Não para mais

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Para pensar:

“Mas no tempo não havia horas.”

Graciliano Ramos

Para refletir:

“A liberdade é mais importante do que o pão.”

Nelson Rodrigues

Não para mais

A coluna antecipou, e agora é oficial: o sucesso friburguense “78 Musical” volta ao Teatro João Caetano, no Rio, em janeiro de 2018, à convite da Secretaria Estadual de Cultura.

As apresentações estão agendadas para os dias 19, 20 e 21 e 26, 27 e 28.

Útil & agradável

A trupe agora busca patrocinadores friburguenses que queiram seguir o mesmo caminho e reforçar suas participações na capital, aproveitando a oportunidade de exibir suas marcas na fachada do teatro, na Praça Tiradentes.

Levando-se em conta que a casa é grande e a tendência é encher em todas as apresentações, o colunista não tem dúvidas de que o que se oferece é uma rara oportunidade de investimento que une o útil ao agradável.

Se fosse bom...

E já que falamos em investimento de retorno garantido, o colunista não pode desperdiçar o gancho e deixar de comentar a indicação do Banco Mundial de que o Brasil deveria passar a cobrar mensalidades em suas universidades públicas.

Uma sugestão, por sinal, amplamente abraçada por alguns veículos de comunicação que habitualmente anunciam serviços em tese concorrentes ou interessados.

Melhor negócio

Bom, o Massimo faz questão de manifestar seu repúdio a tal sugestão, inclusive por ser testemunha dos benefícios trazidos pela presença de campi como os citados em nossa cidade.

O problema não está na oferta de universidades públicas “gratuitas” e de qualidade.

Ao contrário, a solução provavelmente passe por aí

O problema está no que não funciona, na carência da base educacional, que tantas vezes restringe o acesso a tais universidades às vagas reservadas a cotistas.

Menos por mais

Ademais, quem - em sã consciência - seria capaz de acreditar que a redução de gastos governamentais com educação (logo onde!) teria reflexo na redução de tributos ou no redirecionamento integral de tais recursos para outros programas?

Ora, já vimos esse filme.

Na prática iríamos continuar pagando os impostos correspondentes, sem colher o benefício.

Forma correta (1)

O colunista está que é só alegria.

O Massimo tem também a satisfação de registrar a realização de audiências públicas voltadas a debater com a sociedade pontos específicos da nova Lei Orgânica Municipal, atualmente em fase de gestação, com nascimento previsto para 16 de maio de 2018.

Forma correta (2)

Na noite da última quarta-feira, 22, o encontro tratou de um tema super importante: o funcionalismo público. A coluna, sempre que possível, irá divulgar datas, temas e locais dos encontros, de modo a estimular a participação popular.

Céu na terra

Começa hoje, 24, o primeiro (que sejam muitos!) Festival de Churros de Nova Friburgo.

O evento se prolonga até domingo, 26, começando sempre a partir das 14h no estacionamento do Teatro Municipal Laercio Ventura.

São prometidas mais de 30 opções de sabores, e o colunista se assume completamente sem maturidade para lidar com este tipo de oferta.

Publicidade
Agora Faz
TAGS:

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.