Lumiar chocante

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Para pensar:

"Se nada nos salva da morte, que ao menos o amor nos salve da vida.”

Pablo Neruda

Para refletir:

“A bondade em palavras cria confiança; a bondade em pensamento cria profundidade; a bondade em dádiva cria amor.”

Lao-Tsé

Chocante (1)

Que o distrito de Lumiar é capaz de chocar por suas belezas, todo friburguense já está cansado de saber.

A novidade, ao menos para o Massimo, é que ele também é capaz de chocar de outras formas.

No caso, literalmente.

Chocante (2)

O colunista descobriu - não sem espanto - que as pessoas que se encontravam por volta do meio-dia deste domingo, 10, no pequeno mirante sobre o lago, bem no centro do distrito, estavam de alguma forma adquirindo cargas elétricas e dando pequenos - mas doídos - choques uns nos outros, a cada toque.

Diante de um comentário sobre o fenômeno, um casal que estava por perto confirmou ao colunista que isso estava acontecendo com todo mundo por ali.

Chocante (3)

Diante de tudo o que foi experimentado, visto e ouvido, algumas perguntas se tornam obrigatórias.

Aos moradores de Lumiar, o colunista questiona: isso costuma acontecer, ou foi uma situação isolada?

Já aos especialistas cabe perguntar: o que pode/precisa ser feito para evitar tal problema?

A propósito...

E já que falamos em Lumiar, há outro registro que precisa ser feito.

O sinal de trânsito que organiza os fluxos de quem segue pela RJ-116 e quem trafega pela RJ-142, localizado no trevo em Mury que liga as duas rodovias, de forma compreensível privilegia a primeira.

Não apenas para preservar a fluidez da principal estrada do interior fluminense, mas também porque o fluxo de veículos é mesmo muito maior.

De acordo.

Mas...

Ocorre, no entanto, que esta proporção fica nitidamente alterada em feriados como este 7 de setembro, nos quais os atrativos de Lumiar, São Pedro da Serra e da Região dos Lagos saturam a RJ-142 nos horários de pico.

Quem trafegou rumo a Mury na tarde deste domingo, 10, por exemplo, encontrou um enorme engarrafamento provocado justamente pelo semáforo.

Numa certa altura, um leitor que seguia no sentido oposto mediu 4km de retenção.

Essas imagens estão gravadas e disponíveis na internet

Ajustes necessários

O colunista obviamente não tem competência para apontar soluções, mas parece óbvio que algo não está satisfatório.

Manifestações de alguns moradores, contudo, talvez possam apontar um caminho.

São muitos os relatos indicando que, nas vezes em que houve a presença de um agente de trânsito em dias como esse, o trânsito fluiu bem melhor.

Diante do grande número de feriados ainda previstos para este ano, fica o convite à reflexão.

Comentários

O Massimo lê todos os comentários enviados à coluna, e recomenda que os leitores façam o mesmo.

Dias atrás, por exemplo, o leitor Antonio Lopes compartilhou um interessante artigo publicado pela friburguense Ilona Szabó na revista Época, a respeito do momento delicado de nossa política.

Leitura mais do que recomendada.

Lembrando...

E já que falamos em Ilona, nunca é demais lembrar que ela estará em Nova Friburgo no início de outubro, dias 3 e 4, quando lançará por aqui seu livro “Drogas: as histórias que não te contaram”, em dois encontros no Country Clube.

Imperdível.

Respostas (1)

O desafio do último fim de semana acabou rendendo uma situação inusitada.

Na versão impressa da coluna ficou claro que a foto provocativa era a do plenário da Câmara Municipal, mais especificamente a bancada à esquerda de quem olha a partir da assistência.

Na internet, no entanto, muita gente entendeu que a foto do desafio era a que mostrava o deputado estadual Wanderson Nogueira ao lado do comerciante e imigrante sírio Mohamed Ali Kenawy, na Alerj.

Respostas (2)

Acabou sendo uma coincidência feliz, pois o objetivo era avaliar se os leitores estão familiarizados com nosso parlamento.

E pelo visto estão, em mais de uma esfera de poder.

Assim, a coluna considera certas todas as respostas recebidas, e pede desculpas se não foi clara o suficiente.

Pontos para Filipe Saturnino, Jorgina Pinto Praxedes, Rosemarie Künzel, Marcelo Machado e Antonio Lopes.

Pergunta

O desafio de hoje é mais uma cortesia do leitor Marcelo Machado, e traz à memória boas lembranças de um amigo muito querido.

E aí, os leitores sabem dizer onde fica?

E quem é o homenageado do local, alguém sabe responder?

Boa sorte a todos!

Foto da galeria
Publicidade
Agora Faz
TAGS:

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.