Dias estranhamente maquiavélicos

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

terça-feira, 08 de agosto de 2017

Para pensar:

“Eu creio que um dos princípios essenciais da sabedoria é o de se abster das ameaças verbais ou insultos.”

Maquiavel

Para refletir:

“Não tema a difamação exterior. Tema seus próprios pensamentos, pois somente eles podem penetrar em sua essência e destruí-la.”

Augusto Cury

Principescas (1)

Nova Friburgo vive dias estranhamente maquiavélicos.

Talvez em consequência desta crise multifacetada que a cada dia nos rouba mais e mais do pouco que ainda resta de esperança - afinal, ela é a última que morre, não é verdade? -, o fato é que parte da população parece estar se dando por satisfeita quando os fins são bons, sem ousar questionar os meios utilizados.

Principescas (2)

Se o diagnóstico estiver correto, desnecessário afirmar que trata-se de um momento bastante perigoso para a sociedade.

Afinal, costuma ser em momentos assim, nos quais a imunidade comunitária anda baixa, que a população costuma dar carta branca a certas “soluções” que acabam custando muito caro.

É só olhar a História para confirmar.

Não quer só comida

É claro, por exemplo, que todos queremos as farmácias comunitárias abastecidas.

Mas é preciso que tal abastecimento se dê da forma correta, respeitando os procedimentos previstos e o interesse econômico da sociedade.

É claro, por exemplo, que todos queremos a cidade arborizada e verde, mas é preciso que o reflorestamento se dê amparado por estudos e transparência administrativa.

Não quer só dinheiro

E é claro que desejamos que todas as legítimas instituições beneficentes do município (e não apenas as daqui) tenham condições satisfatórias para cumprir suas importantes missões.

Mas é preciso que essa sustentabilidade econômica respeite as regras do Estado de Direito, válidas para todo mundo.

Respeito

Ok, e por que falar disso agora?

Simples: porque está circulando nas redes sociais uma campanha difamatória direcionada ao vereador Professor Pierre, por ter tomado providências diante do que entendeu ser um caso de cobrança indevida de estacionamento durante evento realizado neste fim de semana, na Via Expressa.

Poder dever

O desenrolar da história deixa claro que o vereador não estava sozinho em seu entendimento, mas esse não é o ponto de maior importância.

O que importa é a compreensão de que o parlamentar não tem apenas o poder, mas também o dever de fiscalizar.

Se sua interpretação é de que uma intervenção é necessária, e ainda assim nada faz, ele passa a prevaricar.

Repúdio

O colunista prefere preservar o nome da instituição por reconhecer seu trabalho sério, com o qual inclusive já colaborou de diversas formas.

Mas se a postura de cobrar estacionamento é passível de ser debatida, a atitude de filtrar fatos em redes sociais em tempos nos quais quase ninguém tem a decência de apurar antes de compartilhar é digna de repúdio.

E quem passa adiante sem ter certeza da veracidade cai na mesma vala.

O regresso

Essa pedra já vem sendo cantada pela coluna há algum tempo.

A influente célula do PSB friburguense vem aos poucos se reestruturando, e certamente irá aglutinar alguns nomes influentes de nossa política regional no médio prazo.

O primeiro deles o Massimo já pode confirmar: o ex-vereador Marcelo Verly retornou à sigla onde ganhou notoriedade, na primeira metade da década passada.

Abriu a porteira?

A principal liderança atual do PSB no estado é o deputado Hugo Leal, que mantém vínculos estreitos com diversos políticos serranos.

No caso específico de Verly, também pesou a favor da decisão de filiar-se a postura do parlamentar (e da maior parte do partido), favorável ao encaminhamento da denúncia contra o presidente Michel Temer ao STF.

Certamente haverá novos anúncios de filiação no futuro próximo.

Talento serrano (1)

Nova Friburgo mandou muito bem na 53ª edição do Salão Jauense Internacional de Arte Fotográfica, promovido anualmente pelo Fotoclube do Jaú.

Salvo melhor apuração, é o único concurso de nível internacional nesses moldes, ainda realizado no Brasil.

Talento serrano (2)

Além de ter somado quatro expositores com fotografias aceitas pelo conceituado júri, a Sociedade Fotográfica de Nova Friburgo também abocanhou a medalha de ouro na categoria “fotografias monocromáticas”, que popularmente chamamos de preto e branco.

A imagem foi clicada pelo fotógrafo e servidor municipal Carlos Martins, e insere o olhar de sua expressiva esposa, Beatriz Cunha, também friburguense, numa paisagem tão bem equilibrada, que o colunista prefere reproduzir do que descrever.

Parabéns a todos os envolvidos.

Foto da galeria
Publicidade
Agora Faz
TAGS:

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.