Presidente da Assembleia promulga emenda que concede imunidade a vereadores

Há 50 anos

Há 50 anos

Coluna que mostra o que foi notícia em A Voz da Serra 50 anos atrás.

sábado, 09 de junho de 2018

Edição 9 e 10 de junho de 1968
Pesquisado por Guilherme Alt

Manchete:

  • O presidente da Assembleia Legislativa , Deputado Raul de Oliveira Rodrigues promulgou a emenda constitucional que concede certas imunidades aos vereadores, no município em que exerçam os mandatos - A iniciativa real e altamente democrática, veio dar maior respeitabilidade aos delegados do povo nas cédulas básicas das instituições, que são as unidades comunitárias municipais. Nestes tempos de constantes arranhões da democracia, um clarão de esperanças impulsiona uma clarinada anunciadora de perspectivas melhores.
  • A antiga estação Leopoldina - A administração municipal está ultimando o projeto de adaptação da antiga estação de passageiros da Leopoldina – na Rua Alberto Braune – onde funcionarão todos os departamentos e seções da nossa prefeitura. A aquisição do imóvel que tem mais de dez mil metros quadrados de área, sendo seis mil metros de área construída, inclusive dois mil metros quadrados de excelentes galpões, deve à inteligência e coragem do prefeito Amâncio, que assim marca mais um tento nesta sua segunda passagem pelo município.
  • Luiz Braz, frontalmente acusado de corrupção eleitoral - O Seminário de Educação levado a efeito na Assembleia Legislativa, foi criticado pelo deputado Paulo Hervê, pela inclusão, entre os conferencistas, do secretário Luiz Braz. O parlamentar declarou que “O titular da educação que transformou a pasta em escritório político, entende apenas de corrupção eleitoral, não podendo, portanto, proferir palestras sobre ensino. O representante emedebista denunciou o contrato de três mil professoras, sob condição de darem o voto e trabalharem em favor da reeleição do sr. Luiz Braz para a Câmara Federal”. Ao concluir, declarou que “o secretário de educação tem condição somente para ensinar como proceder para usar o dinheiro público em favor de sua eleição”.

Colunas:

  • Em “Ordem do Dia”, Pedro Cúrio assina “Centenário da Matriz (terceiro da série). “Quem como nós, desde 1914, nos dedicamos aos assuntos históricos, tendo por escola o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, onde aprendemos que as “tradições” não superam a documentação. Sentimos certo conforto espiritual quando se nos apresentam oportunidades para vasculhar documentação centenária, como no caso presente, da nossa catedral Igreja Matriz. Prosseguiremos publicando as bases ou regulamento baixado pela Câmara Municipal, no sentido de serem iniciadas as obras para a construção de uma Igreja Matriz e nesse documento encontramos exemplos e lições de como se respeitava o patrimônio municipal e fiscalizava a aplicação dos bens públicos. Queremos explicar que naquela época o poder eclesiástico era rigorosamente  subordinado ao poder público, daí as constantes quisílias entre a Câmara Municipal e o nosso primeiro vigário, o padre Jacob”.
  • Em “Nova Friburgo na Sociedade”, W. Robson assina “A Força do Ideal”. “Figuramos contra os descrentes com a possível evolução rápida e desejada da sacrificada imprensa friburguense. É que a ela integrada de corpo e alma há mais de 20 anos, sempre deparamos com acentuados obstáculos a entravarem o seu progresso. Há fortes barreiras que não permitem sua expansão como indústria de fato, muito embora os nossos semanários possam ser considerados sem favor algum como os melhores do Estado do Rio de Janeiro. Dentre os fatores negativos a impedirem novos horizontes para o jornalismo local, podemos citar a ausência de um apoio maciço por parte do comércio e a concorrência dos chamados grandes jornais do Rio, que nos chegam as mãos em poucas horas, pois Friburgo nos dias presentes pode ser considerada subúrbio da Guanabara”.
  • J.B da Silva, assina “Retalhos”. “Na última semana, a comunidade perdeu dois cidadãos importantes, entre outros, não menos e dos quais não pertenceram ao nosso círculo de relações, portanto não nos permitimos de avaliar o conceito. E, ainda, uma veneranda  senhora, humilde em seus dotes materiais, mas, que, para os seus parentes e conhecidos, ficará em sua igreja, como um extraordinário exemplo. Manuel Antunes Nogueira, o famoso Bieca, chefe de uma clã numerosa. Em seus últimos dias, passando os olhos pela turma, há de ter sentido o prazer de uma obrigação satisfeita. Pôde então se dedicar a sua conhecida quitanda, onde o artigo era sempre fresquinho e o preço o mais barato; a sua irmandade cuja opa envergava, orgulhoso, em toda ocasião possível. Seu amor pela irmandade era tanto que, se permitisse o estatuto, a levaria em sua vestimenta pelo andar cotidiano. ”

Sociais:

  • AVS registra os aniversários de: Zuenir Ventura (1), Carlos Roberto Ventura (2), Maria de Lurdes Pena (3), Maria Alice Cúrio, Sofia Ventura, Joel de Lucas (4), João Saldanha, Hugo Spinelli (6) e Luiz Vitório Enes (8).
Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Há 50 anos

Há 50 anos

Coluna que mostra o que foi notícia em A Voz da Serra 50 anos atrás.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.