publicar, todavia, não significa não saber.

Simples

O fato é que este conflito de versões poderia ser resolvido facilmente.

Basta que o prefeito se disponha a circular pelo Raul Sertã com o colunista e um grupo de cirurgiões concursados, de longa atuação na unidade, que está livre de qualquer forma de intimidação.

Se presencialmente ficar comprovado que alguma informação equivocada foi publicada, o Massimo terá enorme satisfação em se retratar e dar as boas notícias à população.

Fica o convite.

Troca no primeiro escalão

No final da tarde de ontem, 5,o colunista recebeu a informações dando conta que o prefeito Renato Bravo fará nova alteração no seu secretariado. Desta vez, a troca será na Secretaria de Ordem e Mobilidade Urbana. Deixará o cargo Luiz Filipe Laginestra. Na Smomu, a notícia causou impacto entre os servidores.

De ilustre família friburguense, Laginestra teve atuação destacada em sua breve passagem pelo cargo.

Na rádio corredor do Palácio Barão de Nova Friburgo já começaram as especulações sobre quem irá assumir o cargo.

Respostas (1)

Conforme explicado em nosso encontro anterior, a coluna de hoje traz os vencedores de dois desafios acumulados.

Pois bem, os amigos Stenio de Oliveira Soares e RosemarieKünzel identificaram na quinta-feira a imagem da fachada de um prédio localizado na Av.Alberto Braune que foi recentemente restaurado onde funciona um restaurante.

Respostas (2)

Já na quarta-feira, ponto apenas para Silvio Poeta, que ientificou o casarão na Avenida Euterpe.

Parabéns a todos.

Pergunta

O desafio de hoje mais uma vez foi proposto pelo parceiro GirlanGuilland.

E então, os amigos conseguem identificar o local fotografado?

Boa sorte e ótima sexta-feira a todos.

Foto da galeria
Publicidade
Agora Faz
TAGS:

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.