Homenagem aos centenários

Janaína Botelho

Janaína Botelho

História e Memória

A professora e autora Janaína Botelho assina História e Memória de Nova Friburgo, todas as quintas, onde divide com os leitores de AVS os resultados de sua intensa pesquisa sobre os costumes e comportamentos da cidade e região desde o século XVIII.

quinta-feira, 08 de fevereiro de 2018

Nas comemorações do bicentenário de Nova Friburgo a memória ganha destaque. O dia 5 de fevereiro (última segunda-feira), no Teatro Municipal Laercio Ventura foi um momento especial para lembrar e homenagear pessoas e instituições que contribuíram com o município, chegando ao bicentenário da cidade com mais de um século de existência. Aos que há mais de 100 anos ajudaram e alguns ainda auxiliam a construir a nossa cidade, o prefeito Renato Bravo e a coordenadora do Comitê Nova Friburgo 200 anos, Cristina Bravo, prestaram-lhes homenagens especiais. Foi uma noite de muita emoção!

Para inteirar o leitor sobre os que chegaram a um século de existência relaciono aqui algumas pessoas que ultrapassaram os 100 anos e que foram localizadas pela perspicácia do jornalista e atual ouvidor da prefeitura, Girlan Guiland. Alcida Pereira dos Santos, conhecida como Hercília, nasceu em 6 de setembro de 1918, em Rio Bonito de Lumiar, sendo a mais antiga moradora de São Geraldo onde reside há 74 anos. Sua história e de sua família estão entrelaçadas ao bairro, um dos mais populosos de Nova Friburgo. Abdo Carim nasceu em 26 de fevereiro de 1917, em Visconde de Imbé, Trajano de Moraes. Em novembro de 1956, foi residir em Nova Friburgo exercendo diversas atividades, mas não abandonando a atividade como pecuarista em São Sebastião do Alto.

Irene Neves nasceu em 20 de outubro de 1916, na Fazenda do Coqueiro, em Trajano de Moraes, onde trabalhou na lavoura. Veio morar em Nova Friburgo, no distrito de Conselheiro Paulino, onde continuou sua atividade como lavradora. Já Rosália Vilaça da Silva, a Dona Detinha, que completou 100 anos em dezembro de 2017, estava acompanhada de suas filhas e muito elegante como sempre foi uma tradição de sua família.

Brigitte Schlupp, nascida em 23 de janeiro de 1918, era esposa do pastor luterano que veio para Nova Friburgo com objetivo de apaziguar as contendas entre dois grupos da comunidade luterana que se dividiram por questões políticas. Acabou fixando domicílio na cidade. A mais idosa entre todas é Ida da Silva Dutra da Costa que nasceu em 22 de maio de 1911, e em pleno ano do bicentenário de Nova Friburgo ela chega aos seus 107 anos de idade, esbanjando ainda uma vitalidade invejável. Torcedora do Flamengo, nasceu no ano em que o rubro-negro foi fundado e até hoje acompanha os jogos do time carioca.

Igualmente completaram mais de 100 anos, mas não puderam comparecer Gabriela Hurnaus, Hugulino Ferreira de Andrade, Artelina Tinoco Alves, Laert Ribeiro e Cecy Machado Lima, mãe do médico Ranulfo Lima. Mas Girlan informou que depois do evento já localizou outros centenários. Algumas instituições também foram lembradas, mas vou destacar apenas a mais antiga de todas, a Câmara Municipal. Instalada em Nova Friburgo em 3 de janeiro de 1820, diferentemente de hoje, no passado a Câmara Municipal além da função legislativa, possuía a executiva, através do seu presidente, e o poder judiciário, por meio dos juízes ordinários que pertenciam ao quadro de vereadores.

Em 1828, a Câmara perdeu a função judiciária e na segunda década do século 20 a executiva, passando essa função pública para o prefeito. Inicialmente sem remuneração, os vereadores eram geralmente empresários bem-sucedidos que emprestavam parte de seu tempo na administração da cidade. Na história local, a Câmara Municipal teve um papel relevante sendo responsável pelo destino da cidade de Nova Friburgo. Igualmente completaram mais de um século de existência a Igreja Luterana (194 anos), a Loja Maçônica Indústria e Caridade (179 anos), a Sociedade Musical Beneficente Euterpe Friburguense (155 anos), a Sociedade Musical Campesina Friburguense (148 anos), o Colégio Anchieta (132 anos), a Sociedade Musical Euterpe Lumiarense (127 anos), a Sociedade União Beneficente Humanitária dos Operários (125 anos), o Colégio Nossa Senhora das Dores (125 anos), o Tiro de Guerra (109 anos), o Sanatório Naval (108 anos), a Casa de Itália (104 anos) e a caçulinha Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo, com 100 anos de existência.

Muitas das pessoas homenageadas nasceram exatamente no ano do centenário da cidade e outras antes mesmo. Por isso, foi uma noite de grande festa para homenagear os que podem nos contar muito sobre o nosso passado. 

  • Foto da galeria

    Rosália Vilaça da Silva completou 100 anos no ano passado

  • Foto da galeria

    Brigitte Schlupp nascida em 1918, esposa do pastor Schlupp

  • Foto da galeria

    Alcinda Pereira dos Santos nasceu em 1918, sendo muito querida em São Geraldo

Publicidade
TAGS:
Janaína Botelho

Janaína Botelho

História e Memória

A professora e autora Janaína Botelho assina História e Memória de Nova Friburgo, todas as quintas, onde divide com os leitores de AVS os resultados de sua intensa pesquisa sobre os costumes e comportamentos da cidade e região desde o século XVIII.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.