Liberação do centro de esterilização do Raul Sertã depende de pouco

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Para pensar

“Dois pássaros amarrados não serão capazes de voar, mesmo que tenham agora quatro asas.”

Jalaluddin Rumi

Para refletir

“Em águas calmas, todo navio tem bom capitão.”

Provérbio sueco

Vai dar namoro?

Após a debandada que se seguiu à saída do deputado federal Glauber Braga, em setembro de 2015, a tradicional (e influente) célula municipal do PSB vive momento de reestruturação.

Nos bastidores, o partido tem sondado duas de suas crias: os ex-vereadores Marcelo Verly (atualmente sem partido) e Eder Carpi “Ceará”, atualmente no PDT.

Posturas

O posicionamento de ambos é parecido.

Têm carinho pela sigla, confirmam as sondagens e veem com bons olhos tanto o posicionamento (majoritariamente contrário) diante das reformas propostas no Congresso Nacional, quanto o fato de estarem sendo lembrados.

Por enquanto, todavia, nada há de conclusivo.

Verly tem 300 alunos e um programa de tevê, Ceará é subsecretário, está bem no PDT e não tem qualquer motivo para deixar a sigla no momento.

Detalhando

O Massimo levantou junto a fontes bastante seguras quais foram as principais causas da interdição do setor de esterilização do Hospital Municipal Raul Sertã pela Vigilância Sanitária.

Até onde foi possível apurar, foi apontada a necessidade de realização de pequenas obras, e constatou-se danos no aparelho de esterilização e em outros que fazem parte do processo de limpeza prévia do material, falando em linguagem bastante acessível.

Ao que consta, todos estes fatores terão de ser sanados para a liberação do setor.

X da questão

Para a Justiça, uma das principais questões será determinar se tais problemas eram de conhecimento da administração, nas repetidas vezes em que os profissionais foram orientados a seguir operando.

Em alguns casos, inclusive, houve quem orientasse pacientes a processar os médicos que se recusassem a realizar cirurgias.

O Ministério Público agora vai até o fim.

Privilégios friburguenses

Alguns poucos convidados tiveram o privilégio de ouvir, no início da noite desta terça-feira, 13, o “pai do pré-sal”, Guilherme Estrella, fazendo uma avaliação política da conjuntura nacional, bem como de tema ligados à grande reserva de petróleo que o Brasil descobriu a grandes profundidades.

O encontro se deu no auditório do Sindicato dos Bancários, e foi mais um duro golpe a quem se habituou a dizer que Nova Friburgo não oferece opções interessantes a seus moradores.

A hora do esporte

A boa notícia foi dada ao colunista pelos parceiros Guilherme Spitz e Eduardo Frederico Kropf, que segunda-feira reuniram-se com Luiz Lima, secretário nacional para Esportes de Alto Rendimento.

O ex-nadador de longas distâncias deve voltar a Nova Friburgo no início de julho.

A se confirmar a viagem, sua agenda será naturalmente cheia.

Mas, ainda assim, esta parece ser uma excelente oportunidade para alavancar projetos de cunho esportivo em nossa cidade.

Incentivos têxteis (1)

Atenção, que o assunto é de interesse da economia friburguense.

A partir das 10h de hoje, 14, o auditório Senador Nelson Carneiro, no prédio anexo ao Palácio Tiradentes, ficará lotado.

Deputados, prefeitos, empresários, confeccionistas e funcionários vão se reunir para uma audiência pública que debaterá os incentivos fiscais da cadeia têxtil no estado.

A audiência, realizada pela Comissão de Economia, Indústria e Comércio, foi proposta pelo deputado estadual Wanderson Nogueira (Psol-RJ).

Incentivos têxteis (2)

O regime especial de tributação tem prazo para acabar em dezembro de 2018 e pode não ser prorrogado em função do esforço do Palácio Guanabara para aderir ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF), programa sancionado pelo presidente Michel Temer (PMDB) para ajudar os estados em penúria financeira.

Incentivos têxteis (2)

Projeto de Lei que prorroga o prazo até 2024 já foi assinado pelos deputados estaduais Wanderson Nogueira, André Correa, Comte Bittencourt, Luiz Martins e Jânio Mendes, mas o debate é visto como fundamental para ampliar as forças do setor e fazer com que a lei seja aprovada em plenário e posteriormente sancionada pelo governador.

A audiência pública contará com a presença de sindicatos de vestuário de todo o estado, empresários e funcionários.

Só em Nova Friburgo, mais de 20 mil pessoas trabalham diretamente no setor têxtil.

Risco

Não sendo prorrogada a lei, o imposto pago hoje subiria de 3,5% para 20%.

Só de ICMS, excluindo 2% pagos ao Fundo de Pobreza, a tributação saltaria de 1,5% para 18%.

Segundo dados do Sistema Firjan, o número de estabelecimentos da Indústria Têxtil cresceu em 190% no estado, enquanto a arrecadação de ICMS teve um incremento de 295%.

Os dados mostram também que a Cadeia da Moda totaliza hoje mais de 20,7 mil estabelecimentos formais em todo o Rio, empregando 172,7 mil trabalhadores.

Respostas

Até o fechamento desta coluna, o Massimo havia recebido respostas corretas para o desafio do casarão em Lumiar, publicado segunda-feira, enviadas por Rodrigo Inácio, Cláudio Damião, Ceará, Márcia Leal Matos, Silvio Poeta e Rosemarie Künzel.

Parabéns a todos os vencedores. E aos que não acertaram, fica o convite para um passeio no sempre aprazível distrito de Lumiar.

Pergunta

O desafio de hoje é um pouco diferente, construído a partir de imagem enviada pela parceira Rosemarie Künzel.

Todo friburguense tem o dever de saber que a escultura retratada localiza-se no Jardim do Nêgo, em Campo do Coelho.

Mas será que os leitores sabem dizer qual o nome da escultura, e o que ela retrata? Boa sorte a todos!

Foto da galeria
Publicidade
Agora Faz
TAGS:

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.