Congestionamento

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Para pensar:

"Os fatos não deixam de existir só porque são ignorados."

Aldous Huxley

Para refletir:

"Se a liberdade significa alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer às outras pessoas o que elas não querem ouvir."

George Orwell

Congestionamento

Que o trânsito em nossa cidade apresenta desafios crônicos, todo mundo está cansado de saber.

Que precisamos urgentemente de um plano de mobilidade que aumente a eficiência do transporte coletivo, bem como de ciclovias que possam reduzir a pressão pelo uso de transporte individual, idem.

Mas, ainda assim, nos últimos dias a imobilidade conseguiu se superar.

Inviável

Especialmente ao cair da noite de quarta-feira, 11, basicamente a cidade inteira parou.

O colunista recebeu relatos de pessoas, vejam só, que levaram duas horas e 40 minutos para ir do Centro a Riograndina.

Não dá, não é?

Nó górdio

A prefeitura informou que o agravamento foi pontual, resultado da combinação de três obras: a construção de uma passagem elevada (traffic calm) no acesso à Avenida Julius Arp a partir do Paissandu; uma intervenção promovida pela Companhia Estadual de Gás (CEG); e outra para recuperação de um jardim da Praça Marcílio Dias, junto ao relógio digital.

Restrições

A prefeitura também acrescenta que as intervenções de sua responsabilidade não poderiam ser realizadas à noite, tanto pelos ruídos quanto pelos custos envolvidos.

O problema ainda deve continuar a ser notado, ainda que com menor intensidade, até a próxima quarta-feira, 18, data prevista para o término da obra de construção da passagem elevada no sentido Olaria-Paissandu.

Sugestão

O colunista publica os argumentos apresentados, mas não pode fechar os olhos para o fato de que tal situação simplesmente não pode ocorrer.

As implicações podem ser muito sérias.

Um calendário devidamente amparado pela continuidade administrativa poderia, ao menos na maioria das vezes, concentrar esse tipo de intervenção em períodos nos quais a cidade está vazia, como a última e as primeiras semanas de cada ano.

Fica a sugestão para o futuro.

Alô, DER!

Aliás, já que falamos em mobilidade, o que dizer do atual estado de abandono da RJ-130, a Friburgo-Teresópolis?

Como justificar tamanha omissão diante de uma das estradas mais importantes do interior do estado, que o Censo Agropecuário confirma atravessar a região que mais responde pela produção de alimentos no Rio de Janeiro?

Aliás...

Diante do fato que o investimento em manutenção se faz iminente, o órgão bem que poderia fazer logo barba, cabelo e bigode, e investir um pouco também em estruturas (baratas) para a travessia segura de animais, ao menos nos principais pontos de atropelamentos.

Em algum momento essa barbárie vai ter que acabar.

Por que não de uma vez?

Gratidão

A coluna de quinta-feira, 12, reservou os devidos créditos aos integrantes da comissão legislativa responsável pela elaboração da nova Lei Orgânica Municipal (LOM), ainda que o nível de envolvimento dos parlamentares tenha variado bastante.

Não seria justo, todavia, deixar de registrar para a história a significativa contribuição dos assessores Filipe Saturnino e Rafael Coelho Bastos, que também abriram mão de muitas horas de sono entre pesquisas e revisões.

A cidade agradece.

Presente!

Já no que diz respeito à participação popular, alguns vereadores observaram que Sílvio Poeta - presença obrigatória entre os acertadores nos desafios publicados pela coluna - participou de todas as mais de 30 audiências públicas realizadas com a finalidade de elaborar a nova LOM.

O registro, portanto, é igualmente justo.

Destaque estadual

Na última terça-feira, 10, o Balcão de Empregos de Nova Friburgo recebeu representantes da Secretaria Estadual de Trabalho, como parte de um ciclo de visitas a unidades fluminenses.

E a comitiva teve motivos de sobra para gostar do que viu por aqui.

Afinal, entre os 40 pontos no estado, o nosso é o terceiro em número de inserções no mercado de trabalho e o segundo em captação de vagas, atrás apenas da capital.

Aspas

"O trabalho do Balcão está sendo feito com excelência, conforme foi constatado pela equipe que veio do Rio. O caminho agora é crescer cada vez mais e buscar atender a população, não apenas de Nova Friburgo, mas de toda a região. Somos referência regional em serviço de qualidade, e estamos conseguindo resgatar a confiança do empregador", comemorou o subsecretário de Trabalho e Renda, ex-vereador Éder Carpi (Ceará).

Nova direção

Na quarta-feira, 11, realizou-se a assembleia geral ordinária que elegeu os conselhos diretor, deliberativo e fiscal do biênio 2018/2020 da Associação Comercial Industrial e Agrícola de Nova Friburgo, a secular Acianf.

Composição

A chapa "Continuar para Crescer" foi eleita tendo o empresário Júlio César Celles Cordeiro como presidente; além de Adriani Evaristo Monteiro (vice-presidente de Comércio); Flávio Stern (vice-presidente de Finanças); Juvenal Nestor Condack (vice-presidente de Administração); Alexandre Jacintho Teixeira (vice-presidente de Agronegócios); Carlos Eduardo Lima (vice-presidente de Indústria e Meio Ambiente); Jorge Henrique Maciel (vice-presidente de Comunicação); Fanny Klinger Zissu (presidente do Conselho Deliberativo); Bernardo Tairã Silva Botelho (vice-presidente do Conselho Deliberativo); e Sérgio Tadeu Miranda (presidente do Conselho Fiscal).

Aspas (2)

Em seu discurso, o presidente eleito agradeceu pela confiança da atual administração e destacou a importância de convidar jovens empresários friburguenses para que façam parte dos conselhos deliberativo e executivo "com o objetivo de colocar mais oxigênio na Acianf".

Júlio também antecipou que pretende atrair mais associados, demonstrando o que a Associação Comercial faz por eles e por Nova Friburgo.

"A Acianf é dos associados, e estaremos aqui para trabalhar junto a eles", disse o novo presidente ao lado de Flávio Stern que deixa o cargo. 

Tempos modernos

Volta e meia algum episódio consegue nos despertar dessa ciranda que é a luta pela sobrevivência, ao revelar o quanto pode ser louco esse mundo em que vivemos.

Vejamos o caso do Facebook.

Um rapaz pensou em criar uma página na qual fosse possível ranquear algumas meninas por seu grau de atratividade.

E sua brincadeira possivelmente foi decisiva para a eleição do mais improvável presidente dos Estados Unidos desde Ronald Reagan, e da saída do Reino Unido da União Europeia.

Entre nós

E por aqui, o que essa brincadeira tem feito, hein?

E o que pode fazer ao fim deste ano?

Respostas

Por algum motivo, tivemos apenas duas respostas corretas para o desafio publicado ontem, 12.

Apenas Tânia Nicolau e Sílvio Poeta reconheceram a fachada restaurada na Rua Fernando Bizzotto, de imóvel que no passado já abrigou o Prontil e o Hotel Montanus.

Parabéns aos dois!

Foto da galeria
Júlio Cordeiro, novo presidente da Acianf, ao lado de Flávio Stern, vice de finanças
Publicidade
Agora Faz
TAGS:

Giuseppe Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.